Experiência no uso das ferramentas de abordagem familiar por uma equipe da Estratégia Saúde da Família

Autores

  • Anne Karoline Santos Magalhães Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil / Prefeitura Municipal de Montes Claros, Secretaria Municipal de Saúde – Montes Claros (MG), Brasil https://orcid.org/0000-0002-3258-7091
  • Ianaiê Cardoso Lopes Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil https://orcid.org/0000-0002-8038-1100
  • Priscila Martins Santos Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil
  • Bárbara Quadros Tonelli Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil / Prefeitura Municipal de Montes Claros, Secretaria Municipal de Saúde – Montes Claros (MG), Brasil / Centro Universitário FipMoc, Curso de Odontologia – Montes Claros (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3961-6374
  • Ana Paula dos Reis Leal Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil / Prefeitura Municipal de Montes Claros, Secretaria Municipal de Saúde – Montes Claros (MG), Brasil.
  • Samuel Trezena 1Universidade Estadual de Montes Claros, Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Montes Claros (MG), Brasil / Prefeitura Municipal de Montes Claros, Secretaria Municipal de Saúde – Montes Claros (MG), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4217-1276

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc19(46)3410

Palavras-chave:

Estratégia Saúde da Família, Atenção Primária a Saúde, Relações Familiares, Práticas interdisciplinares.

Resumo

Problema: Experiência da intervenção de uma equipe multiprofissional da Estratégia Saúde da Família (ESF) em uma família por meio das ferramentas de abordagem familiar. Entre os problemas identificados no caso estão a sobrecarga de trabalho da paciente índice, diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) nos filhos dela, etilismo crônico do esposo e relacionamento hostil no ciclo familiar. Método: Estudo descritivo, qualitativo, de relato de experiência, desenvolvido em uma família da área de abrangência da equipe da ESF no segundo semestre de 2019, escolhida em razão da hiperutilização do serviço pela paciente índice. As ferramentas aplicadas foram o genograma, ecomapa, Fundamental Interpersonal Relations Outcome (FIRO), problem, roles, affect, communication, time in life, illness, coping with stress, environment/ecology (PRACTICE) e ciclo de vida familiar. Resultados: Com a aplicação das ferramentas foram identificadas as estruturas e modos de compartilhamento das relações familiares, os problemas de saúde presentes, os possíveis vínculos identificados e o estágio no ciclo de vida. Como modos de intervenção, a equipe propôs consultas de cuidado em saúde, assistência psicológica e escutas qualificadas. Além disso, por meio de reuniões intersetoriais, foi solucionado o problema escolar que afetava a condição de saúde da paciente. Conclusão: A aplicação das ferramentas foi um excelente método para realizar o estudo, pois permitiu uma visão global da família, além de identificar fragilidades a serem corrigidas ou minimizadas com recurso a intervenções pela equipe de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília, 2017 set 22 [acessado em 14 abr. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas Públicas. Guia prático do Programa de Saúde da Família [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2001 [acessado em 15 fev. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/partes/guia_psf1.pdf DOI: https://doi.org/10.12820/rbafs.27e0248

Santos KKF, Figueiredo CR, Paiva KM, Campolina LR, Barbosa AAD, Santos ASF. Ferramentas de abordagem familiar: uma experiência do cuidado multiprofissional no âmbito da estratégia saúde da família. Rev Univ Vale Rio Verde 2015;13(2):377-87. https://doi.org/10.5892/ruvrd.v13i2.2340.g2166 DOI: https://doi.org/10.5892/ruvrd.v13i1.2340

Alves AP, Lima CMS, Rocha WNF, Borges CFN, Silva DP, Brasil CHG, et al. Ferramentas de abordagem familiar na Estratégia Saúde da Família: relato de caso da Equipe Vila Greyce em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. EFDeportes 2015;19(202) [acessado em 16 jun. 2020]. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd202/abordagem-familiar-na-estrategia-saude.htm

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Geral de Atenção Domiciliar [Internet]. Caderno de Atenção Domiciliar. v. 2. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [acessado em 14 abr. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_domiciliar_melhor_casa.pdf

Ditterich RG, Gabardo MCL, Moysés SJ. As ferramentas de trabalho com famílias utilizadas pelas equipes de saúde da família de Curitiba, PR. Saúde Soc 2009;18(3):515-24. https://doi.org/10.1590/S0104-12902009000300015 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902009000300015

Chapadeiro CA, Andrade HYSO, Araújo MRN. A família como foco da atenção primária à saúde [Internet]. Belo Horizonte: NESCON/UFMG; 2012 [acessado em 11 abr. 2020]. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2726.pdf

Moysés SJ, Silveira Filho AD. Exemplos de ferramentas para o trabalho com famílias. In: Silveira Filho AD, Ducci L, Simão MG, Moysés SJ, Gevaerd SP, orgs. Os dizeres da boca em Curitiba: boca maldita, boqueirão, bocas saudáveis [Internet]. Rio de Janeiro: CEBES; 2002. p. 154-60 [acessado em 14 abr. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/livro_curitiba.pdf

Silveira Filho AD. O uso das ferramentas de saúde da família na construção do cuidado em saúde. In: Archanjo DR, Archanjo LR, da Silva L. Saúde da Família na atenção primária. Curitiba: IBPEX; 2007. p. 101-123.

Wilson L, Bader E. Ciclo de vida da família. In: Wilson L. Trabalhando com famílias: livro de trabalho para residentes. Curitiba: SMS; 1996. p. 38-39.

da Silva JV, Santos SMR. Trabalhando com famílias utilizando ferramentas [Internet]. Rev APS 2003;6(2):77-86 [acessado em 17 abr. 2020]. Disponível em: https://www.ufjf.br/nates/files/2009/12/Pesquisa3.pdf

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia [Internet]. Brasília: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura/Ministério da Saúde; 2002. 725 p [acessado em 14 abr. 2020]. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0253.pdf

American Psychiatric Association. Manual de diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-V. 5. ed. [Internet] Porto Alegre: Artmed; 2014. 848 p [acessado em 04 maio 2021]. Disponível em: https://www.niip.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Manual-Diagnosico-e-Estatistico-de-Transtornos-Mentais-DSM-5-1-pdf

Broder-Fingert S,Feinberg E, Silverstein M. Improving screening for autism spectrum disorder: is it time for something new?. Pediatrics 2018;141(6):e20180965. https://doi.org/10.1542/peds.2018-0965 DOI: https://doi.org/10.1542/peds.2018-0965

Randall M, Egberts KJ, Samtani A, Scholten RJ, Hooft L, Livingstone N, et al. Diagnostic tests for autism spectrum disorder (ASD) in preschool children. Cochrane Database Syst Rev 2018;7(7):CD009044. https://doi.org/10.1002/14651858.CD009044.pub2 DOI: https://doi.org/10.1002/14651858.CD009044.pub2

Brasil. Ministério da Saúde. A Política do Ministério da Saúde para a Atenção Integral a usuários de álcool e outras drogas. Série B: Textos Básicos de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2003. 60 p [acessado em 14 abr. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_atencao_alcool_drogas.pdf

Sena ELS, Boery RNSO, Carvalho PAL, Reis HFT, Marques AMN. Alcoolismo no contexto familiar: Um olhar fenomenológico. Texto Contexto Enferm 2011; 20(2): 310-8. https://doi.org/10.1590/S0104-07072011000200013 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-07072011000200013

Miranda FAN, Simpson CA, Azevedo DM, Costa SS. O impacto negativo dos transtornos do uso e abuso do álcool na convivência familiar. Rev Eletr Enfer 2006;8(2):222-32. https://doi.org/10.5216/ree.v8i2.7037 DOI: https://doi.org/10.5216/ree.v8i2.7037

Tomb DA. Transtorno de ajustamento. In: Lewis M, ed. Tratado de psiquiatria da infância e adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas; 1995. p. 738-43.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Guia Prático do Cuidador. Série A: Normas e Manuais Técnicos [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2008. 64 p [acessado em 16 jun. 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_cuidador.pdf

Pegoraro RF, Caldana RHL. Mulheres, loucura e cuidado: a condição da mulher na provisão e demanda por cuidados em saúde mental. Saúde Soc 2008;17(2):82-94. https://doi.org/10.1590/S0104-12902008000200009 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902008000200009

Lima JCM, Moraes GLA, Augusto Filho RF. O uso da conferência familiar na resolução de conflitos de uma família com idosa dependente. Rev Bras Med Fam Comunidade 2008;4(14):129-34. https://doi.org/10.5712/rbmfc4(14)195 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc4(14)195

Neto IG. A conferência familiar como instrumento de apoio à família em cuidados paliativos. Rev Port Clin Geral 2003;19:68-74. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v19i1.9906

Publicado

2024-06-14

Como Citar

1.
Magalhães AKS, Lopes IC, Santos PM, Tonelli BQ, Leal AP dos R, Trezena S. Experiência no uso das ferramentas de abordagem familiar por uma equipe da Estratégia Saúde da Família. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 14º de junho de 2024 [citado 21º de julho de 2024];19(46):3410. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3410

Edição

Seção

Relatos de Experiência

Plaudit