Trabalho informal, precário ou perigoso: abordagem de ação coletiva por uma equipe de Saúde da Família em Uberaba

Autores

  • Aidê Amabile Coêlho dos Santos Universidade Estadual De Campinas - Saúde Coletiva

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc3(11)345

Palavras-chave:

Saúde Coletiva, Acidente de Trabalho, Saúde do Trabalhador

Resumo

A globalização força as relações de trabalho a tornarem-se mais flexíveis, surgindo um grande contingente de profissionais desprotegidos, ignorados pelas empresas, sem direito à assistência e ao controle de sua saúde. A intenção de prestar assistência integral ao trabalhador informal em condições precárias ou perigosas conduziu-se um estudo descritivo prospectivo de base populacional investigando-se o tempo trabalhado e acidentes ou doenças relacionadas com o trabalho durante quatro meses mediante visitas semanais pelos Agentes Comunitários de Saúde da Equipe. Aplicou-se instrumento de coleta de dados elaborado em projeto-mãe para outra cidade após adaptação às condições locais. Observou-se que 62,1% dos trabalhadores eram do sexo feminino; 43,9% tinham entre 35 e 50 anos; 55,6% trabalhavam por conta própria; 39,9% eram empregados e 8,4% dos entrevistados pagavam a Previdência Social. O motivo de ingresso no setor informal foi o desemprego para 44,1% enquanto 24,6% buscavam melhores rendimentos. A jornada diária de trabalho foi de 8 horas/dia para 39,7%; o trabalho durante 7 dias por semana foi referido por 31,6%; 7,0% referiram a ocorrência de pelo menos um acidente no local de trabalho e 69,0% dos entrevistados alegaram conhecer uma pessoa em perigo em seus locais de trabalho. A contribuição do planejamento para a organização do sistema de saúde e, conseqüentemente, a assistência à saúde dos trabalhadores é valiosa, envolvendo gestores até os trabalhadores das equipes de saúde. Faz-se necessário à inserção da saúde do trabalhador na saúde coletiva, ambos como campos de conhecimento complexos, que busquem a produção de saúde para a coletividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aidê Amabile Coêlho dos Santos, Universidade Estadual De Campinas - Saúde Coletiva

Mestrado 2006 Universidade Estadual De Campinas - Saúde Coletiva

Downloads

Publicado

2007-11-17

Como Citar

1.
Santos AAC dos. Trabalho informal, precário ou perigoso: abordagem de ação coletiva por uma equipe de Saúde da Família em Uberaba. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 17º de novembro de 2007 [citado 27º de junho de 2022];3(11):224. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/345

Edição

Seção

Resumos de Tese