A utilização da atenção primária à saúde por imigrantes em Florianópolis

Vitor Camilo Cavalcante Dattoli, Donavan de Souza Lucio, Igor Tavares da Silva Chaves

Resumo


Objetivo: Conhecer o perfil do imigrante que utiliza a atenção primária de Florianópolis. Métodos: Estudo transversal de base populacional com dados cadastrais de estrangeiros moradores de Florianópolis, que utilizaram a Atenção Primária à Saúde entre os anos de 2014 e 2016. As variáveis utilizadas foram: nacionalidade, sexo, idade, nível de escolaridade, raça, endereço de moradia e tipos de serviços utilizados. Resultados: Um total de 10.108 estrangeiros utilizaram a atenção básica em Florianópolis no período do estudo, com predomínio de adultos, brancos, com ensino médio ou superior, predominância de argentinos, uruguaios e haitianos, utilizando predominantemente serviços da farmácia e consultas médicas, distribuídos em todas unidades de saúde da capital. Houve maior nível de escolaridade e maior proporção de crianças e idosos na população provinda de países desenvolvidos, além de uma menor utilização dos serviços. Discussão: Estudo pioneiro no Brasil. O perfil dos imigrantes estudados é comparável à população de estudos europeus, com predomínio de latino-americanos e caribenhos, com faixa etária prevalecendo população economicamente ativa, utilizando consultas médicas e com alta escolaridade entre imigrantes de países desenvolvidos.


Palavras-chave


Emigrantes e Imigrantes; Atenção Primária à Saúde; Perfil de Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Dancygier RM, Laitin DD. Immigration into Europe: Economic Discrimination, Violence, and Public Policy. Annu Rev Polit Sci [Internet]. 2014 May 11 [acesso 2018 Jun 24];17(1):43-64. Disponível em: http://www.annualreviews.org/doi/10.1146/annurev-polisci-082012-115925

United Nations. International Migration Report 2017. Econ Soc Aff [Internet]. 2017 [acesso 2018 Jun 29]; Disponível em: http://www.un.org/en/development/desa/population/migration/publications/migrationreport/docs/MigrationReport2017.pdf

Brasil. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo Demográfico 2010 [Internet]. Rio de Janeiro; 2012 [acesso 2018 Jun 28]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/99/cd_2010_resultados_gerais_amostra.pdf

Velasco C, Mantovani F. Em 10 anos, número de imigrantes aumenta 160% no Brasil, diz PF [Internet]. G1. 2016 [acesso 2018 Jun 24]. Disponível em: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/em-10-anos-numero-de-imigrantes-aumenta-160-no-brasil-diz-pf.html

Crimmins EM, Kim JK, Alley DE, Karlamangla A, Seeman T. Hispanic paradox in biological risk profiles. Am J Public Health [Internet]. 2007 Jul [acesso 2018 Jun 24];97(7):1305-10. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17538054

Gimeno-Feliu LA, Calderón-Larrañaga A, Diaz E, Poblador-Plou B, Macipe-Costa R, Prados-Torres A. The healthy migrant effect in primary care. Gac Sanit [Internet]. 2015 Jan [acesso 2018 Jun 24];29(1):15-20. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25176130

Kennedy S, Kidd MP, McDonald JT, Biddle N. The Healthy Immigrant Effect: Patterns and Evidence from Four Countries. J Int Migr Integr [Internet]. 2015 May 15 [acesso 2018 Jun 24];16(2):317-32. Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s12134-014-0340-x

Edberg M, Cleary S, Vyas A. A trajectory model for understanding and assessing health disparities in immigrant/refugee communities. J Immigr Minor Health [Internet]. 2011 Jun 20 [acesso 2018 Jun 24];13(3):576-84. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20306225

United Nations. World Economic Situation and Prospects. New York: United Nations [Internet]; 2016 [acesso 2018 Jun 24]. Disponível em: https://www.un.org/development/desa/dpad/wp-content/uploads/sites/45/publication/2016wesp_full_en.pdf

Priebe S, Sandhu S, Dias S, Gaddini A, Greacen T, Ioannidis E, et al. Good practice in health care for migrants: views and experiences of care professionals in 16 European countries. BMC Public Health [Internet]. 2011 Mar 25 [acesso 2018 Jun 24];11:187. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21439059

Brasil. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Síntese de Indicadores Sociais - Uma análise das condições de vida da população brasileira. Estud e Pesqui Informação Demográfica e Socioeconômica [Internet]. 2016 [acesso 2018 Jun 24];(36). Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf

Gimeno-Feliu LA, Magallón-Botaya R, Macipe-Costa RM, Luzón-Oliver L, Cañada-Millan JL, Lasheras-Barrio M. Differences in the use of primary care services between Spanish national and immigrant patients. J Immigr Minor Health [Internet]. 2013 Jun [acesso 2018 Jun 24];15(3):584-90. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22618356

Cavalcanti L, Oliveira AT, Tonhati T, orgs. A inserção dos imigrantes no mercado de trabalho brasileiro. Brasília: Cadernos do Observatório das Migrações Internacionais [Internet]; 2014 [acesso 2018 Jun 24]. p. 1-110. Disponível em: https://oestrangeirodotorg.files.wordpress.com/2014/11/relatorio-parcial-a-inserc3a7ao-dos-imigrantes-no-mercado-de-trabalho-brasileiro.pdf

Alessi MLB. A Migração de Haitianos para o Brasil. Conjunt Global [Internet]. 2013 [acesso 2018 Jun 24];2(2):82-6. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/conjgloblal/article/view/35339/21894

Sarma S, Simpson W. A microeconometric analysis of Canadian health care utilization. Health Econ [Internet]. 2006 Mar [acesso 2018 Jun 24];15(3):219-39. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16229054

de Bustillo RM, Antón JI. Health care utilization and immigration in Spain; 2009 Mar 1 [acesso 2018 Jun 24]. Disponível em: https://mpra.ub.uni-muenchen.de/12382/

De Luca G, Ponzo M, Andrés AR. Health care utilization by immigrants in Italy. Int J Health Care Finance Econ [Internet]. 2013 Mar 13 [acesso 2018 Jun 24];13(1):1-31. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23239018

Carrasco-Garrido P, Jiménez-García R, Barrera VH, de Andrés AL, de Miguel AG. Significant differences in the use of healthcare resources of native-born and foreign born in Spain. BMC Public Health [Internet]. 2009 Jun 25 [acesso 2018 Jun 24];9:201. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19555474

Diaz E, Calderón-Larrañaga A, Prado-Torres A, Poblador-Plou B, Gimeno-Feliu LA. How do immigrants use primary health care services? A register-based study in Norway. Eur J Public Health [Internet]. 2015 Feb 1 [acesso 2018 Jun 24];25(1):72-8. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25085475

Soler-González J, Serna MC, Bosch A, Ruiz MC, Huertas E, Rué M. Sick leave among native and immigrant workers in Spain--a 6-month follow-up study. Scand J Work Environ Health [Internet]. 2008 Dec [acesso 2018 Jun 24];34(6):438-43. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19137205

Fadnes LT, Møen KA, Diaz E. Primary healthcare usage and morbidity among immigrant children compared with non-immigrant children: a population-based study in Norway. BMJ Open [Internet] 2016 [acesso 2018 Jun 29];6(10):e012101. Disponível em: https://bmjopen.bmj.com/content/6/10/e012101




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)1786

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia