Uma proposta metodológica para pesquisar as demandas dos pacientes e probabilidades pré-teste através de formulários em papel na atenção primária

Gustavo Diniz Ferreira Gusso, Isabela Martins Benseñor

Resumo


Objetivo: O propósito deste estudo é apresentar uma metodologia para avaliar as demandas dos pacientes e calcular probabilidades pré-teste utilizando formulário em papel na atenção primária. Método: A maioria dos países em desenvolvimento não usa registros eletrônicos de saúde (RES) em ambientes de cuidados primários. Isso dificulta o acesso a informações sobre o processo de trabalho dentro do centro de saúde. Existem basicamente duas metodologias para avaliar a demanda do paciente e problemas ou diagnósticos elaborados por médicos. A primeira se fundamenta em “encontro por encontro”, enquanto a segunda, em “episódios de cuidados” de cada problema de uma forma longitudinal. A metodologia desenvolvida neste artigo foi a confrontação do “motivo da consulta” e do “problema registrado” pelos médicos. O formulário de papel que foi desenvolvido teve este conceito como central. Todas as consultas foram codificadas segundo a Classificação Internacional de Atenção Primária (CIAP). Discussão: Mesmo em formulário de papel, o confronto “motivo da consulta” e “problema registrado” pelos médicos é útil para medir as probabilidades pré-teste de cada problema com base em encontros. Essa abordagem pode facilmente ser reproduzida em qualquer centro de saúde e permite um melhor entendimento do perfil da população. A prevalência de muitas enfermidades e doenças não é conhecida em cada realidade e estudos feitos no contexto da atenção secundária e terciária não são adequados para os cuidados de saúde primários. Conclusão: Este artigo oferece uma tecnologia adequada aos trabalhadores de saúde de cuidados primários que tem potencial de transformar cada centro de saúde em um campo de pesquisa, contribuindo diretamente para o atendimento do paciente.


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Medicina de Família e Comunidade; Classificação; Cuidado Periódico

Texto completo:

PDF/A

Referências


Starfield B. Primary Care: balancing health needs, services, and technology. New York: Oxford University Press; 1998.

Starfield B. Is primary care essential? Lancet. 1994 Oct 22; 344(8930): 1129-33. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(94)90634-3

Starfield B, Shi L. Policy relevant determinants of health: an international perspective. Health Policy. 2002; 60(3): 201-18. http://dx.doi.org/10.1016/S0168-8510(01)00208-1

Van Weel C, Rosser WW. Improving health care globally: a critical review of the necessity of family medicine research and recommendations to build research capacity. Ann Fam Med. 2004 May 26; 2 Suppl 2: S5-16. http://dx.doi.org/10.1370/afm.194

Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. The Brazilian health system: history, advances, and challenges. Lancet. 2011; published online May 9. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(11)60054-8

Sampaio LFR. The Brazilian health system: highlighting the primary health care reform. Ital J Public Health. 2010; 7(4): 359-368.

Macinko J, Guanais FC, De Fátima M, De Souza M. An Evaluation of the Impact of the Family Health Program on Infant Mortality in Brazil, 1990-2002. J Epidemiol Community Health. 2006; 60: 13-19. http://dx.doi.org/10.1136/jech.2005.038323

Binns HJ, Lanier D, Pace WD, Galliher JM, Ganiats TG, Grey M, et al. Describing primary care encounters: the Primary Care Network Survey and the National Ambulatory Medical Care Survey. Ann Fam. 2007; 5: 39-47. http://dx.doi.org/10.1370/afm.620

Britt H, Miller GC, Charles J, Henderson J, Bayram C, Harrison C, et al. General practice activity in Australia 1998-99 to 2007-08: 10 year data tabelas. General practice series no. 23. Cat. no. GEP 23. Canberra: Australian Institute of Health and Welfare; 2008.

Soler J-K, Okkes I, Wood M, Lamberts H. The coming of age of ICPC: celebrating the 21st birthday of the International Classification of Primary Care. Fam Pract. 2008 Aug; 25(4): 312-7. http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cmn028

Lamberts H, Wood M, editors. International Classification of Primary Care (ICPC). Oxford: Oxford University Press; 1987.

Crombie DL. Diagnostic Process. J Coll Gen Practit. 1963; 6: 579-89.

White KL, Williams TF, Greenberg BG. The ecology of medical care. N Engl J Med. 1961; 265: 885-892. http://dx.doi.org/10.1056/NEJM196111022651805

Green LA, Fryer GE, Yawn BP, Lanier D, Dovey SM. The Ecology of Medical Care Revisited. New England J. Med. 2001; 2634: 2021-2025. http://dx.doi.org/10.1056/NEJM200106283442611

Bentsen BG. Illness and general practice. A survey of medical care in an island population in South-East Norway. Oslo: Oslo University Press; 1970

Westbury RC.A plan to develop an international classification of disease in family medicine; International Workshop on General Practice Research, 1972. Melbourne; 1972.

Meads S, McLemore T. National Center for Health Statistics: National Ambulatory Medical Care Survey: Symptom classification. Vital and Health Statistics. Series 2-No. 63. DHEW Pub. No. (HRA) 74-1337. Health Resources Administration. Washington: U.S. Government Printing Office; May 1974.

Meads S. The WHO Motivos da consulta Classification. Who Chronicle. 1983; 37(5): 159-162

Lamberts H, Meads S, Wood M. Classification of reasons why persons seek primary care: pilot study of a new system. Public Health Rep. 1984 Nov-Dec; 99(6): 597-605.

Lamberts H, Meads S, Wood M. Results of the international field trial with the Reason for Encounter Classification. Soz Praventivmed. 1985; 30(2): 80-7. http://dx.doi.org/10.1007/BF02083050

Lebrão ML. Classificação internacional de motivos de consulta para assistência primária: testes em algumas áreas brasileiras. Rev Saúde Públ. 1985; 19: 69-78. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101985000100008

North American Primary Care Research Group. A process code for primary care (NAPCRG-1). International field trial version. Richmond: North American Primary Care Research Group; 1981.

World Organization of National Colleges, Academies – WONCA, Academic Associations of General Practitioners. Family Physicians (WONCA). Classification Committee. International Classification of Health Problemas in Primary Care (ICHPPC-2-Defined). 3nd ed. Oxford: Oxford University Press; 1983

Gusso G. Diagnóstico de demanda em Florianópolis utilizando a Classificação Internacional de Atenção Primária: 2º edição (CIAP-2) [Tese]. São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2009

World Organization of National Colleges, Academies – WONCA, Academic Associations of General Practitioners. Family Physicians Classificação Internacional de Atenção Primária (CIAP 2). Elaborada pelo Comitê Internacional de Classificação da WONCA (Associações Nacionais, Academias e Associações Acadêmicas de Clínicos Gerais/Médicos de Família, mais conhecida como Organização Mundial de Médicos de Família); Consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição, Gustavo Diniz Ferreira Gusso. 2. ed. Florianópolis: Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; 2009.

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade - SBMFC [homepage on the Internet] [cited 2011 Aug 11]. Disponível em: http://www.sbmfc.org.br/default.asp?site_Acao=MostraPagina&PaginaId=72.

World Organization of National Colleges, Academies – WONCA, Academic Associations of General Practitioners. Family Physicians (WONCA). WONCA International Classification Committee. International Classification of Primary Care (ICPC-2-R). 2nd ed. Revised. Oxford: Oxford University Press; 1998.

Okkes IM, Oskam SK, Van Boven K, Lamberts H. EFP. Episodes of care in Dutch Family Practice. Epidemiological data based on the routine use of the International Classification of Primary Care (ICPC) in the Transition Project of the Academic Medical Center/University of Amsterdam (1985-2003). In: Okkes IM, Oskam SK, Lamberts H. ICPC in the Amsterdam Transition Project. CD-Rom. Amsterdam: Academic Medical Center/University of Amsterdam, Department of Family Medicine; 2005.

Biblioteca Virtual em Saúde. Descritores em Ciências da Saúde [homepage on the Internet]. [cited 2011 Aug 11]. Disponível em: http://decs.bvs.br/cgi-bin/wxis1660.exe/decsserver/?IsisScript=../cgi-bin/decsserver/decsserver.xis&interface_language=p&previous_page=homepage&previous_task=NULL&task=start.

Google. Ferramenta de Idiomas [homepage on the Internet]. [cited 2011 Aug 11]. Disponível em: http://www.google.com.br/language_tools?hl=pt-BR .

Transition Project. TranHis [homepage on the Internet] [cited 2011 Aug 11]. Disponível em: http://www.transitieproject.nl/.

Takeda S. A organização de serviços de Atenção Primária à Saúde. In: Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências. Porto Alegre: Artmed Editora; 2004. p. 76-87.

Radaelli SM, Takeda SMP, Gimeno LID, Wagner MB, Kanter FJ, Mello VM, et al. Demanda de serviço de saúde comunitária na periferia de área metropolitana. Rev Saúde Publ. 1990; 24:232-40. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101990000300010

Faleiros JJ, Martines JC, Piccini RX, AduresTRML, Mota Neto JIS, Silva DB. Motivos de consulta mais freqüentes e utilização em um serviço de atenção primária à saúde. Rev AMRIGS. 1985;29(4):297-300. http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=64553&indexSearch=ID

Lopes JM, Leite WCL, Stein AT, Ducan BB. Diagnósticos mais comuns no serviço de medicina geral e comunitária, Unidades de Medicina de Família, Hospital Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre, 1983. Rev AMRIGS. 1985; 29: 301-6.

Muller CL, Franco D, Barros LMCA, Somacal LF, Bordin R. Estudo da composição da demanda de uma unidade sanitária da Grande Porto Alegre. Rev Hosp Clin. 1987; 7(2): 77-80.

Takeda SMF, Stein A, Kanter F, Duncan, BB. Estudo dos motivos de consulta em uma vila na periferia de Porto Alegre. Rev AMRIGS. 1985; 29: (3): 231-8. http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=ADOLEC〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=34158&indexSearch=ID

Landsberg GA, Savassi LC, De Sousa AB, De Freitas JM, Nascimento JS, Azagra R. [Analysis of demand for family medical care in Brazil using the International Classification of Primary Care]. Cien Saude Colet. 2012 Nov; 17(11): 3025-36. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001100019




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc8(27)692

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia