Tendência de classificação no Capítulo Z da CIAP-2 entre 2006 e 2011 em um centro de saúde de Medicina Familiar em Coimbra, Portugal

  • Luiz Miguel Santiago Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal. Universidade da Beira Interior, Portugal
  • Paula Ricardo Miranda Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal.
  • Phililppe Botas Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal.
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Medicina de Família e Comunidade, Classificação, Cuidado Periódico, Iniquidade Social, Classificação Internacional de Doenças, CIAP, Classificação Internacional de Atenção Primária

Resumo

Objetivo: Estudar a tendência evolutiva da classificação com a CIAP-2 no Capítulo Z, no período de 2006 a 2011 quanto a: variação de frequência do número total de componentes de sinais e sintomas; volume de “classificação ajustada à população” e, através da coleta de informação SOAP, quais dos seus componentes foram mais frequentemente registrados nos campos Subjetivo (S) e Avaliação (A). Métodos: Estudo transversal, observacional e descritivo dos registros eletrônicos efetuados por todos os médicos na plataforma Serviço de Apoio ao Médico (SAM) utilizando a ferramenta de coleta de dados (SAM-Estatísticas) em agosto de 2012 em um centro de saúde em Coimbra, região central de Portugal. O volume de codificação foi estudado em código/1.000 hab./dia, tendo como base de cálculo a metade de cada ano estudado. Foram selecionados os seis códigos mais frequentes de cada ano. Resultados: Verificou-se uma dinâmica de crescimento positivo nos componentes registrados nos campos Subjetivo e Avaliação entre 2006 e 2011, tanto no número total de códigos (S:+4,83 e A:+6,44) e volume de codificação – código/1.000 hab./dia (S:+4,40 e A:+6,44) como na percentagem de diferentes componentes de sinais e sintomas do Capítulo Z (S:+0,30; A:+0,56). Conclusão: Entre 2006 e 2011 verificou-se uma dinâmica de crescimento positivo na classificação no Capítulo Z da CIAP-2 que foi mais importante no campo Avaliação e nos tipos de componente. O desenvolvimento profissional e a educação médica continuada são necessários para melhorar o desempenho na tarefa de classificar e registrar adequadamente, bem como no criterioso registro das anotações clínicas feitas na consulta, evitando perda de informação clínica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luiz Miguel Santiago, Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal. Universidade da Beira Interior, Portugal
Médico especialista em Medicina Geral e Familiar, Assistente Graduado Sénior na sua Carreira Médica e com Mestrado e Doutoramento pela universidade de Coimbra
Paula Ricardo Miranda, Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal.

Médica, Residente de Medicina Geral e Familiar, aluno de Mestrado em Ciências da Nutrição na Universidade de Coimbra, Portugal

Phililppe Botas, Unidade de Saúde Familiar Topázio, Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego, Portugal.

Médico, Residente de Medicina Geral e familiar

Referências

European Academy of Teachers in General Practice. The European Definition Of General Practice / Family Medicine. Short Version Euract; 2005. [online] [acesso em 2012 Ago 25]. Disponível em: http://www.euract.eu/official-documents/finish/3-official-documents/95-european-definition-of-general-practicefamily-medicine-2005-short-version.

Sousa JC. Ups! Será que é MUPS? Rev Port Clin Geral. 2006; 22: 277-9.

Royal College of General Practitioners - RCGP. [online] [acesso em 2012 Ago 23]. Disponível em: http://www.rcgp.org.uk/PDF/MUS_Guidance_A4_4pp_6.pdf.

World Health Organization - WHO. Classifications of Diseases. [online] [acesso em 2012 Ago 25]. Disponível em: http://www.who.int/classifications/icd/adaptations/CIAP2/en/index.html.

5.National Institute for Public Health and the Environment – RIVM. Manual for the Use of the ICPC2-ICD10 Thesaurus. [online] [acesso em 2012 Ago 25]. Disponível em: http://www.rivm.nl/whofic/cdromthesaurus/Manual%20Thesaurus%20bilingual_files/frame.htm.

Weed LL. Medical records that guide and teach. N Engl J Med. 1968 Mar 14; 278(11): 593-600. http://dx.doi.org/10.1056/NEJM196803142781105

Weed LL Medical records that guide and teach N Engl J Med. 1968 Mar 21; 278(12): 652-7 concl.

Botica MV, Zele I, Renar IP, Markovi? BB, Grgurevi? SS, Botica I. Structure of visits persons with diabetes in Croatian family practice: analysis of reasons for encounter and treatment procedures using the CIAP-2. Coll Antropol. 2006 Sep; 30(3): 495-9.

Witry MJ, Doucette WR, Daly JM, Levy BT, Chrischilles EA. Family physician perceptions of personal health records. Perspect Health Inf Manag. 2010 Jan 1; 7: 1d.

Administração Central do Sistema de Saúde - ACSS. Sistema de Apoio ao Médico - SAM. [online]. Disponível em: http://dis.dgs.pt/2010/10/01/sistema-de-apoio-ao-medico-sam/.

Rodrigues JG. Why do patients consult their Family doctor? Rev Port Clin Geral 2000; 16: 442-52.

Ordem dos Médicos. Código Deontológico. [online] [acesso em 2012 Ago 25]. Disponível em: https://www.ordemdosmedicos.pt/?lop=conteudo&op=9c838d2e45b2ad1094d42f4ef36764f6.

Portugal. Comissão Nacional de Protecção de Dados. Lei nº 12/2005, de 26 de janeiro de 2005. Informação genética pessoal e informação de saúde. Diário da República de Portugal, Lisboa, 26 jan. 2005. Série 1, n. 18. [online] [acesso em 2012 Ago 25]. Disponível em: http://www.cnpd.pt/bin/legis/nacional/Lei12-2005.pdf.

Braga R. Os registos clínicos e a classificação. Rev Port Med Geral Fam. 2012; 28: 155-6.

Lopes JMC. Consulta e abordagem centrada na pessoa. In: Lopes JMC, Gusso GDF, editores. Tratado de Medicina de Família e Comunidade. São Paulo: Artmed; 2012. p. 112-123.

Borrel Carrió F, Dohms M. Relação clínica na prática do médico de família. In: Lopes JMC, Gusso GDF, editores. Tratado de Medicina de Família e Comunidade. São Paulo: Artmed, 2012. p. 124-134.

Publicado
2013-04-19
Como Citar
Santiago, L. M., Miranda, P. R., & Botas, P. (2013). Tendência de classificação no Capítulo Z da CIAP-2 entre 2006 e 2011 em um centro de saúde de Medicina Familiar em Coimbra, Portugal. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 8(27), 106-111. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(27)639
Seção
Artigos de Pesquisa