Prevalência de desmame precoce em um distrito sanitário da Amazônia Ocidental

Rodrigo Pinheiro Silveira

Resumo


É bem conhecido o papel da amamentação na prevenção de diversos agravos à saúde. Este trabalho tem com o objetivo determinar a prevalência do desmame precoce na área de abrangência do Centro Estadual de Formação em Saúde da Família em Rio Branco, Acre. Trata-se de um estudo de prevalência, de base populacional, com todas as famílias que possuem crianças menores de 2 anos, de 6 bairros do Distrito Industrial de Rio Branco, utilizando como base o cadastramento do Sistema de Informação em Atenção Básica. Foi definido como desmame precoce a interrupção permanente da prática do aleitamento materno antes dos três meses de idade. A prevalência de desmame precoce encontrada foi de 16,1% (63/392). Entre as crianças dos bairros de classe baixa, a prevalência de desmame precoce foi significativamente maior (p<0,05) que nos bairros de classe média (19,6% vs. 11,7%). A mediana de amamentação foi de 12,2 meses. A prevalência de desmame antes dos três meses no Distrito do Tucumã é semelhante a de outros estudos realizados no Brasil e na região Norte.


Palavras-chave


Aleitamento Materno; Desmame; Epidemiologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc2(5)21

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia