Avaliação do estresse ocupacional em Agentes Comunitários de Saúde da região metropolitana de Belo Horizonte - MG

Lidiane Cristina Custódio, Fabrício Silva Prata, Gabriel Sanábio, Janaína Félix Braga, Laura Amaral e Silva, Priscilla das Graças Morreale, Ricardo Costa-Val

Resumo


Estudo de revisão que buscou justificar a importância de se avaliar o estresse dos Agentes Comunitários de Saúde e a correlação deles com a atividade ocupacional, uma vez que as situações vivenciadas pelos mesmos, nas diferentes áreas de risco, bem como o contato direto com a comunidade, representam agentes estressantes de relevante magnitude. Sabe-se que a presença de trabalhadores estressados na equipe resulta em insatisfação, diminuição da produtividade e má assistência de saúde à comunidade. Portanto, especial atenção deve ser dada aos profissionais propensos a reações mais intensas aos agentes geradores de estresse, o que resulta em benefícios tanto para a equipe de Saúde da Família quanto para a comunidade assistida.


Palavras-chave


Estresse; Auxiliares da Saúde Comunitária; Saúde do Trabalhador

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc2(7)54

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia