Relato da dificuldade na implementação de teste rápido para detecção de sífilis em gestantes na Atenção Básica do SUS em um município do Sul do Brasil

Deisy da Silva Fernandes Nascimento, Rubiany Caroline da Silva, Débora de Oliveira Tártari, Érika Koch Cardoso

Resumo


Objetivo: Relatar o processo de implementação dos testes rápidos na Atenção Básica no Município de Tubarão. Métodos: Relato de experiência baseado nas vivências dos autores e em entrevistas bimestrais aos enfermeiros responsáveis pelas unidades de Estratégia de Saúde da Família e um hospital através de questionário semi-estruturado, com duração de oito meses. Resultados: No ano de 2014, os enfermeiros das unidades de Estratégia de Saúde da Família e de outros serviços de saúde receberam capacitação para execução dos testes rápidos para sífilis em gestantes e consideraram satisfatória. No entanto, apenas um hospital e uma unidade de Estratégia de Saúde da Família implantaram os testes rápidos, as demais justificaram a não implantação principalmente pela falta de infraestrutura e recursos humanos limitados. Conclusão: Este estudo demonstrou que a implantação de testes rápidos para sífilis ainda está em andamento, e exige um grande esforço de vários departamentos do Ministério da Saúde e da prefeitura em parceria.


Palavras-chave


Sífilis Congênita; Atenção Primária à Saúde; Gestantes; Estratégias; Sorodiagnóstico da Sífilis

Texto completo:

PDF/A

Referências


De Santis M, De Luca C, Mappa I, Spagnuolo T, Licameli A, Straface G, et al. Syphilis Infection During Pregnancy: Fetal Risks and Clinical Management. Infect Dis Obstet Gynecol. [Internet]. 2012 Jul [citado 2017 Out 24];2012:430585. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3398589/. DOI: http://dx.doi.org/10.1155/2012/430585

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: Sífilis 2017. SUS. [Internet]. 2017 [citado 2018 Ago 01];48(36):1-44. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/13/BE-2017-038-Boletim-Sifilis-11-2017-publicacao-.pdf

Murali MV, Nirmala C, Rao JV. Symptomatic Early Congenital Syphilis: A Common but Forgotten Disease. Case Rep Pediatr. [Internet]. 2012 Fev [citado 2017 Out 25];2012:934634. Disponível em: https://www.hindawi.com/journals/cripe/2012/934634/cta/. DOI: http://dx.doi.org/10.1155/2012/934634

Araújo CL, Shimizu HE, Sousa AI, Hamann EM. Incidence of congenital syphilis in Brazil and its relationship with the Family Health Strategy. Rev Saúde Pública. [Internet]. 2012 Jun [citado 2017 Out 24];46(3):479-86. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22635036

Domingues RM, Saracen V, Hartz ZM, Leal Mdo C. Congenital syphilis: a sentinel event in antenatal care quality. Rev Saúde Pública. [Internet]. 2013 Fev [citado 2017 Out 24];47(1):147-57. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102013000100019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102013000100019

Galvao TF, Silva MT, Serruya SJ, Newman LM, Klausner JD, Pereira MG, et al. Safety of benzathine penicillin for preventing congenital syphilis: a systematic review. PLoS One. [Internet]. 2013 Fev [citado 2017 Out 25];8(2):e56463. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23437138. DOI: http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0056463

Secretaria do Estado da Saúde (Santa Catarina). Nota Técnica nº 12/DIVE/SUV/SES/2014. Florianópolis (SC): Diretoria de Vigilância Epidemiológica DIVE/SUV/SES/SC, 2014. [Internet]. [citado 2017 Out 20]. Disponível em: http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/dst_aids/notas_tecnicas/Nota_t%C3%A9cnica_12_2014_Testes%20Rapidos.pdf

Loeffelholz MJ, Binnicker MJ. It is time to use treponema-specific antibody screening tests for diagnosis of syphilis. J Clin Microbiol. [Internet]. 2012 Jan [citado 2017 Out 25];50(1):2-6. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22090405. DOI: http://dx.doi.org/10.1128/JCM.06347-11

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Panorama do município de Tubarão, Santa Catarina [citado 2018 Ago 6]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/tubarao/panorama

Lopes ACMU, Araújo MAL, Vasconcelo LDPG, Uchoa FSV, Rocha HP, Santos JR. Implantação dos testes rápidos para sífilis e HIV na rotina do pré-natal em Fortaleza – Ceará. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016 Fev [citado 2017 Out 25];69(1):62-6. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672016000100062. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690108i

Santos EM, Reis AC, Westman S, Alves RG. Avaliação do grau de implantação do programa de controle da transmissão vertical do HIV em maternidades do “Projeto Nascer”. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2010 Set [citado 2017 Out 25];19(3):257-69. Disponivel em: http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742010000300008. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742010000300008

Macêdo VC, Bezerra AFB, Frias PG, Andrade CLT. Avaliação das ações de prevenção da transmissão vertical do HIV e sífilis em maternidades públicas de quatro municípios do Nordeste brasileiro. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2008 Ago [citado 2017 Out 25];25(8):1679-92. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000800004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000800004




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1723

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia