Crise global da atenção primária à saúde

Autores

  • Thiago Dias Sarti Universidade Federal do Espírito Santo – Vitória (ES), Brasil https://orcid.org/0000-0002-1545-6276
  • Ana Paula Santana Coelho Almeida Universidade Federal do Espírito Santo – Vitória (ES), Brasil.
  • Leonardo Ferreira Fontenelle Universidade Federal do Espírito Santo – Vitória (ES), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4064-433X

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc19(46)4070

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Sistemas de Saúde, Medicina de Família e Comunidade, Saúde global.

Resumo

Enquanto no Norte Global se discute uma crise na Atenção Primária à Saúde, a maioria dos países nunca chegou a constituir sistemas de saúde baseados propriamente numa atenção primária robusta. Nesse cenário, o Brasil apresenta uma tendência mais favorável, com conquistas importantes para a atenção primária e a medicina de família e comunidade nos últimos dez anos. Restam desafios a serem superados para que o Sistema Único de Saúde alcance níveis satisfatórios de acesso a seus serviços, com profissionais adequadamente formados e valorizados pela população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Dias Sarti, Universidade Federal do Espírito Santo – Vitória (ES), Brasil

É Professor Assistente do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Espirito Santo (UFES). Possui graduação em Medicina pela Escola de Medicina da Santa Casa de Misericordia de Vitória (2004). É especialista em Medicina de Família e Comunidade e em Gestão em Saúde pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É Mestre em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-graduacão em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). É Doutor em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP).

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Referências

World Health Organization. The World Health Report 2008: Primary Health Care Now More Than Ever. Geneva: WHO; 2008. https://iris.who.int/handle/10665/43949

World Health Organization. Declaration of Astana. Geneva: WHO; 2018. https://www.who.int/publications/i/item/WHO-HIS-SDS-2018.61

Mendonça, CS. Saúde da Família, agora mais do que nunca! Ciênc Saúde Coletiva 2009;14:1493-7. https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000800022 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000800022

Costa LB, TMRL, Andrade ABJ, Praxedes BS, Mota TC, Santos AP. Atenção primária e saúde suplementar no Brasil: revisão integrativa. Cad ESP 2022;16(1):95-106. https://doi.org/10.54620/cadesp.v16i1.584 DOI: https://doi.org/10.54620/cadesp.v16i1.584

Norman AH. Estratégias que viabilizam o acesso aos serviços de Atenção Primária à Saúde no Reino Unido. Rev Bras Med Fam Comunidade 2019;14(41):1945. https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)1945 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc14(41)1945

Razai MS, Majeed A. General Practice in England: the current crisis, opportunities, and challenges. J Ambul Care Manage 2022;45(2):135-39. https://doi.org/10.1097/JAC.0000000000000410 DOI: https://doi.org/10.1097/JAC.0000000000000410

Spooner S, van Marwijk H, Mcdermott I. GP crisis: how did things go so wrong, and what needs to change? [Internet] Conversation; 2023 [acessado em 17 dez. 2023]. Disponível em: https://theconversation.com/gp-crisis-how-did-things-go-so-wrong-and-what-needs-to-change-208197

Wilkinson E. The media’s anti-GP agenda [Internet]. Pulse; 2021 [acessado em 17 dez. 2023]. Disponível em: https://www.pulsetoday.co.uk/analysis/cover-feature/the-medias-anti-gp-agenda/

Shahaed H, Glazier RH, Anderson M, Barbazza E, Bos VLLC, Saunes IS, et al. Primary care for all: lessons for Canada from peer countries with high primary care attachment. CMAJ 2023;195(47):E1628-36. https://doi.org/10.1503/cmaj.221824 DOI: https://doi.org/10.1503/cmaj.221824

Huffstetler A, Greiner A, Siddiqi A et al. Health is primary: charting a path to equity and sustainability [Internet]. Washington DC: Primary Care Collaborative; American Academy of Family Physicians (AAFP) Robert Graham Center; 2023 [acessado em 17 dez. 2023]. Disponível em: https://thepcc.org/sites/default/files/resources/pcc-evidence-report-2023.pdf?utm_source=bitly&utm_medium=link&utm_campaign=2023_evidence

Gunja MZ, Gumas ED, Williams II RD, Doty MM, Shah A, Fields K. Stressed out and burned out: the global primary care crisis. Findings from the 2022 International Health Policy Survey of Primary Care Physicians. Commonwealth Fund; 2022. https://doi.org/10.26099/j2ag-mx88

Lawson E. The Global Primary Care Crisis. Br J Gen Pract. 2023;73(726):3. https://doi.org/10.3399/bjgp23X731469 DOI: https://doi.org/10.3399/bjgp23X731469

Russo G, Perelman J, Zapata T, Šantrić-Milićević M. The layered crisis of the primary care medical workforce in the European region: what evidence do we need to identify causes and solutions? Hum Resour Health 2023;21(1):55. https://doi.org/10.1186/s12960-023-00842-4 DOI: https://doi.org/10.1186/s12960-023-00842-4

Sinnott C, Dorban-Hall B, Dixon-Woods M. Tackling the crisis in general practice. BMJ 2023;381:p966. https://doi.org/10.1136/bmj.p966 DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.p966

Mash R, Howe A, Olayemi O, Makwero M, Ray S, Zerihun M, et al. Reflections on family medicine and primary healthcare in sub-Saharan Africa. BMJ Global Health 2018;3:e000662. https://doi.org/10.1136/bmjgh-2017-000662 DOI: https://doi.org/10.1136/bmjgh-2017-000662

Bello K, De Lepeleire J, Kabinda MJ, Bosongo S, Dossou J-P, Waweru E, et al. The expanding movement of primary care physicians operating at the first line of healthcare delivery systems in sub-Saharan Africa: A scoping review. PLoS ONE 2001;16(10):e0258955. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0258955 DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0258955

Scheffer M, coord. Demografia Médica no Brasil 2023. São Paulo, SP: FMUSP, AMB; 2023.

eGestor. Cobertura da Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2023. https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCoberturaAB.xhtml

Sarti TD, Fontenelle LF, Gusso GDF. Panorama da expansão dos programas de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade no Brasil: desafios para sua consolidação. Rev Bras Med Fam Comunidade 2018;13(40):1-5. https://doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1744 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1744

Fontenelle LF, Permuy LB, Sesquim DL, Vetis MS. Oferta e ocupação de vagas de residência em medicina de família e comunidade no Brasil, 2020. Rev Bras Med Fam Comunidade 2023;18(45):3637. https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3637 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3637

Cury GC, Fonseca AF. A retomada do Programa Mais Médicos em 2023. Trab Educ Saúde 2023;21:e02415229. https://doi.org/10.1590/1981-7746-ojs2415 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-ojs2415

Leite APT, Correia IB, Chueiri PS, Sarti TD, Jantsch AG, Waquil AP, et al. Residência em Medicina de Família e Comunidade para a formação de recursos humanos: o que pensam gestores municipais? Ciênc Saúde Coletiva 2021;26(6):2119-30. https://doi.org/10.1590/1413-81232021266.47052020 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021266.47052020

Lemos AF, Campos FE, Brito PQ, Nascimento EN, Oliveira VA. O desafio da oferta de cursos de especialização em atenção básica da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde aos profissionais dos programas de provimento. Rev Bras Educ Med 2019;43(1):136-46. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v43n1RB20180087 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v43n1rb20180087

Oliveira FP, Santos LMP, Shimizu HE. Programa Mais Médicos e Diretrizes Curriculares Nacionais: avanços e fortalecimento do sistema de saúde. Trab Educ Saúde 2019;17(1):e0018415. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00184 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00184

Pfarrwaller E, Voirol L, Piumatti G, Karemera M, Sommer J, Gerbase MW, et al. Students’ intentions to practice primary care are associated with their motives to become doctors: a longitudinal study. BMC Med Educ 2022;22(30). https://doi.org/10.1186/s12909-021-03091-y DOI: https://doi.org/10.1186/s12909-021-03091-y

Pinto LF, Quesada LA, D’Avila OP, Hauser L, Gonçalves MR, Harzheim E. Primary Care Asssement Tool: diferenças regionais a partir da Pesquisa Nacional de Saúde do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ciênc Saúde Coletiva 2021;26(9):3965-79. https://doi.org/10.1590/1413-81232021269.10112021 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021269.10112021

Publicado

2024-05-12

Como Citar

1.
Sarti TD, Almeida APSC, Fontenelle LF. Crise global da atenção primária à saúde. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 12º de maio de 2024 [citado 18º de julho de 2024];19(46):4070. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/4070

Edição

Seção

Editorial

Plaudit

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.