Perfil dos idosos com depressão em comunidade do município de Fortaleza

Carina Barbosa Bandeira

Resumo


A depressão em pacientes idosos tem se tornado problema comum, interferindo na sua qualidade de vida. Este problema de saúde tem sido bastante estudado, pois tem-se percebido a relação entre depressão e idade avançada e uma forma singular de depressão nos idosos. Este trabalho teve como objetivo identificar a presença de depressão nos pacientes idosos da comunidade atendida na área do Curió atendida na Unidade Básica de Saúde da Família Terezinha Parente, no município de Fortaleza, e avaliar a associação entre a doença e perfil socioeconômico e demográfico da população estudada. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo com enfoque quantitativo. Os dados foram coletados por meio de questionário estruturado e da Escala de Depressão Geriátrica (EDG) com 15 itens aplicados em todos os pacientes idosos que aceitaram participar do estudo por agentes comunitários de saúde, os quais foram devidamente treinados para aplicá-los. A prevalência de depressão no presente estudo foi de 37,6% e a distribuição de casos entre os sexos foi de 84,4% para mulheres e 15,6% para homens na população estudada. A prevalência de depressão foi maior nos idosos mais jovens: 59,38% dos casos entre 60 e 69 anos, 37,5% entre 70 e 79 anos e 3,12% acima de 80 anos. Em relação à situação financeira dos idosos do presente estudo, verificou-se que apenas 9,4% dos idosos com depressão viviam com renda superior a dois salários-mínimos. Observou-se que 74,2% dos casos de depressão detectados nos idosos da amostra total moram em domicíliosmultigeracionais, ou seja, com filhos e netos. Dentre idosos com hipertensão ou diabetes, que são casos de depressão segundo a EDG, 10% apresentam diabetes mellitus, 55% apresentam hipertensão arterial sistêmica e 35% apresentam ambas as doenças. Com base no estudo realizado com idosos do bairro Curió, pode-se propor várias ações de promoção de saúde e prevenção de doenças para melhorar a qualidade de vida do idoso atendido nas Unidades Básicas de Saúde da Família do município de Fortaleza.


Palavras-chave


Depressão; Saúde Mental; Saúde do Idoso

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc4(15)171

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia