Um Melanoma “mascarado”

Cláudia Sofia Rego, Ana Luísa Silva, Elias Ribeiro

Resumo


O melanoma é um tumor que se desenvolve como resultado da transformação maligna dos melanócitos, estimando-se a sua incidência global em 132.000 casos/ano. Este relato de caso reporta-se a um doente do sexo masculino com 70 anos, história de Diabetes Mellitus tipo 2 há dez anos e psoríase vulgar extensa há seis anos. Em aproximadamente um ano, este desenvolveu lesão ulcerada da região plantar do pé direito, que ao exame histológico revelou melanoma maligno, ulcerado, nível V de Clark, com 5,6 mm de espessura (Breslow). Foi submetido à exérese cirúrgica da lesão e biópsia de gânglio sentinela que foi negativa. O estadiamento inicial revelou evolução avançada do tumor primário (TNM IIC). Exames imagiológicos detetaram metastização gástrica, reclassificando a doença num estádio TNM IV. O melanoma maligno pode ser de difícil diagnóstico como se pode constatar neste caso em que uma ulceração plantar foi avaliada tardiamente, atrasando o diagnóstico de uma neoplasia grave e com elevada taxa de mortalidade.


Palavras-chave


Melanoma; Úlcera do Pé; Diabetes Mellitus

Texto completo:

PDF/A

Referências


Tan WW. Malignant Melanoma [online]. Medscape [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: http://emedicine.medscape.com/article/280245-overview

Armstrong AW, Liu V, Mihm M. Pathologic characteristics of melanoma [online]. UpToDate. [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: http://www.uptodate.com/contents/pathologic-characteristics-of-melanoma?source=search_result&selectedTitle=1%7E150

Swetter SM. Cutaneous Melanoma [online]. Medscape [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: http://emedicine.medscape.com/article/1100753-overview

World Health Organization [online]. Skin Cancers [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: URL: http://www.who.int/uv/faq/skincancer/en/index1.html

Lane JE, Dalton RR, Sangueza OP. Melanoma cutâneo: detectar precocemente, ponderar as opções de tratamento. Postgrad Med. 2007; 28(2):35-46.

Testori A, Soteldo J, Sances D, Mazzarol G, Trifirò G, Zonta Mark, et al. Cutaneous melanoma in the elderly. Melanoma Res. 2009; 19:125-134. PMid:19381113. http://dx.doi.org/10.1097/CMR.0b013e328329fe95

Bradford PT, Goldstein AM, McMaster ML, Tucker MA. Acral Lentiginous Melanoma Incidence and Survival Patterns in the United States, 1986-2005. Arch Dermatol. 2009; 145(4):427-434. PMid:19380664. PMCid:2735055. http://dx.doi.org/10.1001/archdermatol.2008.609

Miguel Junior A. Estudo de Caso - úlcera plantar em diabético [online]. Medicina Geriatrica; 2008 [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: http://www.medicinageriatrica.com.br/category/dermatogeriatria/page/7/

Minelli L, Nonino AB, Salmazo JC, Neme L, Marcondes M. Diabetes mellitus e afecções cutâneas. An Bras Dermatol. 2003; 78(6): 735-747 [online] [acesso em 2010 Nov 29]. http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962003000600010

Marsden JR, Newton-Bishop JA, Burrows L, Cook M, PG, Corrie PG, Cox NH et al. Revised U.K. Guidelines for the Management of Cutaneous Melanoma. Br J Dermatol. 2010; 163(2): 238-256. PMid:20608932. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-2133.2010.09883.x

Scottish Intercollegiate Guidelines Network. Cutaneous Melanoma, a national clinical guideline. 2003. p. 4-20.

Evidence-Based Medicine Guidelines.Melanoma [online] [acesso em 2010 Nov 29]. Disponível em: http://ebmg.onlinelibrary.wiley.com/ebmg/ltk.koti




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc7(22)263

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia