Fatores que atraem, fixam, frustram ou afastam médicos de família da atenção primária de Florianópolis

Autores

  • Julia Pinheiro Machado Secretaria Municipal de Florianópolis, Medicina de Família e Comunidade – Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1642-4778
  • Camila de Lima Magalhães Secretaria Municipal de Florianópolis, Medicina de Família e Comunidade – Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1490-9381
  • Donavan de Souza Lucio Secretaria Municipal de Florianópolis, Medicina de Família e Comunidade – Florianópolis (SC), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8434-9781

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3887

Palavras-chave:

Médicos de Atenção Primária, Frustração, Condições de Trabalho, Carga de Trabalho, Satisfação no emprego.

Resumo

Introdução: Um dos principais desafios da atenção primária no Brasil é a falta de fixação de profissionais médicos nas equipes de Saúde da Família, causando prejuízos à longitudinalidade, atributo essencial da atenção primária. Objetivo: Identificar os fatores que influenciam na atração de médicos de família e comunidade (MFC) para a atenção primária de Florianópolis, bem como fatores que os mantêm, os frustram ou os afastam. Métodos: Pesquisa qualitativa por meio de entrevistas em profundidade analisadas por análise de conteúdo convencional. Sorteamos 30 médicos de família de um painel amostral composto de três grupos: a) MFC estatutários e ativos na atenção primária de Florianópolis; b) MFC exonerados a partir de 2021; e c) médicos que prestaram, mas não assumiram, o concurso público de 2019, concurso que exigia título de especialista em MFC e foi o último realizado até o momento. Resultados: Entrevistamos 12 MFC, todos com residência médica. Deles, cinco compunham o grupo de profissionais que se exoneraram; três estavam atuantes na rede; e quatro compunham o grupo de MFC que foram aprovados no último concurso ofertado em 2019, porém não assumiram o cargo. Em síntese, os MFC são atraídos para trabalhar em Florianópolis por aspectos da cidade e pela possibilidade de desempenhar plenamente o trabalho de médico de família. Entretanto, as fragilidades do sistema de saúde público, agravadas nos últimos cinco anos e acentuadas no período crítico da pandemia de COVID-19 frustram os médicos de família a ponto de eles desejarem abandonar a atenção primária ou manter-se trabalhando às custas de sua saúde mental. Os motivos que mantêm ou mantiveram os médicos na atenção primária de Florianópolis foram principalmente a redução da carga horária assistencial e seus vínculos com família e amigos na cidade. A decisão final de exonerar-se partiu do sofrimento psíquico associado ao sentimento de sobrecarga no trabalho e/ou do salário menor que o desejado. Conclusões: Apoiados na análise dos dados, supomos que algumas estratégias, se adotadas, amenizariam a frustração de quase todos os entrevistados: a redução da carga horária com salário proporcional; a contratação de MFC volantes para cobrir ausências; a implementação de um registro eletrônico de saúde que integrasse todas as plataformas digitais utilizadas rotineiramente; o remanejamento das questões burocráticas para um profissional administrativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. Saúde da Família: avaliação da implementação em dez grandes centros urbanos: síntese dos principais resultados. 2. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2005. (Projetos, Programas e Relatórios).

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia [Internet]. Brasília, DF: Unesco; 2002 [acessado em 26 jan. 2022]. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=14609.

Lopes EZ, Bousquat A. Fixação de enfermeiras e médicos na Estratégia de Saúde da Família, município de Praia Grande, São Paulo, Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade 2011;6(19):118-24. https://doi.org/10.5712/rbmfc6(19)185 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc6(19)185

Ney MS, Rodrigues PHA. Fatores críticos para a fixação do médico na Estratégia Saúde da Família. Physis Rev Saúde Coletiva 2012;22(4):1293-311. https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000400003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000400003

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC). Experiência da APS de Florianópolis no 13º CBMFC [Internet]. SBMFC. 2015 [acessado em 04 fev. 2023]. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/site-antigo/noticias/experiencia-da-aps-de-florianopolis-no-13o-cbmfc/

Rebolho RC, Poli Neto P, Pedebôs LA, Garcia LP, Vidor AC. Médicos de família encaminham menos? Impacto da formação em MFC no percentual de encaminhamentos da Atenção Primária. Ciênc Saúde Coletiva 2021;26(4):1265-74. https://doi.org/10.1590/1413-81232021264.06672019. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021264.06672019

Scheffer M. Demografia Médica no Brasil 2020. São Paulo: Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP; Conselho Federal de Medicina; 2020.

Prefeitura Municipal de Florianópolis [Internet]. Diário Oficial do Município [acessado em 05 fev. 2023]. Disponível em: https://www.pmf.sc.gov.br/governo/index.php?pagina=govdiariooficial

Prefeitura Municipal de Florianópolis. Concurso Público - Edital no 001/2016 [Internet]. 2016 [acessado em 05 fev. 2023]. Disponível em: https://www.institutomais.org.br/Concursos/Detalhe/181

Prefeitura Municipal de Florianópolis. Concurso Público - Edital no 008/2019 [Internet]. 2019 [acessado em 05 fev. 2023]. Disponível em: http://florianopolis.fepese.org.br/?go=home&mn=106a6c241b8797f52e1e77317b96a201&edital=8

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups. Int J Qual Health Care 2007;19(6):349-57. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042 DOI: https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042

Hsieh HF, Shannon SE. Three approaches to qualitative content analysis. Qual Health Res 2005;15(9):1277-88. https://doi.org/10.1177/1049732305276687 DOI: https://doi.org/10.1177/1049732305276687

Sandvik H, Hetlevik Ø, Blinkenberg J, Hunskaar S. Continuity in general practice as predictor of mortality, acute hospitalisation, and use of out-of-hours care: a registry-based observational study in Norway. Br J Gen Pract 2022;72(715):e84-90. https://doi.org/10.3399/BJGP.2021.0340 DOI: https://doi.org/10.3399/BJGP.2021.0340

Dugani S, Afari H, Hirschhorn LR, Ratcliffe HL, Veillard J, Martin G, et al. Prevalence and factors associated with burnout among frontline primary health care providers in low- and middle-income countries: A systematic review. Gates Open Res 2018:2:4. https://doi.org/10.12688/gatesopenres.12779.3 DOI: https://doi.org/10.12688/gatesopenres.12779.1

Long L, Moore D, Robinson S, Sansom A, Aylward A, Fletcher E, et al. Understanding why primary care doctors leave direct patient care: a systematic review of qualitative research. BMJ Open 2020;10(5):e029846. https://doi.org/10.1136/bmjopen-2019-029846 DOI: https://doi.org/10.1136/bmjopen-2019-029846

Hall LH, Johnson J, Watt I, Tsipa A, O’Connor DB. Healthcare Staff Wellbeing, Burnout, and Patient Safety: A Systematic Review. PLoS One 2016;11(7):e0159015. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0159015 DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0159015

Panagioti M, Panagopoulou E, Bower P, Lewith G, Kontopantelis E, Chew-Graham C, et al. Controlled Interventions to Reduce Burnout in Physicians: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Intern Med 2017;177(2):195-205. https://doi.org/10.1001/jamainternmed.2016.7674 DOI: https://doi.org/10.1001/jamainternmed.2016.7674

Zomahoun HTV, Samson I, Sawadogo J, Massougbodji J, Gogovor A, Diendéré E, et al. Effects of the scope of practice on family physicians: a systematic review. BMC Fam Pract 2021;22(1):12. https://doi.org/10.1186/s12875-020-01328-1 DOI: https://doi.org/10.1186/s12875-020-01328-1

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Metodologia da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos [Internet]. 2016 [acessado em 12 fev. 2023]. Disponível em: https://www.dieese.org.br/metodologia/metodologiaCestaBasica2016.pdf

Prefeitura Municipal de Florianópolis. Concurso Público - Edital no 005/2014 [Internet]. 2014 [acessado em 05 fev. 2023]. Disponível em: https://pmfsaude.fepese.org.br/?go=home&mn=106a6c241b8797f52e1e77317b96a201&edital=5

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Pesquisa nacional da Cesta Básica de Alimentos - Salário mínimo nominal e necessário [Internet]. 2022 [acessado em 05 fev. 2023]. Disponível em: https://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html#2019

Prefeitura Municipal de Florianópolis. Prefeito apresenta ações para garantir o futuro econômico da Capital [Internet]. 2017 [acessado em 12 fev. 2023]. Disponível em: http://www.pmf.sc.gov.br/noticias/index.php?pagina=notpagina&noti=18155

Mello M. Greve de Florianópolis "serve de exemplo de resistência”, afirma sindicalista [Internet]. Brasil de Fato. 2017 [acessado em 12 fev. 2023]. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2017/02/24/greve-de-florianopolis-serve-de-exemplo-de-resistencia-afirma-sindicalista

Associação Comercial e Industrial de Florianópolis. Pacote de Projetos Floripa Responsável [Internet]. 2017 [acessado em 12 fev. 2023]. Disponível em: http://www.acif.org.br/wp-content/uploads/2017/01/PACOTE-DE-PROJETOS-FLORIPA-RESPONS%C3%81VEL-ACIF-Ader%C3%AAncia-Propostas-ACIF-8.pdf

Downloads

Publicado

2023-12-05

Como Citar

1.
Machado JP, Magalhães C de L, Lucio D de S. Fatores que atraem, fixam, frustram ou afastam médicos de família da atenção primária de Florianópolis. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 5º de dezembro de 2023 [citado 20º de fevereiro de 2024];18(45):3887. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3887

Edição

Seção

Especial Residência Médica

Plaudit