Autoconhecimento e autocura na perspectiva da ginecologia natural

relato de experiência de uma médica de família e comunidade

Autores

  • Daniele Calaça de Oliveira Secretaria de Saúde do Recife, Programa de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade – Recife (PE), Brasil. https://orcid.org/0009-0001-3699-0208
  • Maria Olívia Lima de Mendonça Secretaria de Saúde do Recife, Programa de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade – Recife (PE), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4882-1225

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3853

Palavras-chave:

Medicina de família e comunidade, Assistência integral à saúde, Saúde da mulher, Assistência centrada no paciente.

Resumo

A Ginecologia Natural, conhecida por ser uma ginecologia autônoma e política, é compreendida como um movimento político e pedagógico que questiona a aliança médico-farmacêutica e resgata saberes ancestrais, reivindicando o autoconhecimento como forma de empoderamento pessoal. Ela antepõe-se aos processos de patologização, medicalização e comercialização que são especialmente voltados para os corpos feminizados e propõe um olhar sistêmico sobre os processos de saúde-doença, levando em consideração as dimensões corporais, mentais e energéticas (espirituais) do ser. Diante disso, são percebidas inúmeras aproximações entre a Medicina de Família e Comunidade e a Ginecologia Natural, pois ambas são pautadas no paradigma integralista e relacionam-se com o Método Clínico Centrado na Pessoa (MCCP). Ademais, por meio da escuta empática, da longitudinalidade e do domínio do MCCP, médicas e médicos de família e comunidade atuam como agentes ou facilitadores da cura. Na perspectiva da Ginecologia Natural, o autoconhecimento é ferramenta imprescindível no caminho da (auto)cura. E, pela exploração da experiência com a doença, como reitera o primeiro componente do MCCP, médicas e médicos podem auxiliar as pessoas na compreensão de seus processos únicos de adoecimento, contribuindo assim para a jornada de autoconhecimento e de autocura de cada um. Assim, este ensaio teórico objetivou dialogar sobre o papel de médicas e médicos de família e comunidade como agentes de cura e entender como a Ginecologia Natural pode potencializar esse processo por meio de sua principal ferramenta: o autoconhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Martín PPS. Manual de Introdução à Ginecologia Natural. 3. ed. [s.l.]: Livra Edições e Produções Artísticas; 2020.

Sala NC. La ginecología natural en América Latina: un movimiento sociocultural del presente. Sex Salud Soc (Rio J.) 2019;(33):59-78. https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2019.33.04.a DOI: https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2019.33.04.a

Oliveira GD de. Contribuições para a saúde e qualidade de vida da mulher de um método de valorização e integração do feminino [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade Anhembi Morumbi; 2018.

Meneses P. Etnocentrismo e Relativismo Cultural: algumas reflexões. Rev Symp 1999;3(Número Especial):19-25.

Emmerick R. Corpo e poder: um olhar sobre o aborto à luz dos direitos humanos e da democracia [tese]. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; 2007.

Foucault M. Microfísica do Poder. 12. ed. São Paulo: Paz & Terra; 2021.

Santos ACD, Correia IB, Silva RC. O Tao na Medicina de Família e Comunidade: Relações entre Acupuntura e o Método Clínico Centrado na Pessoa. Rev Bras Med Fam Comunidade 2019;14(41):1624. https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)1624 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)1624

Freeman TR. Manual de Medicina de Família e Comunidade de McWhinney. 4. ed. Porto Alegre: Artmed; 2018.

Stewart M, Brown JB, Weston WW, McWhinney IR, McWilliam CL, Freeman TR. Medicina centrada na pessoa: transformando o método clínico. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; 2017.

Gusso G, Lopes JMC, Dias LC, organizadores. Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática. 2. ed. Porto Alegre: Artmed; 2019.

McWhinney IR. The importance of being different. Br J Gen Pract 1996;46(408):433-6. PMID: 8776918

Gerber R. Medicina Vibracional: uma medicina para o futuro. São Paulo: Cultrix; 2007.

Brennan BA. Mãos de luz: um guia para a cura através do campo de energia humano. 22. ed. São Paulo: Pensamento; 2018.

Carvalho RT, Souza MRB, Franck EM, Polastrini RTV, Crispim D, Jales SMCP, Barbosa SMM, Torres SHB, editores. Manual da residência de cuidados paliativos. Barueri: Manole; 2018.

Egnew TR. Suffering, Meaning, and Healing: Challenges of Contemporary Medicine. Ann Fam Med 2009;7(2):170-5. https://doi.org/10.1370/afm.943 DOI: https://doi.org/10.1370/afm.943

Downloads

Publicado

2023-12-05

Como Citar

1.
Oliveira DC de, Mendonça MOL de. Autoconhecimento e autocura na perspectiva da ginecologia natural: relato de experiência de uma médica de família e comunidade. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 5º de dezembro de 2023 [citado 20º de fevereiro de 2024];18(45):3853. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3853

Edição

Seção

Especial Residência Médica

Plaudit