Panorama das internações por condições sensíveis à atenção primária no Espírito Santo, Brasil, 2000 a 2014

Rosalva Grobério Pazó, Diana de Oliveira Frauches, Maria del Carmen Bisi Molina, Nagela Valadão Cade

Resumo


Objetivo: Descrever a série temporal das internações por condições sensíveis à atenção primária (ICSAP) no estado do Espírito Santo, no período de 2000 a 2014, segundo sexo, faixa etária, porte municipal, macrorregiões e grupos de causa, e investigar os fatores associados à ocorrência dessas hospitalizações. Métodos: Estudo ecológico de série temporal das ICSAP ocorridas de 2000 a 2014. A análise da série temporal foi realizada pelo método Cochrane-Orcutt, e para a análise de regressão multivariável multinível usou-se o modelo de regressão binomial negativa. Resultados: As ICSAP diminuíram 28,79% no período. As maiores taxas foram observadas entre os idosos e as crianças menores de cinco anos, e reduziram mais entre idosos e adultos. Os principais grupos de causas foram as gastroenterites infecciosas e complicações, a infecção no rim e trato urinário, e a insuficiência cardíaca. Houve redução das taxas de ICSAP na medida em que cresceu a taxa de cobertura da estratégia saúde da família (0,60, IC: 0,56-0,66), a proporção de médicos (0,90, IC: 0,84-0,96), de pretos e pardos (0,88, IC: 0,83-0,93) e de pessoas com ensino médio (0,87, IC: 0,76-0,99), enquanto houve acréscimo dessas hospitalizações a cada aumento do produto interno bruto per capita, do índice de Gini, da taxa de urbanização, dos leitos hospitalares e dos planos de saúde. Conclusão: A expansão e consolidação da estratégia saúde da família são importantes para a redução das ICSAP no estado dentre outros fatores, como recursos de saúde e fatores socioeconômicos.


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde. Estratégia Saúde da Família. Indicadores de Qualidade em Assistência à Saúde. Hospitalização.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Burgdorf F, Sundmacher L. Potentially avoidable hospital admissions in Germany: an analysis of factors influencing rates of ambulatory care sensitive hospitalizations. Dtsch Arztebl Int. 2014;111(13):215-23. DOI: 10.3238/arztebl.2014.0215

Laditka JN, Laditka SB, Probst JC. Health care access in rural areas: evidence that hospitalization for ambulatory care-sensitive conditions in the United States may increase with the level of rurality. Health Place. 2009;15(3):731-40. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.healthplace.2008.12.007

Laditka JN, Laditka SB, Probst JC. More may be better: evidence of a negative relationship between physician supply and hospitalization for ambulatory care sensitive conditions. Health Serv Res. 2005;40(4):1148-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.1475-6773.2005.00403.x

Dourado I, Oliveira VB, Aquino R, Bonolo P, Lima-Costa MF, Medina MG, et al. Trends in primary health care-sensitive conditions in Brazil: the role of the Family Health Program (Project ICSAP-Brazil). Med Care. 2011;49(6):577-84. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/MLR.0b013e31820fc39f

Boing AF, Vicenzi RB, Magajewski F, Boing AC, Moretti-Pires RO, Peres KG, et al. Redução das internações por condições sensíveis à atenção primária no Brasil entre 1998-2009. Rev Saúde Pública. 2012;46(2):359-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000011

Macinko J, de Oliveira VB, Turci MA, Guanais FC, Bonolo PF, Lima-Costa MF. The influence of primary care and hospital supply on ambulatory care-sensitive hospitalizations among adults in Brazil, 1999-2007. Am J Public Health. 2011;101(10):1963-70. DOI: http://dx.doi.org/10.2105/AJPH.2010.198887

Macinko J, Dourado I, Aquino R, Bonolo Pde F, Lima-Costa MF, Medina MG, et al. Major expansion of primary care in Brazil linked to decline in unnecessary hospitalization. Health Aff (Millwood). 2010;29(12):2149-60. DOI: http://dx.doi.org/10.1377/hlthaff.2010.0251

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Assistência à Saúde. Departamento de Atenção Básica (DAB). Teto, credenciamento e implantação das estratégias de Agentes Comunitários de Saúde, Saúde da Família e Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde. [acesso 2016 Jan 15]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/historico_cobertura_sf.php

Pazo RG, Frauches DO, Molina MCB, Cade NV. Modelagem hierárquica de determinantes associados a internações por condições sensíveis à atenção primária no Espírito Santo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2014;30(9):1891-902. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00099913

Carvalho SC, Mota E, Dourado I, Aquino R, Teles C, Medina MG. Hospitalizations of children due to primary health care sensitive conditions in Pernambuco State, Northeast Brazil. Cad Saúde Pública. 2015;31(4):744-54. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00069014

Hakeem FB, Howard DL, Carey TS, Taylor YJ. Differential Effects of Race and Poverty on Ambulatory Care Sensitive Conditions. J Health Dispar Res Pract. 2009;3(1):83-98.

Plano Diretor de Regionalização da Saúde - PDR. Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo. Espírito Santo; 2011. [acesso 2015 Fev 10]. Disponível em: http://saude.es.gov.br/Media/sesa/SISPACTO/PDR-Plano%20Diretor%20de%20Regionaliza%C3%A7%C3%A3o_ES_2011.pdf

Antunes JL, Waldman EA. Trends and spatial distribution of deaths of children aged 12-60 months in São Paulo, Brazil, 1980-98. Bull World Health Organ. 2002;80(5):391-8.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cad Saúde Pública. 2009;25(6):1337-49. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600016

Brasil VP, Costa JSD. Hospitalizações por condições sensíveis à atenção primária em Florianópolis, Santa Catarina - estudo ecológico de 2001 a 2011. Epidemiol Serv Saúde. 2016;25(1):75-84. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742016000100008

Botelho JF, Portela MC. Risco de interpretação falaciosa das internações por condições sensíveis à atenção primária em contextos locais, Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil, 2006-2011. Cad Saúde Pública. 2017;33(3):e00050915. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00050915

Marques AP, Montilla DER, Almeida WS, Andrade CLT. Hospitalization of older adults due to ambulatory care sensitive conditions. Rev Saúde Pública. 2014;48(5):817-26. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005133

Barreto JOM, Nery IS, Costa MSC. Estratégia Saúde da Família e internações hospitalares em menores de 5 anos no Piauí, Brasil. Cad Saúde Pública. 2012;28(3):515-26. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000300012

Santos LA, Oliveira VB, Caldeira AP. Internações por condições sensíveis à atenção primária entre crianças e adolescentes em Minas Gerais, 1999-2007. Rev Bras Saude Mater Infant. 2016;16(2):169-78. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-93042016000200006

Schramm JMA, Oliveira AF, Leite IC, Valente JG, Gadelha AMJ, Portela MC, et al. Transição epidemiológica e o estudo de carga de doença no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2004;9(4):897-908. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232004000400011

Souza LL, Costa JSD. Internações por condições sensíveis à atenção primária nas coordenadorias de saúde no RS. Rev Saúde Pública. 2011;45(4):765-72. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011000400017

Brasil. Ministério da Saúde. Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil. [acesso 2016 Jan 15]. Disponível em: http: tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?cnes/cnv/profides.def

Batista SRR, Jardim PCBV, Sousa ALL, Salgado CM. Hospitalizações por condições cardiovasculares sensíveis à atenção primária em municípios goianos. Rev Saúde Pública. 2012;46(1):34-42. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000001

Will JC, Nwaise IA, Schieb L, Zhong Y. Geographic and Racial Patterns of Preventable Hospitalizations for Hypertension: Medicare Beneficiaries, 2004-2009. Public Health Reports. 2014;129(1):8-18. [acesso 2016 Jan 10]. PMCID: PMC3862999 Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3862999/

Oliveira AC. Ensaios sobre atenção pública à saúde em Minas Gerais [Dissertação de mestrdo]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2007. [acesso 2012 Jan 10]. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/AMSA-7EKJRW

Carvalho DMT. Financiamento da assistência médico-hospitalar no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(4):879-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000400010

Lima CRA, Schramm JMA, Coeli CM, Silva MEM. Revisão das dimensões de qualidade dos dados e métodos aplicados na avaliação dos sistemas de informação em saúde. Cad Saúde Pública. 2009;25(10):2095-109. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009001000002




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1546

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Rosalva Grobério Pazó, Diana de Oliveira Frauches, Maria del Carmen Bisi Molina, Nagela Valadão Cade

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia