Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade da UERJ: uma perspectiva histórica

Ricardo Donato Rodrigues

Resumo


O Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ é um dos pioneiros desta especialidade no Brasil . foi criado, junto com dois outros, em 1976. Este artigo apresenta o cenário político da época, inclusive quanto às dificuldades para implantar um programa centrado em uma perspectiva inovadora no campo da saúde. Apresenta, de forma sucinta, o marco teórico-conceitual e os eixos de estruturação do PRMFC da UERJ, contrapostos a uma concepção simplista sobre Atenção Primária à Saúde (APS) e formação profissional nesta área que ainda predomina em alguns círculos, realçando que concepções simplistas não fazem justiça à complexidade das questões de saúde que se apresentam neste nível de atenção. Ressalta que, para promover saúde, prevenir a ocorrência de doenças evitáveis de complicações precoces de doenças instaladas que carregam o risco de comprometer a autonomia, provocar invalidez ou morte prematura, é necessário desenvolver competências específicas, razão de ser de um Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade e da própria especialidade. Por fim, discorre sobre os campos de prática e aponta perspectivas, sem deixar de assinalar dificuldades institucionais, em especial aquelas relativas aos cenários de treinamento, ressaltando, entretanto, que o programa Saúde na Vila . implantado no entorno do complexo docenteassistencial da UERJ . tem constituído uma alternativa alentadora.


Palavras-chave


Medicina de Família e Comunidade; Residência Médica; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc3(11)333

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia