Implantação do programa de controle da Tuberculose na Unidade Básica de Saúde HCPA/Santa Cecília

Autores

  • Ângela Jornada Ben Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Odalci José Pustai Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Cristina Rolim Neumann
  • Francisco Jorge Arsego Quadros de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Paulo de Tarso Roth Dalcin
  • Carla Molina

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc6(18)146

Palavras-chave:

Tuberculose, Programas, Programas de Assitência Gerenciada

Resumo

Introdução: a regionalização do controle da tuberculose (TB) é uma das metas da Vigilância (CGVS) buscando reduzir os casos de abandono do tratamento e aumentar a taxa de diagnóstico. A análise dos resultados prévios das áreas a serem regionalizadas é importante para manter e ampliar a qualidade do controle da tuberculose, além de ser uma das etapas iniciais do planejamento da atenção à saúde. Objetivo: a regionalização do atendimento à TB na área da UBS HCPA visa: (1) descentralizar a estratégia de diagnóstico e tratamento da TB; (2) implantar um sistema coordenado de atenção com foco na atenção primária; (3) georreferenciar os pacientes para otimizar a vigilância local; (4) contribuir para o treinamento dos médicos residentes em medicina de família HCPA na área de gestão dos programas da atenção primária; e (5) contribuir na redução das taxas de abandono ao tratamento. Materiais e Métodos: Fase 1 - realizou-se a estimativa do número de casos, georreferenciamento dos casos notificados e a análise da coorte utilizando os dados históricos da região de abrangência da UBS HCPA no período de janeiro de 2004 até julho de 2008, data da implantação do serviço regionalizado buscando os indicadores de atenção deste período. Fase 2 Foram criados fluxogramas de rastreamento, diagnóstico e tratamento e foi iniciado o atendimento sob supervisão. Resultados: a incidência média de TB nessa região é de aproximadamente 0,5/100.000hab/ano. Foram realizados mapas georeferenciados dos casos. Foram notificados 88 pacientes entre 1/2004 a 7/2008, sendo 55,7% da forma pulmonar (idade 39,6 ±16,8 anos), 37,5% extra-pulmonar (idade 48,2 ±17,5 anos) e o restante, formas mistas. Quanto ao local de diagnóstico: 1% na atenção primária, 89% na atenção secundária e os demais na atenção terciária.  Nos casos de TB pulmonar, a baciloscopia foi positiva em 57,1% e não realizada em 18% dos casos. Com relação ao tratamento as taxas foram 75,1%, para cura e 8,5% de abandono. Os dados do início da implantação (3 meses) mostram a pesquisa de 25 sintomáticos respiratórios por mês, o diagnóstico de um caso novo e a busca ativa de 100% dos faltosos. Conclusões: os resultados prévios da área mostram taxas de sucesso e de abandono abaixo das metas estabelecidas. A taxa de diagnóstico na atenção primária é baixa. Em função disso a descentralização deve ser acompanhada por um aumento do rastreamento dos sintomáticos respiratórios e busca ativa dos contatos, visando aumentar o diagnóstico e o desenvolvimento de tratamento supervisionado (ADOT) buscando reduzir o abandono.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ângela Jornada Ben, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Possui graduação em Medicina pela Universidade de Passo Fundo (2005). É especialista em Medicina de Família e Comunidade tendo concluído a residência médica nessa especialidade no Serviço de Atenção Primária do Hospital de Clínicas de Porto Alegre em 2009. Tem experiência na área de Estratégia de Saúde da Família, atuando principalmente nos seguintes temas: atenção primária, epidemiologia, prevenção de doenças cardiovasculares, tuberculose e asma. Atualmente é mestranda em Epidemiologia e Professora substituta do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Odalci José Pustai, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (1984), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina, relações médico-paciente, comunicação, educação médica e simulação de paciente.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Francisco Jorge Arsego Quadros de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986), Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade (CS Murialdo, 1989) e mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998). Atualmente é médico do Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição, professor do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É chefe do Serviço de Atenção Primária à Saúde do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: atenção primária à saúde, medicina de família e comunidade, residência médica, educação médica e antropologia médica.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Paulo de Tarso Roth Dalcin

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (1983), residência médica em Medicina Interna - Pneumologia no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (1984 a 1986), mestrado em Medicina (Pneumologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e doutorado em Medicina (Pneumologia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996). Atualmente é professor associado do Departamento de Medicina Interna da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando no Serviço de Pneumologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Tem vínculo com a Secretaria de saúde do Estado do RGS, através do qual desempenha o controle da tuberculose no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Atua em áreas de pesquisa sobre asma, fibrose cística do adulto, vírus respiratório e tuberculose.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2011-04-20

Como Citar

1.
Ben Ângela J, Pustai OJ, Neumann CR, Oliveira FJAQ de, Dalcin P de TR, Molina C. Implantação do programa de controle da Tuberculose na Unidade Básica de Saúde HCPA/Santa Cecília. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 20º de abril de 2011 [citado 23º de maio de 2022];6(18):75. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/146

Edição

Seção

Resumos apresentados em Congressos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.