[1]
M. L. Pedrosa e C. E. A. Campos, “Implicações da utilização do conceito de risco para a prática em APS”, Rev Bras Med Fam Comunidade, vol. 2, nº 5, p. 30-42, nov. 2006.