Há diferenças na atenção em saúde bucal entre unidades com e sem programa de saúde da família?

Alessandra Fabris Valdez

Resumo


Estudo descritivo sobre a estrutura e processo de trabalho de todas as Unidades Básicas de Saúde de uma cidade da região metropolitana de Porto Alegre (RS), referente à atenção prestada em saúde bucal. Buscou-se identificar o diferencial entre os dois modelos de atenção existentes: Programa de Saúde da Família e tradicional. Para tanto, foi utilizado um questionário semi-estruturado preenchido pelos cirurgiões-dentistas e a média das produções mensais destes profissionais, no período de julho a dezembro de 2004. Os resultados revelaram, entre outros fatores, que ambos os tipos de modelos apresentam problemas quanto ao acesso, estruturação do consultório dentário, limpeza, desinfecção e esterilização de material, porém o tratamento preventivo supera o cirúrgico-restaurador e mutilador. No Programa de Saúde da Família há maior número de atividades extra-unidade, planejamento de ações e reuniões de equipe, enquanto que nas tradicionais a primazia é o trabalho preventivo. Verificou-se que, em idêntico nível de atenção em saúde bucal pública, existem diferenças nas propostas, estratégias e processos de trabalho, contribuindo para tornar heterogênea a organização e o desenvolvimento do atendimento prestado. Assim, concluiu-se que a avaliação das estratégias e a qualificação da atenção básica se faz necessária para a consolidação da saúde bucal coletiva.


Palavras-chave


Saúde Bucal; Atenção Primária; Modelos de Atenção

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc4(15)181

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia