Grupo de Medicina de Família e Comunidade de Santos: relato de experiência

Paula Marcela Vilela Castro, Mayco José Reinaldi Serra, Talita Quadrado Penati

Resumo


Objetiva-se a discussão de diversos aspectos relacionados à Medicina de Família e Comunidade e das experiências vividas dentro da Associação Acadêmica Grupo de Medicina de Família e Comunidade de Santos (GMFC), do Centro Universitário Lusíada (UNILUS), vinculado à Faculdade de Ciências Médicas de Santos, São Paulo, Brasil. O GMFC busca a reflexão dos acadêmicos sobre o que é a Medicina de Família e Comunidade (MFC) enquanto especialidade, a fim de desmistificar ideias errôneas sobre a área em questão. Por meio de reuniões teóricas, congressos, jornadas e pesquisas científicas, o grupo busca consolidar uma visão concreta e íntegra de conceitos teóricos e aplicá-los na comunidade da Baixada Santista. A experiência do GMFC aprimora o conhecimento teórico-prático em MFC, favorecendo a qualificação dos acadêmicos para atuarem na prestação de serviços de saúde com aplicabilidade na Atenção Primária à Saúde (APS). Além disso, consolida-se o aprendizado acerca dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e da relevância de uma Medicina centrada na pessoa, com ênfase em uma visão holística da prática médica.Conclusão: A efetiva disseminação do conhecimento em MFC em nossa Universidade e o reconhecimento de que a MFC é importante para a formação generalista são grandes obstáculos constantemente enfrentados pelo grupo. Portanto, é de grande relevância a existência de um grupo acadêmico como o Grupo de Medicina de Família e Comunidade de Santos, pois além de integrar pessoas que se preocupam com uma abordagem diferenciada da Medicina, dissemina cada vez mais, dentro da universidade, o real significado da Medicina de Família e Comunidade.


Palavras-chave


Medicina de Família e Comunidade; Estudantes de Medicina; Atenção Primária à Saúde; Ligas Acadêmicas

Texto completo:

PDF/A

Referências


Restrepo JFP. Abraham Flexner y el flexnerismo: fundamento imperecedero de la educación médica moderna. Medicina (Bogotá). 1998; 20(48): 6-14.

Flexner A. Medical Education in the United States and Canada. Carnegie Foundation for The Advancement of Teaching; 1910. Bulletin 4.

Santos JO. Filosofia da Educação Médica: interpretação da práxis. Rev Bras Educ Med. 1986;10(2): 82-6.

Mello GA, Mattos ATR, Souto BGA, Fontanella BJB, Demarzo MMP. Médico de família: ser ou não ser? Dilemas envolvidos na escolha desta carreira. Rev Bras Educ Med. 2009; 33(3):464-471. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000300017

Gonçalves RJ, Soares RA, Troll T, Cyrino EG. Ser médico no PSF: formação acadêmica, perspectivas e trabalho cotidiano. Rev Bras Educ Med. 2009; 33(3): 393-403. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000300009

Cabral Filho WR, Ribeiro VMB. A escolha precoce da especialidade pelo estudante de medicina: um desafio para a educação médica. Rev Bras Educ Med. 2004; 28(2): 133-144.

McWhinney IR, Freeman T. Manual de Medicina de família e comunidade. 3. ed. São Paulo: Artmed editora. 2010.

Stewart M. Medicina centrada na pessoa: Transformando o método clínico. 2. ed. São Paulo: Artmed editora. 2010.

Bonfada D, Cavalcante JRLP, Araujo DP, Guimaraes J. A integralidade da atenção à saúde como eixo da organização tecnológica nos serviços. Ciênc Saúde Coletiva. 2012; 17(2):555-560. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000200028

Carole JB, Meurer LN, Maldonado G. Determinants of primary care specialty choice: a non-estatistical meta-analysis of the literature. Acad Med. 1995;70(7):620-41. http://dx.doi.org/10.1097/00001888-199507000-00013




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc8(26)442

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2013 Paula Marcela Vilela Castro, Mayco José Reinaldi Serra, Talita Quadrado Penati

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia