[1]
L. M. Santiago, “Atividade da consulta de Medicina Geral e Familiar: a avaliação do seu impacto pelos seus utilizadores”, Rev Bras Med Fam Comunidade, vol. 2, nº 8, p. 282-287, nov. 2007.