Gestão de cuidados ao idoso dependente: Relato de um caso

Autores

  • Dalila Rodrigues Teixeira Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Matosinhos

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1103

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Idoso Dependência (Psicologia), Cuidados Médicos, Medicina de Família e Comunidade

Resumo

O presente caso enfatiza o papel do médico de família como gestor de cuidados assistenciais ao doente sem autonomia funcional; salientando-se a importância da abordagem sistêmica no planejamento da intervenção. Maria e José, ambos octogenários, formam uma família nuclear na fase VIII, do ciclo de Duvall. Na sequência de uma hospitalização prolongada, Maria ficou acamada, verificando-se na primeira visita domiciliar que José executava de forma praticamente isolada a função de cuidador. Perante esta situação, a médica de família coordenou uma rede apoios formais e informais, que permitiram aliviar a sobrecarga de José e a recuperação da capacidade de marcha de Maria. A relevância deste caso prende-se com o fato de constituir um exemplo paradigmático da atividade distintiva do médico de família, enquanto agente executor de uma abordagem globalizante, capaz de aglutinar os múltiplos aspectos fundamentais ao bem-estar integral dos doentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Dalila Rodrigues Teixeira, Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Matosinhos

Interna complementar de Medicina Geral e Familiar

Referências

Areosa SVC, Areosa AL. Envelhecimento e dependência: desafios a serem enfrentados. Textos Contextos (Porto Alegre).

;7(1):138-50.

Silva JV, Santos SMR. Trabalhando com famílias utilizando ferramentas. Rev APS. 2003;6(2):77-86.

Machado H, Soprano ATB, Machado C, Lustosa ACP, Lima MH, Mota ACG. Identificação de riscos na família a partir do

genograma. Fam Saúde Desenv. 2005;7(2):149-57.

Mello F, Vieira S. Genograma e ecomapa: possibilidades de utilização na estratégia de saúde da família. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2005;15(1):81-91.

Falceto OG, Fernandes CLC, Wartchow ES. O médico, o paciente e sua família. In: Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2004. p.115-24.

Elsen I. Cuidado familial: uma proposta inicial de sistematização. In: Elsen I, Marcon SS, Silva MRS, orgs. O viver em família e sua interface com a saúde e a doença. 2a ed. Maringá: Eduem; 2004. p.11-24.

Sampaio D, Resina T. Família: Saúde e Doença. Lisboa: Instituto de Clínica Geral da Zona Sul; 1994.

Allen J, Gay B, Crebolder H, Heyrman J, Svab I, Ram P, et al. A Definição Europeia de Medicina Geral e Familiar (Clínica

Geral/Medicina Familiar): versão reduzida. Lisboa: EURACT; 2005.

Attias-Donfut C. Les solidarités entre générations. Vieillesse, familles, État. Paris: Nathan; 1995.

Pimentel LG, Albuquerque CP, Solidariedades familiares e o apoio a idosos. Limites e Implicações. Textos Contextos (Porto Alegre). 2010;9(2):251-63.

Silveira Filho AD, Oliveira CA, Ribeiro EM, Lopes MGD. Programa Saúde da Família em Curitiba: estratégia de implementação da vigilância à saúde. In: Ducci L, Pedotti MA, Simão MG, Moysés SJ. Curitiba: a saúde de braços abertos. Rio de Janeiro: CEBES; 2001. p.239-51.

Downloads

Publicado

2016-04-26

Como Citar

1.
Teixeira DR. Gestão de cuidados ao idoso dependente: Relato de um caso. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 26º de abril de 2016 [citado 24º de maio de 2022];11(38):1-7. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1103

Edição

Seção

Casos Clínicos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.