Políticas Editoriais

Foco e Escopo

1. OBJETIVO E POLÍTICA EDITORIAL

1.1 A Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (RBMFC) é uma publicação científica trimestral da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) que tem como missão:

  • Estimular estudantes, profissionais e gestores da área da Saúde Pública/Coletiva sobre os temas científicos de interesse da Medicina de Família e Comunidade (MFC), Atenção Primária à Saúde (APS) e Estratégia Saúde da Família (ESF);
  • Possibilitar o intercâmbio entre instituições de ensino, serviços de saúde e movimentos sociais organizados;
  • Servir como veículo de educação continuada e permanente em saúde, tendo como eixos temáticos a MFC e a APS.
  • Destacar temas relevantes para a Saúde Pública/Coletiva com foco específico em Medicina de Família e Comunidade (MFC), Atenção Primária à Saúde (APS) e Estratégia Saúde da Família (ESF).

1.2 A RBMFC tem como objetivo publicar Artigos de Pesquisas, Artigos de Revisão Clinica, Casos Clinicos, Histórias da Linha de Frente, Otimizando o Cuidado, Desafio e discussões sobre todos os aspectos da MFC, APS e ESF incluindo a prática clínica, a formação profissional, a organização dos serviços, e as políticas públicas relacionadas à MFC, APS e ESF. Anais de congressos da área podem ser publicados como suplementos especiais, a critério do Conselho Editorial.

1.3 Os artigos devem ser originais e inéditos, bem como devem destinar-se exclusivamente à RBMFC, não sendo permitida sua apresentação simultânea a outro periódico.

1.4 Os manuscritos podem ser apresentados em Português, Inglês ou Espanhol.

1.5 Os artigos submetidos devem atender à Política Editorial da RBMFC e às Diretrizes para Autores, que seguem as regras propostas pelo Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas.

Em inglês: International Committee of Medical Journal Editors

1.6 Os princípios éticos da pesquisa devem ser respeitados. A publicação de artigos que trazem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos está condicionada ao cumprimento dos princípios éticos contidos na Declaração de Helsinki (1964, reformulada em 1975, 1983, 1989, 1996, 2000 e 2008), da Associação Médica Mundial.

1.6.1 No Brasil a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) coordena a rede de Comitês de Ética em Pesquisa das instituições. A pesquisa deve ter sido conduzida dentro dos padrões exigidos pelos órgãos de ética em pesquisa e aprovada pela comissão de ética da instituição onde a pesquisa foi realizada.

1.6.2 Os conceitos e opiniões expressos nos artigos, bem como a exatidão e a procedência das citações, são de exclusiva responsabilidade do(s) autor(es).

1.7 Os artigos publicados são de propriedade da RBMFC, sendo vedada tanto a reprodução, mesmo que parcial em outros periódicos, seja no formato impresso ou eletrônico, bem como a tradução para outro idioma sem a autorização do Editor.

1.8 Todo o conteúdo RBMFC está sob a licença Creative Commons Atribuição Uso não comercial 3.0 Brasil (CC BY-NC 3.0 BR)

 

 

Políticas de Seção

ARTIGOS DE PESQUISAS

Máximo de 3.500 palavras, excluindo resumos, figuras e referências: esta seção inclui trabalhos que apresentem dados originais de descobertas relacionadas a aspectos experimentais ou de observação, voltados para investigações qualitativas ou quantitativas em áreas de interesse da Medicina de Família e Comunidade (MFC) e da Atenção Primária à Saúde (APS). Inclui estudos observacionais, estudos experimentais ou quase-experimentais, avaliação de programas, análises de custo-efetividade, análises de decisão e estudos sobre avaliação de desempenho de testes diagnósticos para triagem populacional. Quanto à formatação, devem seguir a estrutura convencional: Introdução, Métodos, Resultados, Discussão, Conclusão e Referências.

Introdução: deve ser sucinta, definindo o problema estudado, sintetizando sua importância e destacando as lacunas do conhecimento que serão abordadas no artigo.

Métodos: devem descrever de forma clara e sem prolixidade as fontes de dados, a população estudada, a amostragem, os critérios de seleção, procedimentos analíticos e questões relacionadas à aprovação do estudo por comitê de ética em pesquisa (CEP).

Resultados: devem se limitar a descrever os resultados encontrados, sem incluir interpretações e/ou comparações. O texto deve complementar e não repetir o que está descrito nas figuras.

Discussão: deve incluir a interpretação dos autores sobre os resultados obtidos e sobre suas principais implicações, a comparação dos achados com a literatura, as limitações do estudo e eventuais indicações de caminhos para novas pesquisas. No sentido de fortalecer a originalidade científica dos artigos publicados na RBMFC é necessário que os Artigos Originais explicitem quatro pontos obrigatórios na seção Discussão, organizados em subtópicos: (1) Resumo dos principais achados do estudo; (2) Fortalezas e limitações do estudo; (3) Comparação com a literatura já existente; e (4) Implicações para a pesquisa na área e/ou para a prática dos profissionais.

Referências: aproximadamente 40, devem incluir apenas aquelas estritamente relevantes ao tema abordado.

Figuras: limitadas a 5 no total (podendo incluir tabelas, gráficos ou figuras); nelas devem constar apenas dados imprescindíveis.

Resumos: limitados a 250 palavras, em Português (Resumo), Inglês (Abstract) e Espanhol (Resumen) com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas. Devem estar estruturados em Objetivo, Métodos, Resultados e Conclusões.

Manuscritos resultantes de pesquisas qualitativas: podem sofrer pequenas variações no formato, admitindo-se Resultados e Discussão em uma mesma seção e Considerações Finais/Conclusões.

Ética: a publicação de artigos que trazem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos está condicionada ao cumprimento dos princípios éticos contidos na Declaração de Helsinki (1964, reformulada em 1975, 1983, 1989, 1996, 2000 e 2008), da Associação Médica Mundial.

Revisão sistemática e meta-análise: por meio de uma síntese de resultados de estudos originais, quantitativos ou qualitativos, deve objetivar responder à uma pergunta específica e de relevância para a MFC e APS. Descrever em pormenores o processo de busca dos estudos originais, os critérios utilizados para seleção dos estudos incluídos na revisão e os procedimentos empregados na síntese dos resultados obtidos pelos estudos revisados.

Requerimentos Éticos específicos para Ensaios Clínicos: a RBMFC apoia as políticas para registro de ensaios clínicos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do International Commitee of Medical Journal Editors (ICMJE:http://www.icmje.org/), reconhecendo a importância dessas iniciativas para o registro e divulgação internacional de informação sobre estudos clínicos, em acesso aberto. Sendo assim, somente serão aceitos para publicação, a partir de 2007, os artigos de pesquisas clínicas que tenham recebido um número de identificação e um dos Registros de Ensaios Clínicos validados pelos critérios estabelecidos pela OMS e ICMJE, cujos endereços estão disponíveis no site do ICMJE. O número de identificação deverá ser registrado ao final do resumo.  Para registro de ensaios clínicos ver: http://www.ensaiosclinicos.gov.br/

Os manuscritos relatando estudos epidemiológicos, se possível, devem seguir a declaração STROBE; os manuscritos relatando estudos qualitativos com entrevista ou grupo focal a declaração COREQ; os estudos relatando ensaios clínicos a declaração CONSORT; as revisões sistemáticas e meta-análises, as recomendações da declaração PRISMA.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

ARTIGOS DE REVISÃO CLÍNICA

Devem ter no máximo 2.500 palavras, excluídos resumos, figuras e referências. A RBMFC está particularmente interessada em artigos de revisão clínica de temas de relevância para a prática da medicina de família e comunidade. Este tipo de artigo deve explicitar claramente como a revisão foi realizada e incluir várias fontes das revisões baseadas nas evidências, tais como Cochrane Collaboration ou BMJ's Clinical Evidence. Sempre que possível, os autores devem utilizar as evidências baseadas em desfechos clínicos importantes, tais como morbidade, mortalidade, qualidade de vida e estudos feitos com população da Atenção Primária à Saúde.

Os manuscritos submetidos a esta seção devem procurar obedecer ao seguinte formato: Resumo, Introdução, Avaliação/Diagnóstico (com Fluxograma), Recomendações e dicas, Sinais de alerta, Quando encaminhar, Discussão e Pontos-chaves.

Resumo: sintetizar as principais informações contidas na revisão clínica.

Introdução: Deve fazer um panorama sucinto do sintoma ou condição em questão focando nos aspectos novos ou relevantes para a Atenção Primária à Saúde (APS) destacando a prevalência ou incidência, mas sem detalhar em excesso a epidemiologia do problema; sumarizar informações mais relevantes em tabelas e gráficos.

Avaliação/Diagnóstico: Deve trazer informações sobre a entrevista clínica e/ou exame físico e/ou critérios para a avaliação/diagnóstico e/ou problemas clínicos diferenciais. Preferencialmente, acrescentar um fluxograma, simples e inovador.

Recomendações: recomendações quanto ao tratamento incluindo sempre evidências científicas e um quadro com as principais recomendações e respectivas evidências; sumarizar demais informações relevantes em tabelas e gráficos. Dicas: podem ser incluídas recomendações mais baseadas na experiência prática, estruturadas na forma de itens.

Sinais de alerta: destacar sinais de alerta que não necessariamente indiquem necessidade de intervenção ou encaminhamento; sumarizar informações mais relevantes em tabelas ou gráficos.

Quando encaminhar: se for pertinente incluir tabela com as situações que demandam encaminhamento e a demora permitida.

Discussão: discutir a aplicação do problema, principais erros cometidos na prática, pontos polêmicos, evidências conflituosas, estudos em andamento, perspectivas futuras sobre a abordagem do tema. Deve ser relevante e destacar o que essa revisão traz de informações diferentes em relação às anteriores.

Pontos chave: sistematização dos aspectos mais relevantes da revisão para a prática.

É possível acrescentar ou substituir itens de acordo com o tema, porém os itens mandatórios são “Introdução”, “Discussão” e “Pontos Chave”.

Referências: aproximadamente 40, devem incluir apenas aquelas estritamente relevantes ao tema abordado.

Figuras: limitadas a 8 no total (podendo incluir tabelas, quadros, gráficos ou figuras); nelas devem constar apenas dados relevantes.

Resumos: limitados a 250 palavras, em Português (Resumo), Inglês (Abstract) e Espanhol (Resumen) com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas. Devem seguir estrutura do artigo.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

CASOS CLÍNICOS

Máximo de 2.000 palavras, excluídos resumos e referências: inclui trabalhos que abordem questões clínicas ou teóricas, relevantes e inovadoras para o diagnóstico e manejo clínico de problemas ou condições de saúde importantes para a MFC e a APS. A introdução deverá apresentar o problema em questão, com breve revisão da literatura sobre os aspectos clínicos e terapêuticos e diagnóstico diferencial em relação ao caso apresentado. O relato deverá ser sucinto, evitando-se dados redundantes ou irrelevantes. A discussão deverá contrapor dados do caso apresentado (semelhanças e diferenças) com dados da literatura. Casos que explorem os componentes do método clínico centrado na pessoa (MCCP), ou que discutam o papel de filtro (por exemplo, prevenção quaternária) do médico de família e de outros profissionais da APS, serão bem-vindos. Os manuscritos submetidos a esta seção devem obedecer ao seguinte formato: Introdução, Detalhamento do caso, Discussão e Referências.

Referências: aproximadamente 20.

Figuras: limitadas a 5 no total.

Resumos: limitados a 150 palavras, em Português, Inglês e Espanhol, com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas.

Sugere-se que a redação do manuscrito siga as recomendações da declaração CARE.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

HISTÓRIAS DA LINHA DE FRENTE

Devem ter no máximo 1500 palavras excluindo resumos e referências. Não devem incluir figuras (quadros, gráficos, tabelas) mas podem incluir uma imagem ilustrativa ou fotografia.

Podem incluir uma das seguintes opções:

a) Narrativa livre feita por um paciente ou pelo profissional de saúde que faça a reflexão sobre um encontro ou consulta ou sobre algum tema específico.
b) Sugestão de livro, site, aplicativo ou ferramenta que tenha impactado na prática diária.
c) Dissertação sobre tema ético, legal, antropológico, cultural ou psicológico que o profissional pode encontrar no dia a dia; deve iniciar com cenário clinico seguido pela dissertação em si.

Devem ter aproximadamente entre 1 e 5 referências.

Esta seção também é passível de revisão por pares, edição, bem como solicitação de modificações para publicação.

Caso haja utilização de fotografia, esta deve vir acompanhada do respectivo termo de cessão de direitos de fotografia”.

Resumos: limitados a 100 palavras, em Português (Resumo), Inglês (Abstract) e Espanhol (Resumen) com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas. Devem seguir estrutura do artigo.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

OTIMIZANDO O CUIDADO

Deve ter no máximo 2000 palavras (excluindo resumo e referências) e focar em temas clínicos que envolvam polifarmácia, desprescrição, sobrediagnóstico, medicina baseada em evidência, prevenção quaternária ou temas de gestão como acesso, coordenação do cuidado, organização do prontuário, ferramentas de gestão da prática.

Deve incluir de 1 a 5 referências e uma ou duas figuras (quadro, tabela, fluxograma, etc...) que sistematize informações relevantes. Assim como as demais submissões é passível de revisão por pares. 

Resumos: limitados a 150 palavras, em Português (Resumo), Inglês (Abstract) e Espanhol (Resumen) com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas. Devem seguir estrutura do artigo.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

DESAFIO (QUIZ)

O desafio deve incluir as seguintes seções:

a) Cenário clinico

b) Pergunta com uma resposta correta e três ou quatro respostas erradas

c) Discussão da resposta correta e breve discussão sobre as respostas erradas; pode incluir uma figura (tabela, gráfico, quadro), por exemplo diagnóstico diferencial, para ilustrar a discussão.

Não se trata de caso clínico mas de um “teste”. A questão deve ser objetiva e terminar com sentenças como “baseado na história e exames físico descritos, qual o diagnóstico mais provável?”, ou “com base na história e exame físico qual o exame deve ser solicitado para investigar lombalgia crônica” ou “de acordo com a imagem, na história e nos exames laboratoriais descritos qual o tratamento mais recomendado?”. A discussão deve ter entre 300 e 500 palavras aproximadamente.

Podem incluir imagens ou fotos desde que originais e nunca publicadas. Sendo assim, serão submetidas aos mesmo processos e sanções de plagiarismo dos textos. É necessário preencher e anexar o termo de cessão de direitos de fotografia”. Caso as imagens e fotografias identifiquem algum paciente ou profissional, é necessário anexar também um termo de consentimento para uso da imagem. O desafio pode incluir entre 3 e 5 referências aproximadamente.

Esta seção também é submetida a revisão por pares. 

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

EDITORIAL

Máximo de 1.000 palavras e 10 referênciasé de responsabilidade do editor da RBMFC, podendo ser encomendado a terceiros.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

CARTAS AO EDITOR

Máximo de 600 palavras e 5 referências: esta seção inclui críticas à artigos publicados em números anteriores da revista ou notas curtas, descrevendo criticamente situações emergentes ao campo temático da RBMFC. Opiniões de leitores, apontamentos de erros editoriais, e sugestões sobre a revista são bem vindos.

Verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

DOCUMENTOS DA SBMFC

Máximo de 2.500 palavras: inclui documentos oficiais de colegiados ligados à Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.

Necessário apresentar títulos em português, inglês e espanhol, além do título reduzido em português.

Resumos: limitados a 200 palavras, em Português (Resumo), Inglês (Abstract) e Espanhol (Resumen) com precisão e fidedignidade textual entre os três idiomas. Devem seguir estrutura do artigo.

Palavras chaves em português, inglês e espanhol.

 

Verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

RESENHAS

Análises críticas de livros, filmes e demais produções lançadas nos últimos 3 anos relacionados à Medicina de Família e Comunidade, Atenção Primária à Saúde ou temáticas de relevância para o desenvolvimento de sistemas de saúde e práticas de saúde de interesse para o campo da MFC/APS. As produções analisadas podem ser brasileiras ou internacionais. A resenha deve ter no máximo 1.500 palavras, iniciar com a referência bibliográfica da publicação analisada e citar no máximo 10 referências bibliográficas seguindo as regras da RBMFC. 

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

ENSAIO/ESPAÇO ABERTO

Máximo de 5 mil palavras, excluindo resumos e referências. A seção Ensaios/Espaço Aberto visa à divulgação de artigos com as análise crítica sobre um tema específico relacionado à Medicina de Família e Comunidade. 

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

ARTIGOS TRADUZIDOS

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Especial Residência Médica

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

3. PROCESSO DE SUBMISSÃO

3.1 Os manuscritos serão inicialmente avaliados pelo Bibliotecário para verificação de formatação. Caso não estejam adequados, o bibliotecário preencherá uma checklist com todas as pendências e a enviará aos autores para que façam os ajustes no prazo de sete (7) dias. 

3.2 Após o retorno dos manuscritos corrigidos, estes serão encaminhados inicialmente a um dos editores adjuntos ou ao editor de seção para triagem e avaliação preliminar, e posteriormente distribuídos aos pareceristas, em conformidade com as áreas de atuação e especialização dos mesmos. 

3.3 Caso os autores não retornem o manuscrito corrigido no prazo estipulado o processo será arquivado para evitar processos inativos em nosso banco de artigos não designados.

 

4. PROCESSO DE  AVALIAÇÃO

4.1 Os manuscritos submetidos à Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (RBMFC) serão avaliados por membros de seu Conselho Editorial e Científico, como também por pareceristas convidados ad hoc.

 

5. REVISÃO POR PARES

5.1 Dependendo da seção de submissão, os textos são submetidos à avaliação de dois consultores pareceristas, provenientes de instituição diferente daquela do(s) autor(es), em um processo cego, no qual os trabalhos são analisados em relação aos seguintes aspectos:

  • Adequação do título ao conteúdo; 
  • Estrutura da publicação; 
  • Clareza e pertinência dos objetivos; 
  • Metodologia; 
  • Resultados e discussão; 
  • Informações inteligíveis; 
  • Citações e referências adequadas às normas técnicas adotadas pela revista, e 
  • Pertinência à linha editorial da publicação. 

5.2 Os consultores preenchem o formulário de parecer, aceitando, recusando ou recomendando correções e/ou adequações necessárias. Todo parecer incluirá sua fundamentação. Esse processo de avaliação inicial pode durar em média três (3) meses. 

5.3 No caso de solicitação de alterações no artigo, este poderá ser reencaminhado aos autores para que efetuem as correções solicitadas no prazo de 30 dias corridos, quando devem reapresentar o manuscrito para nova avaliação pelos consultores.

5.4 Em caso de não reapresentação do manuscrito no prazo determinado, os editores enviam um e-mail solicitando um retorno por parte dos autores no prazo de sete (7 ) dias corridos e posteriormente o processo de submissão é arquivado.

5.5 O processo de avaliação por pares preservará a identidade dos autores e suas afiliações.

5.6 Após pareceres dos consultores o manuscrito é avaliado pelo Editor que pode solicitar outros ajustes antes da aprovação final. 

5.7 Em alguns casos, o editor pode ainda solicitar pareceres do Conselho Editorial antes da decisão pela aprovação ou rejeição do artigo. 

5.8 A decisão editorial é então comunicada ao(s) autor(es).

IMPORTANTE:

  • Em caso de identificação de plágio no manuscrito, tanto por nossos avaliadores como pelos editores, a submissão será rejeitada e arquivada e os autores informados na sequência. Para maiores detalhes ver em DIRETRIZES PARA AUTORES, ÉTICA EM PESQUISA, item 2.4.


6. ARTIGOS APROVADOS

6.1 Após a aprovação, o artigo é revisado ortográfica e gramaticalmente.

6.2 As alterações eventualmente realizadas são encaminhadas para aprovação formal pelos autores, antes de serem encaminhados para publicação.

6.3 Os autores terão o prazo de 24 horas para aprovar a revisão de texto.

6.4 Será realizada revisão ortográfica e gramatical dos resumos e títulos em língua inglesa e espanhola, por revisor especializado.

6.5 Não serão admitidos acréscimos ou modificações após a aprovação da revisão final. 

6.6 Os artigos ficam então disponíveis para publicação, dependendo das temáticas das edições subsequentes da RBMFC.

 

7. PUBLICAÇÃO

7.1 A partir da edição 34 (vol. 10) a RBMFC não fará mais a numeração continuada de páginas dos artigos publicados. Desse modo, recomendamos  aos autores que tiverem seus artigos publicados em nosso periódico, que ao atualizarem sua Plataforma Lattes insiram no campo Página Inicial os quatro dígitos finais do DOI, que são os identificadores do artigo, como no exemplo a seguir http://dx.doi.org/10.5712/ rbmfc10(34)1111. Neste caso, os autores devem inserir o número 1111 para que a Plataforma Lattes possa fazer a busca de seu artigo.

 7.2 Em 2013 a RBMFC adotou a publicação de artigos apenas na versão online, ficando os mesmos disponíveis em formato PDF na página da revista. Solicitamos aos autores que tiverem seus trabalhos publicados na RBMFC que utilizem o código identificador da versão online: ISSN 2179-7994.

7.3 Os artigos publicados são de propriedade da RBMFC, sendo vedada a reprodução, mesmo que parcial, em outros periódicos, tanto no formato impresso ou eletrônico, bem como a tradução para outro idioma sem a autorização do Editor.

7.4 Todo o conteúdo RBMFC está sob a licença Creative Commons Atribuição Uso não comercial 3.0 Brasil (CC BY-NC 3.0 BR).

 

 

Periodicidade

Formato de documentos dos arquivos em PDF/A tamanho A4.

A periodicidade da RBMFC é trimestral.

 

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais...

 

Classificação Qualis Capes

RBMFC ISSN 1809-5909 (impresso)

B2 - INTERDISCIPLINAR

B2 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL /           DEMOGRAFIA

B4 - ENFERMAGEM

B4 - ENSINO

B4 - EDUCAÇÃO

B4 - MEDICINA I

B4 - ODONTOLOGIA

B4 - SAÚDE COLETIVA

B5 - MEDICINA II

C   - CIÊNCIAS AGRÁRIAS I


RBMFC ISSN 2179-7994 (online)

B4 - SAÚDE COLETIVA

B5 - ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA 

B5 - INTERDISCIPLINAR

B5 - MEDICINA I

B5 - PSICOLOGIA

B5 - SERVIÇO SOCIAL


Fonte: http://qualis.capes.gov.br/webqualis/

 

Diretrizes para Avaliadores

Prezado Avaliador, 

Processo de avaliação

NÃO ENVIEM ANEXOS. PULE O PASSO 5. Colocamos a disposição para avaliação apenas o PDF do autor com linhas numeradas e os avaliadores devem colocar as observações no formulário e em texto livre.

Assegurando a Avaliação por Pares Cega

Em caso de problema ou conflito de interesses, contate o editor para esclarecimentos. Este pode prolongar o prazo de entrega, indagar sobre outras pessoas que possam realizar a avaliação, ou pedir a devolução do manuscrito para designar outro avaliador (e, se possível, solicitar nomes e contatos de outras pessoas competentes para tratar do tema).

Não é permitido conceder acesso ao manuscrito a outros colegas para avaliação, sem o consentimento do editor. Caso uma avaliação superficial revele que o manuscrito não está de acordo com a proposta da RBMFC, contate o editor para esclarecimentos.

Não discuta o documento com os autores em nenhum momento do processo de avaliação. Embora possa parecer natural e razoável discutir pontos críticos ou discordantes diretamente com um autor, especialmente se estiver em favor da publicação, e não houver impedimento à revelação de sua identidade, esta prática é proibida, pois outro avaliador, ou o editor, podem ter opiniões diferentes, e o autor pode tirar conclusões equivocadas, pelo fato de ter esclarecido as dúvidas diretamente. O manuscrito enviado para avaliação é um documento privilegiado. Proteja-o de qualquer forma de exploração. Não cite um manuscrito ou o trabalho descrito antes que seja publicado, e não distribua ou use a informação contida em benefício próprio.

Nas recomendações ao(s) autor(es), não se refira a aceitabilidade do documento; sugestões de revisões devem representar apenas propostas, e não condições para aceitação do documento. Organize suas ideias de forma que um parágrafo introdutório resuma os pontos principais do artigo, expresse a impressão sobre o mesmo e destaque os pontos fracos. Este parágrafo deveria ser seguido por comentários numerados e específicos, que, se apropriado, podem ser divididos em partes menores (a numeração facilita a comunicação entre o editor e o autor, assim como a avaliação das respostas do autor).

Críticas deveriam ser apresentadas objetivamente; comentários ofensivos não são aceitáveis. Comentários confidenciais ao editor devem ser digitados no item 13 do formulário eletrônico de avaliação (Comentários ao Editor). Informe o editor de sua recomendação de aceitação, alteração, ou rejeição, escolhendo as opções apropriadas no formulário de avaliação.

decisão final sobre alterações, aceitação, ou rejeição de um documento é reservada apenas ao editor, portanto, não indique sua recomendação na parte da avaliação específica ao autor.

Não utilize o arquivos de avaliação (PDF) para qualquer outro uso (ética profissional).

 

Atenciosamente,

Equipe Editorial

 

 

 

Assegurando a Avaliação por Pares Cega

Para assegurar a integridade da avaliação por pares cega, para submissões à revista, deve-se tomar todos os cuidados possíveis para não revelar a identidade de autores e avaliadores entre os mesmos durante o processo. Isto exige que autores, editores e avaliadores (passíveis de enviar documentos para o sistema, como parte do processo de avaliação) tomem algumas precauções com o texto e as propriedades do documento:

  1. Os autores do documento excluiram do texto nomes, substituindo com "Autor" e o ano em referências e notas de rodapé, em vez de nomes de autores, título do artigo, etc.
  2. Em documentos do Microsoft Office, a identificação do autor deve ser removida das propriedades do documento (no menu Arquivo > Propriedades), iniciando em Arquivo, no menu principal, e clicando na sequência: Aqruivo > Salvar como... > Ferramentas (ou Opções no Mac) > Opções de segurança... > Remover informações pessoais do arquivo ao salvar > OK > Salvar.
  3. Em PDFs, os nomes dos autores também devem ser removidos das Propriedades do Documento, em Arquivo no menu principal do Adobe Acrobat.

 


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia