Coping espiritual/religioso e fim de vida

revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)3011

Palavras-chave:

Cuidados paliativos na terminalidade da vida, Coping religioso-espiritual, Espiritualidade.

Resumo

Introdução: A espiritualidade/religiosidade é considerada uma dimensão essencial nas boas práticas em cuidados paliativos, principalmente durante a fase de terminalidade. Esses pacientes, assim como seus familiares, fazem uso de estratégias de coping espiritual/religioso. Objetivo: O objetivo desta revisão é mostrar a relação entre o coping espiritual/religioso e o processo de terminalidade. Método: A metodologia aplicada foi a revisão sistemática e utilizou PubMed, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), PsycINFO e Scientific Electronic Library Online (SciELO) como bases de dados. Resultado: Foram capturados 96 artigos e sete foram selecionados para análise. Tais artigos abordaram questões de apego, tipos de coping, significado da doença e dificuldades de mensuração da espiritualidade/religiosidade. Conclusão: Os estudos demonstram que o coping espiritual/religioso influencia na qualidade da morte durante o processo de terminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Valéria Carolina Armas Villegas, Faculdades Pequeno Príncipe – Curitiba (PR), Brasil.

Estudante do 10º período de medicina nas Faculdades Pequeno Príncipe (FPP) em Curitiba-PR. Embaixadora de Saúde Planetária USP 2021 (Programa de Embaixadores de Saúde Planetária).

Andressa Luciani Pereira Rodrigues , Faculdades Pequeno Príncipe – Curitiba (PR), Brasil.

Formou-se no ensino médio pela Associação Educacional Luterana Bom Jesus IELUSC, Joinville - SC (2014). Participou do Projeto Resgate, em Joinville - SC, dando aulas de assistência aos alunos bolsistas na Associação Educacional Luterana Bom Jesus IELUSC (2012 - 2013). Ingressou no curso de graduação em medicina nas Faculdades Pequeno Príncipe, Curitiba - PR (2016) e atualmente cursa o nono período. Foi monitora bolsista de FAB 3 (Farmacologia e Bioquímica) (2018/1), voluntária de HMC 8 (Habilidades Médicas e Comunicação) (2019/1) como paciente simulada. Foi monitora bolsista das aulas de Simulação, com intuito de auxiliar na construção de melhores pacientes simulados para a Faculdades Pequeno Príncipe (2019/2). Membro do Projeto de Iniciação Científica em Cuidados Paliativos das Faculdades Pequeno Príncipe (2019/2020). Participou como voluntária do grupo Risologistas (2019) e participou do Projeto de Extensão Realeza da Alegria, da Faculdades Pequeno Príncipe (2018/2019). Foi vice-coordenadora do Centro Acadêmico de Medicina Maria Estrella (CAMME) das Faculdades Pequeno Príncipe, na gestão de 2018/2019.

Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/6547917935963011

Elaine Rossi Ribeiro, Faculdades Pequeno Príncipe – Curitiba (PR), Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Londrina (1978), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (1998), mestrado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Universidade Federal do Paraná (2004) e doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Universidade Federal do Paraná (2006). Diretora Acadêmica da Faculdade Evangélica do Paraná por 6 anos. Exerceu a superintendência técnica do Instituto Municipal de Administração Pública de Curitiba - IMAP, tendo sido Diretora da Escola de Administração Pública -da Prefeitura de Curitiba. É docente de vários cursos de pós graduação nas áreas de Ensino, Educação permanente, Planejamento, Gestão, Liderança, Avaliação e Segurança do Paciente. Tem experiência na área de Gestão e Educação, com ênfase em liderança e avaliação. Foi diretora acadêmica do Instituto de Ensino e Pesquisa da Feaes. Atualmente é docente e pesquisadora da Faculdade Pequeno Príncipe em Curitiba, e do Programa de Pós Graduação Strictu Sensu - Ensino nas Ciências da Saúde. Participante do Grupo de Pesquisa PENSA. e editora chefe da Revista Espaço para Saúde.

Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/9575920850713634

Márcio José de Almeida, Faculdades Pequeno Príncipe – Curitiba (PR), Brasil.

Possui graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (1973), mestrado em Medicina Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1979) e doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (1997). Atualmente é pesquisador docente das Faculdades Pequeno Príncipe do Paraná. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Políticas, Planejamento e Gestão de Saúde e em Recursos Humanos em Saúde, atuando principalmente nos temas: educação médica e formação de profissionais de saúde.

Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/3355695980209598

Mary Rute Gomes Esperandio , Faculdades Pequeno Príncipe – Curitiba (PR), Brasil.

Pesquisadora na temática da Espiritualidade e Saude desde 2009. Professora adjunta no Programa de Pós-Graduação em Teologia e no Programa de Pós-Graduação em Bioética da Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Realizou pós-doutorado (2013) em Psicologia da Religião pela Indiana University South Bend, em South Bend - USA e em Cuidados Paliativos (2018-2019) na University of Humanistic Studies - UHS, in Utrecht, Holanda. Possui graduação em Psicologia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003) e também em Pedagogia, pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1992). Tem Mestrado (2001) e Doutorado (2006) em Teologia, pela Escola Superior de Teologia. Tem experiência na docência teológica e em bioética, com ênfase na interface Psicologia, Bioética e Teologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Espiritualidade e Saúde, Subjetividade contemporânea, Processos de subjetivação, Psicologia da Religião, Coping Religioso Espiritual. Desenvolve pesquisas em torno dos seguintes temas: Espiritualidade e Saúde, Subjetividade Contemporânea e Religiosidade, Coping Religioso/Espiritual. É membro da Sociedade Brasileira de Bioética; membro do Comitê Executivo da Society for Intercultural Pastoral Care and Counseling - SIPCC (2007) e da IAPR - International Association for the Psychology of Religion (2011). Membro do Grupo de Trabalho Psicologia e Religião da ANPEPP (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia. Foi Coordenadora pro-tempore dos Programas Acadêmicos de Pós-Graduação na área de Ciências da Religião e Teologia (2016-2018).

Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/6314025964600648

Referências

Koenig HG, McCullough ME, Larson DB. Handbook of religion and health. Oxônia: Oxford University Press; 2001. p. 531. DOI: https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780195118667.001.0001

Allport GW, Ross JM. Personal religious orientation and prejudice. J Pers Soc Psychol 1967;5(4):432-43. https://doi.org/10.1037/0022-3514.5.4.432 DOI: https://doi.org/10.1037/h0021212

Dovidio FJ, Glick P, Rudman AL. On the nature of prejudice – fifty years after Allport. New Jersey: Physics Letters B. Blackwell Publishing Ltd; 2005. p.414-427.

Moreira-Almeida A, Lucchetti G. Panorama das pesquisas em ciência, saúde e espiritualidade. Cienc Cult 2016;68(1):54-7. http://doi.org/10.21800/2317-66602016000100016 DOI: https://doi.org/10.21800/2317-66602016000100016

Esperandio MR, Michel RB, Trebien HAC, Menegatti CL. Coping religioso/espiritual na antessala de UTI: reflexões sobre a integração da espiritualidade nos cuidados em saúde. Dossiê Questões Religiosas na América Latina 2017;12:203-22. DOI: https://doi.org/10.5752/P.1983-2478.2017v12n22p303

Pargament KI, Smith BW, Koenig HG, Perez L. Patterns of positive and negative religious coping with major life stressors. J Sci Study Relig 2006;37(4):710. https://doi.org/10.2307/1388152 DOI: https://doi.org/10.2307/1388152

Gutierrez PL. À beira do leito beira do leito – o que é o paciente terminal? Rev Ass Med Brasil 2001;47(2):85-109. https://doi.org/10.1590/S0104-42302001000200010 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-42302001000200010

Marengo MO, Flávio DA, Silva RHA. Terminalidade de vida: bioética e humanização em saúde. Medicina (Ribeirão Preto) 2009;42(3):350-7. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v42i3p350-357 DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v42i3p350-357

Cherny N, Fallon M, Kaasa S, Portenoy R, Currow DC. Oxford textbook of palliative medicine. Oxônia: Oxford University Press; 2015. p.1281. DOI: https://doi.org/10.1093/med/9780199656097.001.0001

López-Sierra HE, Rodríguez-Sánchez J. The supportive roles of religion and spirituality in end-of-life and palliative care of patients with cancer in a culturally diverse context: a literature review. Curr Opin Support Palliat Care 2015;9(1):87-95. https://doi.org/10.1097/SPC.0000000000000119 DOI: https://doi.org/10.1097/SPC.0000000000000119

Sampaio R, Mancini M. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Braz J Phys Ther 2007;11(1):1-7. https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013

Ercole FF, Melo LS, Alcoforado CLGC. Revisão Integrativa versus Revisão Sistemática. REME Rev Min Enferm 2014;18(1):9-11. http://www.doi.org/10.5935/1415-2762.20140001 DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20140001

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman D. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. PLoS Med 2009;6(6):e1000097. http://www.doi.org/10.1371/journal.pmed.1000097 DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1000097

Galvão TF, Pansani TSA, Harrad D. Principais itens para relatar revisões sistemáticas e meta-análise: a recomendação PRISMA*. Epidemiol Serv Saúde 2015;24(2):335-42. https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017 DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. ROBIS – Risck of Bias in systematic reviews: ferramenta para avaliar o risco de viés em revisões sistemáticas: orientações de uso. Brasília, DF: SCTIE; 2017.

Kunsmann-Leutiger E, Loetz C, Frick E, Petersen Y, Müller JJ. Attachment patterns affect spiritual coping in palliative care. J Hosp Palliat Nurs 2018;20(4):385-91. https://doi.org/10.1097/NJH.0000000000000455 DOI: https://doi.org/10.1097/NJH.0000000000000455

Nilmanat K, Promnoi C, Phungrassami T, Chailungka P, Tulathamkit K, Noo-Urai P, et al. Moving beyond suffering: the experiences of Thai persons with advanced cancer. Cancer Nurs 2015;38(3):224-31. https://doi.org/10.1097/NCC.0000000000000169 DOI: https://doi.org/10.1097/NCC.0000000000000169

Moestrup L, Hvidt NC. Where is God in my dying? A qualitative investigation of faith reflections among hospice patients in a secularized society. Death Stud 2016;40(10):618-29. https://doi.org/10.1080/07481187.2016.1200160 DOI: https://doi.org/10.1080/07481187.2016.1200160

Selman LE, Brighton LJ, Sinclair S, Karvinen I, Egan R, Speck P, et al. Patients' and caregivers' needs, experiences, preferences and research priorities in spiritual care: a focus group study across nine countries. Palliat Med 2018;32(1):216-30. https://doi.org/10.1177/0269216317734954 DOI: https://doi.org/10.1177/0269216317734954

Santos PR, Capote JRFG, Cavalcante Filho JRM, Ferreira TP, Santos Filho JNG, Silva SO. Religious coping methods predict depression and quality of life among end-stage renal disease patients undergoing hemodialysis: a cross-sectional study. BMC Nephrol 2017;18(1):197. https://doi.org/10.1186/s12882-017-0619-1 DOI: https://doi.org/10.1186/s12882-017-0619-1

Barreto P, Fombuena M, Diego R, Galiana L, Oliver A, Benito E. Bienestar emocional y espiritualidad al final de la vida. Medicina Paliativa 2015;22(1):25-32. http://doi.org/10.1016/j.medipa.2013.02.002 DOI: https://doi.org/10.1016/j.medipa.2013.02.002

Balboni TA, Prigerson HG, Balboni MJ, Enzinger AC, VanderWeele TJ, Maciejewski PK. A scale to assess religious beliefs in end-of-life medical care. Cancer 2019;125(9):1527-35. http://doi.org/10.1002/cncr.31946 DOI: https://doi.org/10.1002/cncr.31946

Publicado

2022-07-30

Como Citar

1.
Villegas VCA, Rodrigues ALP, Ribeiro ER, Almeida MJ de, Esperandio MRG. Coping espiritual/religioso e fim de vida: revisão sistemática. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 30º de julho de 2022 [citado 9º de dezembro de 2022];17(44):3011. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3011

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit