Perfil epidemiológico de gestantes e qualidade do pré-natal em unidade básica de saúde em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Rosa Maria Teixeira Gomes, Juraci Almeida César

Resumo


Objetivo: Conhecer o perfil e avaliar a qualidade do pré-natal de gestantes que deram à luz em 2008 atendidas na Unidade Básica de Saúde (UBS) Panorama em Porto Alegre, RS, Brasil. Método: estudo transversal com questionário aplicado às gestantes no domicílio e na UBS, buscando informações sobre características demográficas, reprodutivas e sobre o tipo de assistência recebida durante a gestação e o parto. A análise consistiu de listagem de frequência e obtenção de medidas de tendência central e dispersão. Resultados: Dentre as 238 gestantes entrevistadas, 20% eram adolescentes, 38% possuía nove ou mais anos de estudo, três quartos viviam com companheiro e 40% trabalharam fora de casa durante a gravidez; um quarto das famílias possuía renda mensal inferior a um salário mínimo (SM), com mediana de R$ 700,00. Com relação à saúde reprodutiva: em média, a menarca ocorreu aos 13 anos e a primeira relação sexual aos 16, 25% referiram ter sofrido pelo menos um aborto e, aos 19 anos, 60% já eram mães. No pré-natal, 87% consultaram seis ou mais vezes, cerca de três quartos o iniciaram no primeiro trimestre e 85% receberam vacina antitetânica e suplementação com sulfato ferroso. De acordo com o Índice de Kessner modificado por Takeda e Silveira, o cuidado pré-natal foi considerado adequado em 80% e 49% dos casos, respectivamente. Conclusões: a UBS Panorama atende gestantes carentes socioeconomicamente mas que iniciam o pré-natal cedo, realizando elevado número de consultas de pré-natal, porém, em termos qualitativos, recebem serviço insatisfatório quanto à assistência à gestação e ao parto.


Palavras-chave


Cuidado Pré-natal; Centros de Saúde; Avaliação de Serviços de Saúde; Qualidade da Assistência à Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Tábua completa de mortalidade para o Brasil – 2011. Rio de Janeiro: IBGE; 2012.

Macinko J, Guanais FC, Souza MFM. Evaluation of the impact of the Family Health Program on infant mortality in Brazil, 1990-2002. J Epideiol Community Helth. 2006; 60:13-9. http://dx.doi.org/10.1136/jech.2005.038323

Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Victora CG, Cesar JA. Saúde Materno-infantil no Brasil: padrões de morbidade e possíveis intervenções. In: Rouquayrol MZ, Almeida-Filho NM. Epidemiologia e saúde. 6. ed. Rio de Janeiro: MEDSI; 2003. p. 415-67.

Barros FC, Victora CG, Matijasevich AM, Santos IS, Horta BL, Silveira MF, et al. Preterm births, low birth weight, and intrauterine growth restriction in three birth cohorts in Southern Brazil: 1982, 1993 and 2004. Cad Saúde Pública. 2008; 24(3): 390-98. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001500004

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica da Mulher. Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Rev Bras Saúde Mat Infant. 2002; 2:69-71.

Cesar JA, Sutil AT, Santos GB, Cunha CF, Mendonza-Sassi RA. Prenatal care in public and private health services: a population-based survey in Rio Grande, Rio Grande do Sul State, Brazil. Cad Saúde Pública. 2012; 28: 2106-14. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012001100010

Halpern R, Barros FC, Victora CG, Tomasi E. Atencão pré-natal em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, 1993. Cad Saúde Pública. 1998; 14(3): 487-92. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1998000300004

Neumann NA, Tanaka OY, Victora CG, César JA. Qualidade e equidade da atenção ao pré-natal e ao parto em Criciúma, Santa Catarina, Sul do Brasil. Rev Bras Epidemiol. 2003; 6(4): 307-18. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2003000400005

Puccini RF, Pedroso GC, Silva EMK, Araújo NS, Silva NN. Equidade na atenção pré-natal e ao parto em área da região metropolitana de São Paulo. Cad Saúde Pública. 2003; 19(1): 35-45. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000100005

Cesar JA , Gonçalves TS, Neumann NA, Oliveira JAO Fº, Diziekaniak AC. Saúde infantil em áreas pobres das regiões Norte e Nordeste do Brasil: comparando indicadores básicos em áreas atendidas pela Pastoral da Criança e áreas-controle. Cad Saúde Pública. 2005; 21(6): 1845-55. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000600034

Cesar JA, Victora CG. Avaliando saúde infantil em uma pequena comunidade: o estudo de Itapirapuã, Vale do Ribeira, SP. Cad Saúde Pública. 1990; 6(4): 455-67. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1990000400007

Trevisan MdR, Lorenzi DRSD, Araújo NMd, Ésber K. Perfil da Assistência Pré-Natal entre Usuárias do Sistema Único de Saúde em Caxias do Sul. Rev Bras Ginecol Obstet. 2002; 24(5): 293-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032002000500002

Cesar JA, Chrestani MAD, Fantinel EJ, Gonçalves TS, Neumann NA. Saúde infantil em áreas pobres: resultados de um estudo de base populacional nos municípios de Caracol, Piauí, e Garrafão do Norte, Pará, Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25(4): 809-18. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000400012

Halal IS, Sparrenberger F, Bertoni AM, Ciacomet C, Seibel CE, Lahude FM, et al. Avaliação da qualidade de assistência primária à saúde em localidade urbana da região sul do Brasil. Rev Saúde Pública. 1994; 28(2): 131-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101994000200007

Silveira DS, Santos IS, Costa JSD. Atenção pré-natal na rede básica: uma avaliação da estrutura e do processo. Cad Saúde Pública. 2001; 17(1): 131-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2001000100013

Costa JSD, Madeira ACC, Luz RM, Britto MAP. Auditoria médica: programa de pré-natal em posto de saúde na região Sul do Brasil. Rev Saúde Pública. 2000; 34(4): 329-36. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102000000400003

Takeda S. Avaliação da qualidade do pré-natal: Programa para Gestantes em Unidade de Atenção à Saúde. [Dissertação]. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas; 1993.

Chrestani MAD, Santos IS, Cesar JA, Winckler LS, Gonçalves TS, Neumann NA. Assistência à gestação e ao parto: resultados de dois estudos transversais em áreas pobres das regiões Norte e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2008; 24(7): 1609-18. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000700016

Coimbra LC, Silva AAM, Mochel EG, Alves MTSSB, Ribeiro VS, Aragão VMF, et al. Fatores associados à inadequação do uso da assistência pré-natal. Rev Saúde Pública. 2003; 37(4): 456-62. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102003000400010

Porto Alegre. Secretaria Municipal da Cultura. Memória dos bairros - Lomba do Pinheiro. Porto Alegre: Secretaria Municipal da Cultura; 2000.

Silva IS. Cancer epidemiology: principles and methods. Lyon: World Health Organization & International Agency for Research on Cancer; 1999.

Brasil. Ministério da Saúde. Pré-natal e puerpério. Atenção qualificada e humanizada. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Dean AG, Dean JA, Coulombier D, Brendel KA, Smith DC, Burton AH, et al. Epi-Info. version 6: A Word Processing, Database, and Statistics Program for Epidemiology on Microcomputers. Atlanta: Centers of Disease Control and Prevention; 2002.

StataCorp. Stata statistical software: release 7.0. College Station: Stata Corporation; 2001.

Porto Alegre. Secretaria Municipal da Saúde. Sistema de informações sobre nascidos vivos. Porto Alegre: Secretaria Municipal da Saúde; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher. Brasília: MS; 2006. [acesso em 2009 dez. 27]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/pnds/

Cesar JA, Mendoza-Sassi RA, Ulmi EF, Dall’Agnol MM, Neumann NA. Diferentes estratégias de visita domiciliar e seus efeitos sobre a assistênca pré-natal no extremo Sul do Brasil. Cad de Saúde Pública. 2008; 24(11): 2614-22. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001100016

Cesar JA, Mendoza-Sassi R, Horta BL, Ribeiro PRP, D’Avila AC, Martins FMSB, et al. Basic indicators of child health in an urban area in southern Brazil: estimating prevalence rates and evaluating differentials. J Pediatr. 2006; 82(6): 437-44.

Moura ERF, Holanda FH Jr, Rodrigues MSP. Avaliação da assistência pré-natal oferecida em uma microrregião de saúde do Ceará, Brasil. Cad Saúde Pública. 2003; 19(6): 1791-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000600023

Parada CMGL. Avaliação da assistência pré-natal e puerperal desenvolvidas em região do interior do Estado de São Paulo em 2005. Rev Bras Saude Mater Infant. 2008; 8(1): 113-24. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292008000100013

Barros AJD, Santos IdSd, Victora CG, Albernaz EP, Domingues MR, Timm IK, et al. Coorte de nascimentos de Pelotas, 2004: metodologia e descrição. Cad Saúde Pública. 2006; 40(3): 402-13. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000300007

Coutinho T, Teixeira MTB, Dain S, Sayd JD, Coutinho LM. Adequação do Processo de Assistência Pré-natal entre as Usuárias do Sistema Único de Saúde em Juiz de Fora-MG. Rev Bras Ginecol Obstet. 2003; 25: 717-24. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032003001000004




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc8(27)241

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia