Aumento do Risco Cardiovascular em Mulheres com Síndrome Metabólica

  • Rosimere J. Teixeira
  • Ana Borba Leite
  • Clarice A.S.A Farias
  • Cíntia R. Sousa
  • Adryana M. Yugue
  • Aline A. Aguiar
  • Denise Ginzbarg
  • Maria Inez A. Padula
Palavras-chave: Resistência à Insulina, Síndrome Metabólica, Saúde da Mulher

Resumo

A síndrome metabólica (SM) tem se tornado uma epidemia, e isso representa um problema de saúde pública, mas seu verdadeiro papel como fator de risco cardiovascular - RCV - ainda é controverso. Nosso objetivo foi descrever o RCV em 45 mulheres com SM (n=25, 51±12anos) e sem SM (n=20, 36±13 anos). Foram avaliados: IMC ; cintura abdominal; pressão arterial sistólica e diastólica (PAS e PAD); níveis de glicose (G) e insulina de jejum; G pós-prandial (Gpp); triglicerídeos; colesterol HDL e LDL. A sensibilidade à insulina foi avaliada pelo método de Homa-IR. A SM foi definida segundo o Programa Nacional de Educação em Colesterol. O RCV foi calculado pelo escore de Framingham e classificado como baixo, médio e alto. A cintura e a PAS forammaiores na SM, mas sem diferença quando relacionadas ao IMC e à PAD. Os níveis de G, Gpp e triglicerídeos foram maiores, enquanto o HDL foi menor na SM. O número de componentes, o RCV e a proporção de casos com médios ou altos RCV foram maiores na SM. O escore de risco se correlacionou com o número de componentes da síndrome metabólica . cSM . (r=0,62), cintura (r=0,45), G (r=0,72), PAS (r=0,59) e HDL (r=-0,31), mas, na regressão múltipla, apenas com a G e a PAS (r2=0,67, p<0,007). O HOMA-IR mostrou correlação com a cintura (r=0,30, p=0,04). A cintura abdominal é um bom marcador clínico da RI. As mulheres com SM apresentam maior risco para eventos cardiovasculares. Intervenções primárias dirigidas para os componentes da síndrome podem prevenir e reduzir a incidência de eventos cardiovasculares nessas mulheres.

Métricas

Carregando Métricas ...
Publicado
2008-11-17
Como Citar
Teixeira, R. J., Leite, A. B., Farias, C. A., Sousa, C. R., Yugue, A. M., Aguiar, A. A., Ginzbarg, D., & Padula, M. I. A. (2008). Aumento do Risco Cardiovascular em Mulheres com Síndrome Metabólica. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 3(12), 237-246. https://doi.org/10.5712/rbmfc3(12)359
Seção
Artigos de Pesquisa