Construindo bases para os cuidados paliativos na atenção primária

relato de experiência do Projeto Manto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)2890

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Cuidados Paliativos, Práticas interdisciplinares.

Resumo

Problema: Trata-se de um relato de experiência sobre a idealização e a fase de implantação do Projeto Manto de Assistência em Cuidados Paliativos, desenvolvido em uma unidade básica de saúde do município de Caruaru (PE). Método: O Projeto Manto contou tanto com estratégias de educação continuada da equipe multiprofissional como com assistência integral à saúde do paciente em Cuidados Paliativos e acolheu 12 usuários nessa fase. Resultados: O projeto impactou a realidade de trabalho e cuidado de mais de uma equipe de saúde da família; promoveu e reforçou vínculos de unidades de cuidado pessoa/família com as equipes e consolidou-se como boa prática e experiência exitosa na Atenção Primária à Saúde e no Sistema Único de Saúde. Conclusão: A experiência do Projeto Manto desafia a realidade do interior do Nordeste brasileiro em um contexto de crise econômica, fragilidade na formação de profissionais e educação permanente de trabalhadores da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alberto Gorayeb de Carvalho Ferreira, Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira

Psiquiatra pelo Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (IMIP) (2018-2021). Mestrando em Cuidados Paliativos pelo IMIP (2019-2021). Membro da Câmara Temática de Cuidados Paliativos Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (CREMEPE).

Arthur Fernandes da Silva, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), Brasília, DF, Brasil.

Médico Paliativista (2019-2020) e Mestrando em Cuidados Paliativos pelo IMIP (2019-2021). Médico de Família e Comunidade pela Secretaria de Saúde da Prefeitura da Cidade do Recife (2017-2019), atuando na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). Membro dos Grupos de Trabalho em Espiritualidade e Saúde e em Cuidados Paliativos da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC). Membro do Comitê de Atenção Primária da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (SBMFC).

 

Referências

Guarieto ME, Neri AL. Assistência ambulatorial ao idoso. Campinas: Editora Alínea; 2010.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc Saúde Coletiva 2010;15(5):2297-305. http://doi.org/10.1590/S1413-81232010000500005 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000500005

World Health Organization. Noncommunicable Diseases. Country Profiles 2014. Geneva: World Health Organization; 2014. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/128038/9789241507509_eng.pdf;jsessionid=A4A6C6CC74E46A810D3AE015EC9B9AE5?sequence=1

Malta DC, Moura L, Silva Junior JB. Epidemiologia das doenças crônicas não – transmissíveis no Brasil. In: Rouquaryol MZ, Gurgel M, eds. Rouquaryol: Epidemiologia e Saúde. 7a ed. Rio de Janeiro: Medbook; 2013. p. 273-96.

World Health Organization. Palliative Care. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: http://www.who.int/cancer/palliative/definition/en/.

Arantes ACLQ. Indicações de cuidados paliativos. In: Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Manual de cuidados paliativos. Rio de Janeiro: Diagraphic; 2009. p. 20-36. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: https://www.portaldaenfermagem.com.br/downloads/manual-cuidados-paliativos.pdf

The Economist. Intelligence Unit. The 2015 quality of death: ranking palliative care across the world. 2015. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: https://www.eiuperspectives.economist.com/sites/default/files/2015%20EIU%20Quality%20of%20Death%20Index%20Oct%2029%20FINAL.pdf.

Kovács MJ. Educação para a morte: temas e reflexões. 2a ed. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2008.

Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Critérios de qualidade para os cuidados paliativos no Brasil. Rio de Janeiro: Diagraphic, 2006.

Borgsteede SD, Deliens L, van der Wal G, Francke AL, Stalman WAB, van Eijk JTM. Interdisciplinary cooperation of GPs in palliative care at home: a nationwide survey in the Netherlands. Scand J Prim Health Care 2007;25(4):226-31. https://doi.org/10.1080/02813430701706501 DOI: https://doi.org/10.1080/02813430701706501

Starlfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_primaria_p1.pdf

Corrêa SR, Mazuko C, Mitchell G, Pastrana T, Lima L, Murray S. Identificando pacientes para cuidados paliativos na atenção primária no Brasil: experiência do Projeto Estar ao Seu Lado. Rev Bras Med Fam Comunidade 2017;12(39):1-8. https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1507 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1507

Koenig HG, Parkerson GR, Meador KG. Religion index for psychiatric research. Am J Psychiatry 1997;154(6):885-6. https://doi.org/10.1176/ajp.154.6.885b DOI: https://doi.org/10.1176/ajp.154.6.885b

Gonçalves AMS, Pillon SC. Adaptação transcultural e avaliação da consistência interna da versão em português da Spirituality Self Rating Scale (SSRS). Rev Psiq Clín 2009;36(1):10-5. http://doi.org/10.1590/S0101-60832009000100002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-60832009000100002

Lau F, Downing GM, Lesperance M, Shaw J, Kuziemsky C. Use of palliative performance scale in end-of-life prognostication. J Palliat Med 2006;9(5):1066-75. http://doi.org/10.1089/jpm.2006.9.1066 DOI: https://doi.org/10.1089/jpm.2006.9.1066

Karnofsky DA, Burchenal JH. The clinical evaluation of chemotherapeutic agents in cancer. In: MacLeod CM, ed. Evaluation of chemotherapeutic agents. New York: Columbia University Press; 1949. p. 191-205.

Katz S, Ford AB, Moskowitz RW, Jakson BA, Jaffe MW. Studies of illness in the aged. The index of ADL: a standardized measure of biological and psychosocial function. JAMA. 1963;185(12):914-9. http://doi.org/10.1001/jama.1963.03060120024016 DOI: https://doi.org/10.1001/jama.1963.03060120024016

Bruera E, Kuehn N, Miller MJ, Selmer P, Macmillan K. The Edmonton Symptom Assessment System (ESAS): a simple method for the assessment of palliative care patients. J Palliat Care 1991;7(2):6-9. https://doi.org/10.1177/082585979100700202 DOI: https://doi.org/10.1177/082585979100700202

Pimenta CAM, Teixeira MJ. Questionário de dor McGill: proposta de adaptação para a língua portuguesa. Rev Esc Enferm. USP 1996;30(3):473-83. https://doi.org/10.1590/S0080-62341996000300009 DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62341996000300009

Almeida OP, Almeida SA. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arq Neuropsiquiatr 1999;57(2-B):421-6. https://doi.org/10.1590/S0004-282X1999000300013 DOI: https://doi.org/10.1590/S0004-282X1999000300013

Saporetti LA, Andrade L, Sachs MFA, Guimarães TVV. Diagnóstico e abordagem do sofrimento humano. In: Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP). Manual de cuidados paliativos. Rio de Janeiro: Diagraphic; 2012.

Vasconcelos EM. A espiritualidade no cuidado e na educação em saúde. In: Vasconcelos EM, org. A espiritualidade no trabalho em saúde. São Paulo: Hucitec; 2006. p. 13-157.

Boff L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes; 1999.

Merhy EE, Onocho R. Agir em saúde, um desafio para o público. São Paulo: Hucitec; 1997.

Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei no 8.080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições de promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União. 19 set 1990. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria no 1083, de 02 de outubro de 2012. Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Dor Crônica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 out. 2012. Seção I, p 54. [acessado em 1 nov. 2021]. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/abril/02/pcdt-dor-cronica-2012.pdf

Abel J, Kellehear A, Karapliagou A. Palliative care – the new essentials. Ann Palliat Med 2018;7(Suppl 2):S3-S14. https://doi.org/10.21037/apm.2018.03.04 DOI: https://doi.org/10.21037/apm.2018.03.04

Vieira RR, Robortella AR, Souza AB, Kerr GS, Oliveira JAC. Vida e morte na atenção primária à saúde: reflexões sobre a vivência do médico de família e comunidade ante a finitude da vida. Rev Bras Med Fam Comunidade 2017;11(38):1-7. https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1281 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1281

Publicado

2022-03-04

Como Citar

1.
Ferreira AG de C, Silva AF da. Construindo bases para os cuidados paliativos na atenção primária: relato de experiência do Projeto Manto. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 4º de março de 2022 [citado 23º de maio de 2022];17(44):2890. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2890

Edição

Seção

Relatos de Experiência