Relatos médicos sobre formação acadêmica e trabalho na Estratégia de Saúde da Família

Jaqueline Santos Barboza, Amanda Batista da Silva Lemos, Bruna Fraga Guimarães Barreiro, Gabriela Bernardes Martins Peixoto

Resumo


Objetivo: Analisar as percepções dos médicos atuantes na Estratégia de Saúde da Família de um município de médio porte no estado de Minas Gerais sobre a formação e atuação neste nível de atenção. Métodos: Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, exploratória e descritiva, que avaliou o universo de significados, crenças, valores e atitudes dos participantes em relação ao tema. Os dados foram coletados mediante entrevista semiestruturada. Resultados: Foram realizadas 12 entrevistas com médicos de 11 unidades de saúde. Os sujeitos entrevistados relatam que os conhecimentos referentes à Estratégia de Saúde da Família no currículo da graduação foram satisfatórios e contribuíram com sua formação e atuação profissional. No entanto, a escolha pelo trabalho ainda aparece como um caminho facilitador para entrada na residência médica, principalmente por meio de programas governamentais. Conclusões: Ainda que a pesquisa tenha abordado os relatos de uma pequena parcela de médicos, a análise evidencia a importância da educação médica na sensibilização e capacitação em medicina de família e comunidade, bem como a ainda necessária valorização da carreira no nível primário de atenção. Estas temáticas permanecem no bojo das discussões quando se trata da consolidação desta estratégia no país.


Palavras-chave


Medicina de Família e Comunidade. Educação Médica. Estratégia de Saúde da Família

Texto completo:

PDF/A

Referências


Nogueira RP. A questão do médico em saúde da família. Rev Desafios do Desenvolvimento. 2006; 28(3). [Citado 2016 Dez 15]. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=853:catid=28&Itemid=23

Feuerwerker LCM. Além do discurso de mudança na educação médica: processos e resultados. Rio de Janeiro: Hucitec; 2002.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº 3, de 20 de junho de 2014. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e outras providências. Brasília: Ministério da Educação; 2014.

Nóbrega-Therrien SM, Souza PMM, Pinheiro FMC, Castro VS. Formação para estratégia saúde da família na graduação em medicina. Rev Bras de Educ Med. 2015;39(1):112-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v39n1e02212012

Souza MB, Rocha PM, Sá AB, Uchoa SAC. Trabalho em equipe na atenção primária: a experiência de Portugal. Rev Panam Salud Publica. 2013;33(3):190-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892013000300005

Minayo MCS, org. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28ª ed. Petrópolis: Vozes; 2009.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec; 2014.

Gonçalves, RJ, Soares RA, Troll T, Cyrino EG. Ser médico no PSF: formação acadêmica, perspectivas e trabalho cotidiano. Rev Bras Educ Med. 2009;33(3):382-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000300009

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 4, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Brasília: Diário Oficial da União; 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Sistema Único de Saúde (SUS): princípios e conquistas. Brasília: Ministério da Saúde; 2000. 41 p.

Falk JW. A Medicina de Família e Comunidade e sua entidade nacional: histórico e perspectivas. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2004;1(1):5-10. DOI: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc1(1)2

Rosa WAG, Labate RC. Programa Saúde da Família: a construção de um novo modelo de assistência. Rev Latino-Am Enfermagem. 2014;13(6):1027-34. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692005000600016

Rodrigues PHA, Ney MS, Paiva CHA, Souza LMBM. Regulação do trabalho médico no Brasil: impactos na Estratégia de Saúde da Família. Physis. 2013;23 (4):1147-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312013000400007




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1393

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia