Condução de um caso de infecção de sítio operatório de cavidade peritoneal em uma Unidade Básica de Saúde no início da Pandemia por COVID-19 no município de Bocaina do Sul – SC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2664

Palavras-chave:

Coronavirus, Cirurgia, Infecções.

Resumo

Introdução: O mundo foi surpreendido pela pandemia COVID-19, uma infecção viral causada pelo SARS-COV-2, iniciada em Wuhan, na República Popular da China, em dezembro de 2019. Além dessa nova doença, o Brasil inteiro continuou a lidar com outras doenças que atormentam nossos pacientes há décadas. Apresentamos um relato de caso de infecção do sítio operatório da cavidade peritoneal que ocorreu no início da Pandemia pelo COVID-19 no Brasil. Relato De Caso: paciente submetido a prostatectomia radical, evoluiu com infecção do sítio operatório 30 dias após a cirurgia, possuía coleção na parede abdominal e na pelve interconectadas entre si, que poderia ser drenada com dreno de parede. Discussão: A taxa de infecção do sítio operatório pode chegar a 5% em cirurgias de prostatectomia radical, que é uma taxa aceitável. O início da pandemia no Brasil impediu que os pacientes retornassem aos grandes hospitais, de certa forma, devido ao medo ou à incerteza. Conclusão: Apresentamos um caso de infecção do sítio cirúrgico que coincidiu com o início da pandemia de coronavírus no Brasil que pode ser tratada em uma unidade básica de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

(1) Novel Coronavirus Pneumonia Emergency Response Epidemiology Team. Vital surveillances: the epidemiological characteristics of an outbreak of 2019 novel coronavirus diseases. (COVID-19)—China, 2020. China CDC Weekly. Chinese Center for Disease Control and Prevention CCDC Weekly. 2020; 2 (811): 8119 DOI: https://doi.org/10.46234/ccdcw2020.032

(2) Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Série Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde 2. ed. [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017[cited 2017 Ago 12]. Available from: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/Medidas+de+Preven%C3%A7%C3%A3o+de+Infec%C3%A7%C3%A3o+Relacionada+%C3%A0+Assist%C3%AAncia+%C3%A0+Sa%C3%BAde/6b1 6dab3-6d0c-4399-9d84-141d2e81c809

(3) MINISTÉRIO DA SAÚDE (Brasil). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Sítio Cirurgico. In: Sítio Cirurgico. Brasil, 1 maio 2009. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/criterios_nacionais_ISC.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.

(4) Gillitzer R, Thuroff JW. Relatives advantages and disadvantages of radical perineal prostatectomy versus radical retropubic prostatectomy. Criticals Reviews in Oncology/Hematology. 2002;43(2):167-90. DOI: https://doi.org/10.1016/S1040-8428(02)00016-1

(5) Sullivan LD, Weir MJ, Kinahan JF, Taylor D. A comparison of the relative merits of radical perineal and radical retropubic prostatectomy. BJU Int. 2000;85(1):95-100. DOI: https://doi.org/10.1046/j.1464-410x.2000.00405.x

(6) Anderson DJ, Podgorny K, Berríos-Torres SI, Bratzler DW, Dellinger EP, Greene, et al. Strategies to Prevent Surgical Site Infections in Acute Care Hospitals: 2014 Update. Infect Control Hosp Epidemiol. 2014;35(6):605–27. DOI: https://doi.org/10.1086/676022

(7) Badia JM, Casey AL, Petrosillo N, Hudson PM, Mitchell SA, Crosby C. Impact of surgical site infection on healthcare costs and patient outcomes: a systematic review in six European countries. J Hosp Infect. 2017;96(1):1-15. PMID: 28410761 DOI: https://doi.org/10.1016/j.jhin.2017.03.004

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

1.
Medeiros B. Condução de um caso de infecção de sítio operatório de cavidade peritoneal em uma Unidade Básica de Saúde no início da Pandemia por COVID-19 no município de Bocaina do Sul – SC. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 30º de maio de 2021 [citado 22º de junho de 2021];16(43):2664. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2664

Edição

Seção

Casos Clínicos