“Cuidando do Ursinho”

extensão universitária interdisciplinar em saúde da criança

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2524

Palavras-chave:

Educação em Saúde, Atendimento Básico, Apoio ao Desenvolvimento de Recursos Humanos, Jogos e Brinquedos, Abuso Sexual da Criança.

Resumo

O “Cuidando do Ursinho” é um projeto de extensão universitária interdisciplinar criado em 2016, que iniciou seu trabalho realizando atividades educativas com crianças envolvendo uma “consulta” clínica de um bichinho de pelúcia. Com a observação dos resultados positivos obtidos nessas experiências e com a análise da necessidade de criação de metodologias de educação em saúde para o ambiente escolar, foi criado um jogo de tabuleiro chamado “Liga da Saúde”, trabalhado com crianças escolares de escolas públicas. Objetiva-se a desconstrução do medo do profissional de saúde; a construção de conhecimentos acerca do SUS e a integração entre aprendizado escolar e cuidado em saúde. Para isso, as crianças são convidadas a formarem uma equipe de saúde a fim de desvendar os mistérios da “Ursolândia”, uma cidade na qual muitos ursinhos estão ficando doentes. Para isso, cada um dos alunos ganha um passaporte (cartão SUS) para entrar no jogo e um “poder”, que representa uma das 4 funções dos profissionais da APS (médico, enfermeiro, agente de saúde e dentista). No decorrer da história, as crianças devem realizar missões que envolvem a discussão de diversos temas como dengue, reconhecimento da comunidade, partes do corpo, respeito às diferenças, meio ambiente, alimentação, saúde mental, vacinação, atividade física, gênero e saúde bucal. Foi possível perceber que os conhecimentos trabalhados foram aprendidos pelas crianças, como a função das agentes de saúde, o preparo de soro caseiro, o reconhecimento de mapas, a leitura de horas no relógio, entre outros. Ademais, valores como liderança e trabalho em equipe são incorporados, fazendo com que as crianças entendam que não precisam competir umas com as outras. Desse modo, há uma troca intensa de afeto e saberes entre estudantes e crianças, reinventando a arte do cuidar, na prática da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Debora Carvalho Ferreira, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, Brasil.

Medica com especialidade em Medicina de Família e Comunidade. Mestra em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Doutora em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva pelo programa de Pós-Graduação Interinstitucional da UFRJ/UERJ/UFF/ENSP. Professora do Departamento de Medicina e Enfermagem da da Universidade Federal de Viçosa/MG. Integrante da Comissão de Assessora de Área da Medicina do ENADE 2019 do INEP/MEC. Supervisora do Programa Mais Médico. Tutora do Curso EAD de Preceptoria em Medicina de Família e Comunidade pela UNASUS/UFRGS. http://lattes.cnpq.br/7302509761004738

 

 

Karen Vieira da Silva, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, Brasil.

Estudante de Graduação do Curso de Medicina da Universidade Federal de Viçosa.

Referências

(1) Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Caderno de educação popular e saúde. Série B. Textos básicos de saúde [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2007; [acesso 2019 Nov 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/ bvs/publicacoes/caderno_educacao_popular_saude_p1.pdf

(2) Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de atenção básica: saúde na escola. Série B. Textos Básicos de Saúde, n. 24 [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009; [acesso 2019 Out 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_24.pdf

(3) Pelicioni C. A escola promotora de saúde [dissertação] [Internet]. São Paulo (SP): Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; 1999; [acesso 2019 Nov 2]. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-01072006-211720/pt-br.php

(4) Freire P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez Editora; 1991.

(5) Ministério da Educação (BR). Secretaria de Educação Básica. O brincar como um modo de ser e estar no mundo [Internet]. 2ª ed. Brasília (DF): Ministério da Educação; 2007; [acesso 2019 Nov 20]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/ ensifund9anobasefinal.pdf

(6) Hockenberry MJ. Wong, fundamentos de enfermagem pediátrica. 9ª ed. São Paulo: Mosby; 2006.

(7) Barton PH. Nursing assessment and intervention through play. In: Bergeson BS, et al. Current concepts in clinical nursing. Saint Louis: Mosby; 1969. p. 203-17.

(8) Clatworth SM. The effect of therapeutic play on the anxiety behavior of hospitalized children [dissertação] [Internet]. Boston: University School of Education Boston; 1978; [acesso 2019 Nov 19]. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1979-24313-001

(9) Green CS. Understanding children’s needs through therapeutic play. Nursing. 1974;4(10):31-2.

(10) Vygotsky LS. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes; 1988.

(11) Ribeiro CA, Borba RIH, Rezende MA. O brinquedo na assistência à saúde da criança. In: Fujimori E, Ohara CVS, orgs. Enfermagem e a saúde da criança na atenção básica. São Paulo: Manole; 2009. p. 287-327.

(12) Dominiki Klug. Teddy Bear Hospital. Fighting fears with Teddy Bears [Internet]. Austria: Dominiki Klug; 2016; [acesso em 2019 Jan 16].Disponível em: https://www.dominikklug.com/my-projects

(13) Oliveira BG, Silva KRP, Marques ACF, Soares EM, Cardoso MLF. Superando o medo na infância do ambiente hospitalar: a experiência do projeto hospital do ursinho. Intercâmbio (Montes Claros) [Internet]. 2016; [citado 2019 Nov 25]; 7:480-7. Disponível em: http://www. intercambio.unimontes.br/index.php/intercambio/article/view/119

(14) Hart JT. The inverse care law. Lancet. 1971 Feb;297(7696):405-12. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(71)92410-X

(15) Carranca A. Malala, a menina que queria ir para a escola. São Paulo: Companhia das Letrinhas; 2015.

(16) Wajskop G. Brincar na Escola. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1999. 48 v.

(17) Rodrigues LM. A criança e o brincar [dissertação] [Internet]. Mesquista (RJ): Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ); 2009; [acesso 2019 Out 15]. Disponível em: http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/desafios-cotidianos/arquivos/integra/ integra_Rodrigues.pdf

Downloads

Publicado

2021-01-26

Como Citar

1.
Ferreira DC, Silva KV da, Balbueno A, Silva CH da. “Cuidando do Ursinho”: extensão universitária interdisciplinar em saúde da criança. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 26º de janeiro de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];16(43):2524. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2524

Edição

Seção

Relatos de Experiência