Implicações da utilização do conceito de risco para a prática em APS

Michele Lopes Pedrosa, Carlos Eduardo Aguilera Campos

Resumo


A produção do conhecimento e as ações de saúde têm relação direta com as bases conceituais e metodológicas dadas pela Epidemiologia. Três temas relevantes do conceito de risco são problematizados neste texto: as construções de inferências coletivas a partir da apreciação de agregados; a necessidade de redução da complexidade dos fenômenos estudados e seu isolamento de influências externas; o descarte da subjetividade na construção dos modelos que prezam pela objetividade, linearidade e rigidez. As implicações deste pensamento científico são analisadas em suas potencialidades e, especialmente, em suas limitações para a prática clínica na Atenção Primária em Saúde.


Palavras-chave


Epidemiologia; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc2(5)24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia