Avaliação da qualidade da ESF em Curitiba: estudo transversal com base no AMQ

Maria Terumi Maruyama Kami, Ademar Cezar Volpi, Camila Ament Giuliani dos Santos Franco, Nilza Terezinha Faoro

Resumo


Atualmente a qualidade da atenção apresenta-se como um dos desafios ao Sistema Único de Saúde, devendo ser compreendida à luz dos princípios da integralidade, universalidade, equidade e participação social. Visando a melhoria da qualidade da atenção, o Ministério da Saúde desenvolveu a proposta “Avaliação para Melhoria da Qualidade da Estratégia Saúde da Família”, instrumento específico que busca o aprimoramento gerencial, técnico e científico. A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba aderiu de maneira voluntária e participativa a esta proposta, situando a avaliação como instrumento permanente para tomada de decisões e a qualidade como um atributo fundamental a ser alcançado no SUS-Curitiba, ambas apropriadas pelos profissionais envolvidos na Estratégia. Este estudo tem por objetivo avaliar a qualidade autorreferida da ESF no município de Curitiba por meio do AMQ, identificando o estágio de qualidade alcançado pelos atores da SF no município. Para tal utilizou-se um estudo transversal e descritivo. No terceiro momento avaliativo, Curitiba contava com 49 Unidades Básicas de Saúde com Estratégia de Saúde da Família respondentes (instrumento 3), 153 equipes de saúde respondentes (instrumentos 4 e 5), um gestor municipal (instrumento 1) e uma Coordenação Municipal da Estratégia Saúde da Família (instrumento 2). Os resultados dos estágios de qualidade encontrados foram: qualidade Elementar (93,98%), qualidade em Desenvolvimento (90,79%), qualidade Consolidada (89,71%), qualidade Boa (88,25%) e qualidade Avançada (78,23%). Na perspectiva de melhoria contínua da qualidade, observou-se um incremento processual, com maior percentual em elementos dos padrões do estágio E, que abordam as condições elementares de estrutura e infraestrutura (qualidade E). A grande positividade das avaliações apresentadas, superior a 65% em todas as avaliações, indica o alto padrão de qualidade encontrado no município em todos os estágios de qualidade da AMQ. A forma de resposta dicotômica da AMQ não possibilita ver a evolução do trabalho realizado, devendo ser revista.


Palavras-chave


Qualidade da Assistência à Saúde; Saúde da Família; Avaliação em Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Coordenação de Saúde da Comunidade. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília; 1997.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Curitiba. Rev Bras Saúde Fam. 2005; 6(8): 58-64.

Favoreto CAO, Camargo Junior, KR. Alguns desafios conceituais e técnico-operacionais para o desenvolvimento do Programa de Saúde da Família como uma proposta transformadora do modelo assistencial. Physis. 2002; 12(1).

Ronzani TM, Stalen CJV. Dificuldades de implementação do Programa Saúde da Família como estratégia de Reforma do Sistema de Saúde Brasileiro. Rev APS. 2003; 6(2):99-97.

Escorel S, Giovanella L, Mendonça MHM, Senna MCM. O Programa Saúde da Família e a construção de um novo modelo para a atenção básica no Brasil. Rev Panam Salud Publica / Pan Am J Public Health. 2007; 21(2).

Brasil. Ministério da Saúde. Avaliação para melhoria da qualidade da estratégia saúde da família. Brasília; 2005. Documento técnico.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, 2006

Campos CEAA. Estratégias de avaliação e melhoria contínua no contexto da Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Saude Mater Infant. 2005; 5(Supl 1): S63-S69.

Silva JM, Caldeira AP. Modelo assistencial e indicadores de qualidade da assistência: percepção dos profissionais da atenção primária à saúde. Cad Saúde Pública. 2010; 26(6): 1187-1193.

Venâncio SI, Silva AL, Martins MCFN, Martins PN, Figueiredo R, Rosa TEC, et al. Avaliação para a Melhoria da Qualidade da Estratégia Saúde da Família - AMQ: estudo de implantação no estado de São Paulo. São Paulo: Instituto de Saúde; 2008.

Sarti TD, Maciel ELN, Campos CEA, Zandonade E, Ruschi GEC. Validade de conteúdo da Avaliação para Melhoria da Qualidade da Estratégia Saúde da Família. Physis. 2011; 21(3): 865-878. [online] [acesso em 2012 Fev 02]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S093-7331201900300006&lng=en&nrm=iso




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc7(23)305

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia