Aplicação de Escala de Risco Familiar como instrumento de priorização das Visitas Domiciliares

Autores

  • Flávio Lúcio G Coelho
  • Leonardo Cançado Monteiro Savassi

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc1(2)104

Palavras-chave:

Medicina de Família, Visita Domiciliar, Tratamento Domiciliar

Resumo

A introdução do Programa Saúde da Família foi uma tentativa de reorganizar a atenção básica no país, que instituiu a Visita Domiciliar, como instrumento diferencial da atuação do Médico de Família. Para estabelecer prioridades na visita, elaborou-se escala de risco familiar baseada na ficha A do SIAB. Tal escala se baseia em sentinelas de risco que são avaliadas na primeira visita domiciliar pelo agente de saúde (ACS). A mesma foi aplicada em diferentes comunidades e microáreas, demonstrando diversas proporções de famílias classificadas como risco 1, 2 ou 3. Os resultados ressaltam a relação morador/cômodo como um importante indicador na avaliação do risco, bem como a aplicabilidade da escala como instrumento de priorização tanto das visitas domiciliares quanto do investimento da equipe. A escala demonstrou ser um instrumento simples e eficiente de análise do risco familiar, não necessitando a criação de nenhuma nova ficha ou escala burocrática. Os autores sugerem que somente o uso sistemático da Escala de Coelho como instrumento de reorganização da demanda, e posterior avaliação de seu impacto na comunidade, poderá confirmar sua aplicabilidade na atuação do médico de família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Cançado Monteiro Savassi

Coordenador do Programa de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade da Secretaria Municipal d Saúde de Betim/MG; Médico da Colônia Santa Isabel da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais; Médico Pediatra da Unimed Betim/MG; Editor da Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (MFC); ============================================/====================================== Título de Especialista em Medicina de Família e Comunidade pelo MEC/ SBMFC; Título de Especialista em Pediatria pelo MEC/ Hospital Belo Horizonte; Especialização em Saúde da Família pelo MEC/UFMG/ESPMG; Mestre em Ciências da Saúde (Medicina II), área de concentração Saúde Coletiva, sub-área: Educação em Saúde do CPqRR/FIOCRUZ-MInas. Doutorando da mesma área e instituição ==============================================/====================================== Ex-presidente (2005-2007) da Associação Mineira de MFC. Diretor de Publicações (2008-2010) da Sociedade Brasileira de MFC. Presidente da Associação Médica de Betim 2009-2011.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Downloads

Publicado

2004-11-17

Como Citar

1.
Coelho FLG, Savassi LCM. Aplicação de Escala de Risco Familiar como instrumento de priorização das Visitas Domiciliares. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 17º de novembro de 2004 [citado 16º de maio de 2022];1(2):19-26. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/104

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.