A qualidade de vida dos usuários da Coordenadoria Regional de Saúde Centro-Oeste que praticam meditação

Brenda Aparecida de Oliveira Silva, Teresa Maria dos Santos, Sheila Busato, Elisa Harumi Kozasa

Resumo


Introdução: Uma das práticas encontradas no Sistema Único de Saúde (SUS), através do programa de Implantação e implementação das ações e serviços relativos às praticas complementares e integrativas em saúde é a meditação. A meditação é uma prática que melhorara o bem estar mental e físico, sendo conhecida como uma forma de reduzir o estresse. Objetivo: caracterizar a qualidade de vida dos usuários praticantes de meditação na Coordenadoria Regional de Saúde Centro-Oeste. Métodos: Foi aplicado um questionário composto por 26 questões, o WHOQOL-Bref (inventário de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde) em 70 usuários, e foi realizada a estatística descritiva no programa SPSS 17.0. Resultados: 56,3 % dos entrevistados são idosos; 74,7% possuem renda familiar de até 5 salários mínimos. 71,9% dos usuários praticantes de meditação relataram uma qualidade de vida boa e muito boa; 60,5% estão satisfeitos ou muito satisfeitos com sua saúde; 69,1% percebem bastante ou extremo sentido na vida. Conclusão: praticantes de meditação relatam uma percepção positiva quanto a maioria dos fatores que influenciam a qualidade de vida, apesar da baixa renda familiar da maioria dos entrevistados.

Palavras-chave


Meditação; Qualidade de Vida; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc7(1)557

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia