Avaliação de adequabilidade de um serviço de telespirometria

Autores

  • Amanda Gomes Faria Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil. https://orcid.org/0000-0002-1671-5890
  • Cynthia Goulart Molina-Bastos Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil / Universidade Vale do Rio dos Sinos – São Leopoldo (RS), Brazil.
  • Marcelo Rodrigues Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil. https://orcid.org/0000-0001-8516-8547
  • Carlos André Aita Schmitz Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil. https://orcid.org/0000-0002-9003-9704

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)3105

Palavras-chave:

Telemedicina, Espirometria, Asma, Doença pulmonar obstrutiva crônica.

Resumo

Introdução: As doenças respiratórias crônicas estão entre os principais problemas de saúde pública no mundo. Mesmo sendo sensíveis ao tratamento na Atenção Primária à Saúde, são a terceira principal causa de morte no Brasil. Os serviços de telemedicina apresentam-se como aliados importantes dos profissionais de saúde no que tange ao manejo de doenças respiratórias como a asma e a doença pulmonar obstrutiva crônica.  Objetivo: Avaliar a adequabilidade de um serviço de telemedicina diagnóstica em espirometria considerando os indicadores de oferta, utilização e cobertura populacional no estado do Rio Grande do Sul. Resultados: No período estudado, o serviço ofertou 27.672 exames de telespirometria aos usuários do Sistema Único de Saúde do Rio Grande do Sul encaminhados por médicos da Atenção Primária à Saúde. A utilização esteve abaixo de 50% da oferta em todas as macrorregiões de saúde do estado.  Conclusões: O estudo demonstrou que a capacidade instalada pelo serviço esteve adequada para atender à demanda populacional do Rio Grande do Sul, no entanto a baixa utilização do serviço pode estar associada ao desconhecimento sobre ele e à dificuldade em reconhecer essas doenças por parte dos profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Amanda Gomes Faria, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil.

Biografia profissional: Sanitarista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2016) e Especialista em Informática em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP (2018). Atualmente encontra-se em intercâmbio educacional na Espanha. Atua desde 2013 em projetos de telemedicina destinados à qualificação e informatização da Atenção Primária à Saúde no estado do Rio Grande do Sul, bem como em projetos de telediagnóstico voltados ao incremento da oferta e acesso de usuários do Sistema Único de Saúde a exames diagnósticos.

Cynthia Goulart Molina-Bastos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil / Universidade Vale do Rio dos Sinos – São Leopoldo (RS), Brazil.

Biografia profissional: Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009), residência médica em Medicina de Família e Comunidade pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (2011), especialização em Acupuntura pelo Centro de Estudos de Acupuntura (2015) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017). Atualmente cursa o Doutorado em Epidemiologia na mesma instituição. É médica de Família e Comunidade no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), no Serviço de Atenção Primária à Saúde. Apoia as ações para implantação de inovações tecnológicas e telemedicina na Atenção Primária à Saúde, atuando no planejamento e organização estratégica de respostas rápidas em Emergências de Saúde Pública e no telediagnóstico do projeto TelessaúdeRS-UFRGS, núcleo de pesquisa vinculado ao Programa Pós-Graduação em Epidemiologia da UFRGS que tem como objetivo melhorar a qualidade do atendimento da Atenção Primária à Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). Professora da Faculdade de Medicina da Universidade do Vale dos Sinos (UNISINOS). Tem experiência em Atenção Primária em Saúde, Medicina Preventiva e Telemedicina. Ênfase no acompanhamento e na vigilância de pacientes com dores crônicas, em cuidados paliativos, saúde do idoso, saúde da criança, dor e acupuntura.

Marcelo Rodrigues Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil.

Biografia profissional: Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (2000), mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Epidemiologia pela mesma instituição (2013). Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Medicina da UFRGS, professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia (PPGEPI), médico do Serviço de Atenção Primária à Saúde do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e vice-coordenador do TelessaúdeRS-UFRGS, núcleo de pesquisa vinculado ao PPGEPI que tem como objetivo melhorar a qualidade do atendimento da Atenção Primária à Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). Ex-diretor de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Família e Comunidade. Atua principalmente nos seguintes temas: Atenção Primária à Saúde, Medicina de Família e Comunidade, Telemedicina e Telessaúde, Programa de Saúde da Família, Diabetes Mellitus e Educação em Saúde. Integra o Grupo de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde da UFRGS, constituído em 2002, que desenvolve investigações relacionadas à avaliação de serviços de saúde no Brasil.

Carlos André Aita Schmitz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS), Brazil.

Biografia profissional: Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2000), residência em Medicina de Família e Comunidade pelo Centro de Saúde Escola Murialdo (2002), especialização em Sanitarismo pela Escola de Saúde Pública do RS (2006), mestrado em Geomática pelo Programa de Pós-graduação em Geomática da UFSM (2010 - linha de pesquisa: Dinâmica Espaço Temporal de Informações Georreferenciadas) e doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS (2015 - linha de pesquisa: Epidemiologia e Atenção Primária à Saúde). Atualmente é Professor Adjunto no Departamento de Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da UFRGS, ministrando aulas de planejamento, gestão e avaliação em saúde no curso de Bacharelado em Saúde Coletiva. É também Coordenador de Tecnologia da Informação (TI) do Núcleo de TelessaúdeRS-UFRGS. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Medicina de Família e Comunidade, atuando principalmente em: Atenção Primária à Saúde, Telessaúde, Sistemas de Informação em Saúde e Planejamento e Gestão em Saúde Pública.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Doenças respiratórias crônicas. Brasília, DF; 2010.

Malta DC, Stopa SR, Szwarcwald CL, Gomes NL, Silva Júnior JB, Reis AA. Surveillance and monitoring of major chronic diseases in Brazil - National Health Survey, 2013. Rev Bras Epidemiol 2015;18(Suppl 2):3-16. https://doi.org/10.1590/1980-5497201500060002 DOI: https://doi.org/10.1590/1980-5497201500060002

Fórum das Sociedades Respiratórias Internacionais. O impacto global da doença respiratória: segunda edição. 2017 [acessado em 1 dez. 2020]. Disponível em: https://www.who.int/gard/publications/The_Global_Impact_of_Respiratory_Disease_POR.pdf.

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad Saúde Pública 2009;25(6):1337-49. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600016 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600016

Ministério da Saúde (BR). Perfil da morbimortalidade por doenças respiratórias crônicas no Brasil, 2003 a 2013. Brasília, DF; 2016.

Macedo SEC, Menezes AMB, Knorst M, Dias-da-Costa JS, Gigante DP, Olinto MTA, et al. Fatores de risco para a asma em adultos, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública 2007;23(4):863-74. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000400014 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000400014

Wehrmeister FC, Peres KGA. Desigualdades regionais na prevalência de diagnóstico de asma em crianças: uma análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 2003. Cad Saúde Pública 2010;26(9):1839-52. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2010000900017 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2010000900017

Solé D, Camelo-Nunes IC, Wandalsen GF, Mallozi MC. Asthma in children and adolescents in Brazil: contribution of the International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). Rev Paul Pediatr 2014;32(1):114-25. https://doi.org/10.1590/s0103-05822014000100018 DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-05822014000100018

Menezes AM, Jardim JR, Pérez-Padilla R, Camelier A, Rosa F, Nascimento O, et al. Prevalence of chronic obstructive pulmonary disease and associated factors: the PLATINO Study in São Paulo, Brazil. Cad Saúde Pública 2005;21(5):1565-73. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2005000500030 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000500030

Menezes AMB, Victora CG, Rigatto M. Prevalence and risk factors for chronic bronchitis in Pelotas, RS, Brazil: a populationbased study. Thorax 1994;49(12):1217-21. https://doi.org/10.1136/thx.49.12.1217 DOI: https://doi.org/10.1136/thx.49.12.1217

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma – 2012. J Bras Pneumol 2012 [acessado em 1 dez. 2020];38(Suppl 1):S1-46. Disponível em:

https://cdn.publisher.gn1.link/jornaldepneumologia.com.br/pdf/Suple_200_70_38_completo_versao_corrigida_04-09-12.pdf

Ministério da Saúde (BR). Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas: asma: Portaria SAS/MS nº 1.317, de 25 de novembro de 2013. Brasília, DF; 2013.

Vanjare N, Chhowala S, Madas S, Kodgule R, Gogtay J, Salvi S. Use of spirometry among chest physicians and primary care physicians in India. NPJ Prim Care Respir Med 2016;26:16036. https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2016.36 DOI: https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2016.36

Bonavia M, Averameb G, Canonicac W, Cricellid C, Foglianie V, Grassi C, et al. Feasibility and validation of telespirometry in general practice: the Italian ‘‘alliance’’ study. Respir Med 2009;103(11):1732-7. https://doi.org/10.1016/j.rmed.2009.05.006 DOI: https://doi.org/10.1016/j.rmed.2009.05.006

Metting EI, Riemersma RA, Kocks JH, Piersma-Wichers MG, Sanderman R, Van der Molenet T. Feasibility and effectiveness of an Asthma/COPD service for primary care: a cross-sectional baseline description and longitudinal results. NPJ Prim Care Respir Med 2015;25:14101. https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2014.101 DOI: https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2014.101

Marina N, Bayón JC, María ELS, Gutiérrez A, Inchausti M, Bustamante V, et al. Evaluación económica e impacto presupuestario de un procedimento de telemedicina para el control de calidad de las espirometrias en atención primaria. Arch Bronconeumol 2016;52(1):24-8. https://doi.org/10.1016/j.arbres.2015.02.012 DOI: https://doi.org/10.1016/j.arbres.2015.02.012

Roman R, Lima KM, Moreira MAF, Umpierre RN, Hauser L, Rados DRV, et al. Educação a distância na qualificação do cuidado da asma em atenção primária: ensaio clínico randomizado em cluster – RESPIRANET. Rev Bras Med Fam Comunidade 2019;14(41):2065. https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)2065 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)2065

Habicht JP, Victora CG, Vaughan JP. Evaluation designs for adequacy, plausibility and probability of public health programme. Int J Epidemiol 1999;28(1):10-8. https://doi.org/10.1093/ije/28.1.10 DOI: https://doi.org/10.1093/ije/28.1.10

Santos IS, Victora CG. Serviços de saúde: epidemiologia, pesquisa e avaliação. Cad Saúde Pública 2004;20(Suppl 2):S337-41. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000800027 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000800027

DATASUS: Tecnologia da Informação a Serviço do SUS. CNES: recursos humanos: ocupações: segundo CBO 2002: Rio Grande do Sul. Brasília, DF; 2017 [acessado em 1 dez. 2020]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?cnes/cnv/proc02rs.def

DATASUS: Tecnologia da Informação a Serviço do SUS. População residente: estimativas para o TCU: Rio Grande do Sul. Brasília, DF; 2016 [acessado em 1 dez. 2020]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?ibge/cnv/poptrs.def

Agência Nacional de Saúde Suplementar. Beneficiários por UFs, Regiões metropolitanas (RM) e capitais. Brasília, DF; 2016 [acessado em 1 dez. 2020]. Disponível em: http://www.ans.gov.br/anstabnet/cgi-bin/tabnet?dados/tabnet_br.def

Levy ML, Quanjer PH, Rachel B, Cooper BG, Holmes S, Small IR. Diagnostic spirometry in primary care: proposed standards for general practice compliant with American Thoracic Society and European Respiratory Society recommendations. Prim Care Respir J 2009;18(3):130-47. https://doi.org/10.4104/pcrj.2009.00054 DOI: https://doi.org/10.4104/pcrj.2009.00054

Lenney W, Clayton SS, Gilchrist FJ, Price D, Small I, Smith J, et al. Lessons learnt from a primary care asthma improvement project. NPJ Prim Care Respir Med 2016;26:15075. https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2015.75 DOI: https://doi.org/10.1038/npjpcrm.2015.75

Moore MA, Coffman M, Jetty A, Klink K, Petterson S, Bazemore A. Family physicians report considerable interest in, but limited use of, telehealth services. J Am Board Fam Med 2017;30(3):320-30. https://doi.org/10.3122/jabfm.2017.03.160201 DOI: https://doi.org/10.3122/jabfm.2017.03.160201

Schmitz CAA, Harzheim E. Oferta e utilização de teleconsultorias para Atenção Primária à Saúde. Rev Bras Med Fam Comunidade 2017;12(39):1-11. https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1453 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1453

Oleskovicz M, Oliva FL, Grisi CCH, Lima AC, Custódio I. Técnica de overbooking no atendimento público ambulatorial em uma unidade do Sistema Único de Saúde. Cad Saúde Pública 2014;30(5):1009-17. https://doi.org/10.1590/0102-311X00158612 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00158612

Bittar OJNV, Magalhães A, Martines CM, Felizola NBG, Falcão LHB. Absenteísmo em atendimento ambulatorial de especialidades no estado de São Paulo. Bol Epidemiol Paul 2016 [acessado em 1 dez. 2020];13(152):19-32. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Olimpio_Bittar/publication/308709045_Absenteismo_em_atendimento_ambulatorial_de_especialidades_no_estado_de_Sao_Paulo_Absenteeism_in_outpatient_care_specialties_in_Sao_Paulo/links/57ec1eb008ae92eb4d2648d3/Absenteismo-em-atendimento-ambulatorial-de-especialidades-no-estado-de-Sao-Paulo-Absenteeism-in-outpatient-care-specialties-in-Sao-Paulo.pdf

Santos ZMSA, Frota MA, Cruz DM, Holanda SDO. Adesão do cliente hipertenso ao tratamento: análise com abordagem interdisciplinar. Texto Contexto Enferm 2005 [acessado em 1 dez. 2020];14(3):332-40. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v14n3/v14n3a03 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072005000300003

Araújo AL, Zucchetto NM, Fortes Filho JB. Campanhas de promoção de saúde ocular: experiência do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre. Rev Bras Oftalmol 2007;66(4):231-5. https://doi.org/10.1590/S0034-72802007000400003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-72802007000400003

Perroca MG, Jericó MC, Facundin SD. Monitorando o cancelamento de procedimentos cirúrgicos: indicador de desempenho organizacional. Rev Bras Oftalmol 2007;41(1):113-9. https://doi.org/10.1590/S0034-72802007000400003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342007000100015

Scheffer M, coordenador. Demografia médica no Brasil 2018. São Paulo: Conselho Federal de Medicina; 2018 [acessado em 1 dez. 2020]. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/files/DemografiaMedica2018%20(3).pdf.

Conselho Federal de Medicina. Resolução CFM nº 2.107. Define e normatiza a Telerradiologia e revoga a Resolução CFM nº 1890/09, publicada no D.O.U de 19 de janeiro de 2009, Seção 1, p. 94-5p. Diário Oficial da União. 2014 Dez 17; Seção 1:244. Portuguese.

Publicado

2022-11-11

Como Citar

1.
Faria AG, Molina-Bastos CG, Gonçalves MR, Schmitz CAA. Avaliação de adequabilidade de um serviço de telespirometria. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 11º de novembro de 2022 [citado 9º de dezembro de 2022];17(44):3105. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3105

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit