Estudo comparativo entre Unidades de Saúde com e sem Estratégia Saúde da Família por meio do PCATool

Julie Silvia Martins, Silvio Carlos Coelho Abreu, Michele Peixoto Quevedo, Monique Marie Marthe Bourget

Resumo


Objetivo: Comparar a presença e extensão dos atributos considerados essenciais e derivados da Atenção Primária em Saúde (APS) entre Unidades Básicas de Saúde (UBS) localizadas na zona leste do município de São Paulo que desenvolvem a Estratégia Saúde da Família (ESF) e as UBS tradicionais. Métodos: Todos os médicos (a)s, enfermeiro (a)s e cirurgiões (ãs)-dentistas contratados pela APS Santa Marcelina, que atuam em UBS, foram convidados a participar da presente pesquisa. A coleta de dados foi realizada por meio do PCATool. Resultados: Foi encontrado um melhor desempenho das UBS com ESF em relação aos atributos longitudinalidade (p=0,0330), integralidade (serviços prestados) (p=0,0011), orientação comunitária (p=0,0017) e consequentemente no escore essencial (0,0327) e geral (0,0098), apontando na direção que o processo de trabalho na ESF favorece que tais atributos apresentem melhor desempenho. Conclusão: A Estratégia Saúde da Família tem favorecido agregar qualidade à Atenção Primária à Saúde.


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde. Estratégia Saúde da Família. Avaliação de Serviços de Saúde.Avaliação em Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Declaração de Alma-Ata. Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde; 6-12 de setembro 1978; Alma-Ata; USSR. In: Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde. As Cartas da Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002. (Série B. Textos Básicos em Saúde). [acesso 2015 Ago 14]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartas_promocao.pdf

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo: Rideel; 1999.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da atenção básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial União; 2011.

Shi L, Starfield B, Xu J. Validating the Adult Primary Care Assessment Tool. J Fam Pract. 2001;50(2):161-75.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologias. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2004.

Starfield B, Shi L. Manual for the primary care assessment tools. Baltimore: Johns Hopkins University; 2009. [acesso 2015 Set 25]. Disponível em: http://www.jhsph.edu/research/centers-and-institutes/johns-hopkins-primary-care-policy-center/pca_tools.html

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: Primary Care Assessment Tool PCATool. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Harzheim E, Stein AT, Álvarez-Dardet C. A efetividade dos atributos da atenção primária sobre a saúde infantil. Bol Saúde. 2004;18(1):23-40.

Harzheim E, Stein AT, Álvarez-Dardet C, Cantero MTR, Kruse CK, Vidal TB, et al. Revisão sistemáticas sobre aspectos metodológicos das pesquisas em atenção primária no Brasil. Rev AMRIGS. 2005;49(4):248-52.

Harzheim E, Starfield B, Rajmil L, Álvarez-Dardet C, Stein AT. Consistência interna e confiabilidade da versão em português do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool-Brasil) para serviços de saúde infantil. Cad Saúde Pública. 2006; 22(8):1649-59. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000800013. PMid:16832536

Harzheim E, Duncan BB, Stein AT, Cunha CR, Gonçalves MR, Trindade TG, et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC Health Serv Res. 2006;6:156.

Macinko J, Harzheim E. Instrumento de Avaliação da Atenção Primária - sua utilização no Brasil - Entrevista. Rev Bras Saúde Fam. 2007;14:4-7.

Oliveira MMC. Presença e extensão dos atributos da atenção primária à saúde entre os serviços de atenção primária em Porto Alegre: uma análise agregada [Dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Gonçalves MR. Associação entre a qualidade da atenção primária à saúde e o processo de atenção aos portadores de diabetes mellitus adscritos aos serviços de saúde em Porto Alegre. [Dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Chomatas ERV. Avaliação da presença e extensão dos atributos da atenção primária na rede básica de saúde no município de Curitiba, no ano de 2008 [Dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2009.

Castro RCL, Knauth DR, Harzheim E, Hauser L, Ducan BB. Avaliação da qualidade da atenção primária pelos profissionais de saúde: comparação entre diferentes tipos de serviços. Cad Saúde Pública. 2012;28(9):1772-84. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000900015.

Torman VBL, Coster R, Riboldi J. Normalidade de variáveis: métodos de verificação e comparação de alguns testes não-paramétricos por simulação. Rev HCPA. 2012;32(2):227-34.

Cunha CRH. Percepção da qualidade da atenção à saúde infantil pelos médicos e enfermeiros: comparação entre o programa saúde da família e o modelo tradicional [Dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2006.

Macinko J, Almeida C, dos SE, de Sá PK. Organization and delivery of primary health care services in Petrópolis, Brazil. Int J Health Plann Manage. 2004;19(4):303-17. http://dx.doi.org/10.1002/hpm.766. PMid:15688875

Elias PE, Ferreira CW, Alves MCG, Cohn A, Kishima V, Escrivão Junior A, et al. Atenção Básica em Saúde: comparação entre PSF e UBS por estrato de exclusão social no município de São Paulo. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11(3):633-41. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300012

van Stralen CJ, Belisário SA, van Stralen TBS, Lima AMD, Massote AW, Oliveira CL. Percepção dos usuários e profissionais de saúde sobre atenção básica: comparação entre unidades com e sem saúde da família na Região Centro-Oeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2008;24(suppl.1):148-58. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300019

Ibañez N, Rocha JSY, Castro PC, Ribeiro MCSA, Forster AC, Novaes MHD, et al. Avaliação do desempenho da atenção básica no Estado de São Paulo. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11(3):683-703. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300016

Brasil. Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde-DATASUS, Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES Recursos Humanos - profissionais - indivíduos - segundo CBO 2002 - São Paulo. [Acesso 2015 Ago 7]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?cnes/cnv/prid02sp.def

Harzheim E, Álvarez-Dardet C. Evaluación de la atención a la salud

infantil de Programa Saúde da Família em la región sur de Porto Alegre, Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2007;3(9):60-1.

Conill EM. Políticas de atenção primária e reformas sanitárias: discutindo a avaliação a partir da análise do Programa Saúde da Família em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, 1994-2000. Cad Saúde Pública. 2002;18(suppl.):191-202. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2002000700019

Facchini LA, Piccini RX, Tomasi E, Thumé E, Silveira DS, Siqueira FV, et al. Desempenho do PSF no Sul e no Nordeste do Brasil: avaliação institucional e epidemiológica da Atenção Básica à Saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11(3):669-81. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300015




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1252

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia