A motivação como estratégia para cessação do tabagismo

  • Lucia Soares Buss Coutinho Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
  • Sandra Regina Martini Brun Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
  • Marina Patrício de Arruda Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
Palavras-chave: Motivação, Abandono do Hábito de Fumar, Comportamentos Saudáveis

Resumo

Objetivo: conhecer os aspectos motivacionais relacionados ao abandono do hábito de fumar. Métodos: foram realizadas entrevistas semiestruturadas com nove ex-fumantes nos seus respectivos domicílios, em um bairro de Lages-SC em cujo serviço de atenção primária atua o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade. A amostra foi obtida por conveniência, obedecendo aos critérios de inclusão: indivíduos maiores de 18 anos classificados como ex-fumantes. A análise das entrevistas foi realizada por meio do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Resultados: os relatos apresentados evidenciaram a motivação como ferramenta de enfrentamento do tabagismo, ressaltando que ela não é exterior às pessoas, mas, pelo contrário, depende de vontade própria. Conclusão: o processo de abandono do tabagismo é complexo e multifatorial. Exige observação atenta do profissional de saúde e habilidade de criar um ambiente capaz de motivar as pessoas para o cuidado de sua própria saúde.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lucia Soares Buss Coutinho, Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (2008). É residente em Medicina de Família e Comunidade pela Universidade do Planalto Catarinense (2013).
Sandra Regina Martini Brun, Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade do Estado de Santa Catarina (1989) e mestrado em Neurociências pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999). Atualmente é professora titular da Universidade do Planalto Catarinense.
Marina Patrício de Arruda, Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC). Lages, SC
Graduada em Ciências Sociais, Mestre e Doutora em Serviço Social (2003), pós-doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2012). Docente e Pesquisadora dos Programas Stricto Sensu da Universidade do Planalto Catarinense UNIPLAC - PPGE e PPGAS.

Referências

Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional do Câncer (BR); Organização Pan-Americana da Saúde. Pesquisa especial de tabagismo – PETab: relatório Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2011. 199 p.

Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional do Câncer (BR). A situação do tabagismo no Brasil: dados dos inquéritos do Sistema Internacional de Vigilância do Tabagismo da Organização Mundial da Saúde realizados no Brasil entre 2002 e 2009. Rio de Janeiro: INCA; 2011. 76 p.

Ferreira SAL, Teixeira CC, Corrêa APA, Lucena AF, Echer IC. Motivos que contribuem para indivíduos de uma escola de nível superior tornarem-se ou não tabagistas. Rev Gaúcha Enferm. 2011;32(2):287-93. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000200011

Borges MTT, Simões-Barbosa RH. Cigarro “companheiro”: o tabagismo feminino em uma abordagem crítica de gênero. Cad Saúde Pública. 2008 Dec;24(12):2834-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001200012

Tabaco [Internet]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Escola Paulista de Medicina (EPM), Departamento de Psicobiologia, Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas e Psicotrópicos (CEBRID); c2006 [acesso em 2013 Jan 17]. Disponível em: http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/folhetos/tabaco_.htm

Echer IC, Barreto SSM. Determinação e apoio como fatores de sucesso no abandono do tabagismo. Rev Latino Am de Enfermagem. 2008;16(3): 445-451. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692008000300018

Lefèvre F, Lefèvre AMC. O discurso do sujeito coletivo: um enfoque em pesquisa qualitativa (Desdobramentos). Caxias do Sul: ABDR; 2003.

Figueiredo MZA, Chiari BM, Goulart BNG. Discurso do Sujeito Coletivo: uma breve introdução à ferramenta de pesquisa qualiquantitativa. Distúrb Comun, São Paulo. 2013 [acesso em 2013 Jan 17];25(1):129-136. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/view/14931/11139

Kovács MJ. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo; 1992. 214 p.

Dias RB, Alves L. Estratégias comportamentais e de motivação aplicadas em intervenções de modificação de hábitos de vida com repercussões para a saúde. In: Gusso G, Lopes JMC, editors. Tratado de Medicina de Família e Comunidade. Porto Alegre: Artmed; 2012. p. 546-552.

Oliveira MS, Laranjeira R, Araujo RB, Camilo RL, Schneider DD. Estudo dos estágios motivacionais em sujeitos adultos dependentes do álcool. Psicol Reflex Crít. 2003;16(2):265-270. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722003000200006

Pamplona P. Fumador internado? – A intervenção apropriada. Rev Port Pneumol. 2007;13(6):801-826.

Levites MR. Estudos qualitativos em Medicina de Família: Um Recurso Educacional. In: Princípios da Medicina de Família e Comunidade. São Paulo: SOBRAMFA; 2003. p. 237-266.

Bergamini CW. Motivação. 2ª ed. São Paulo: Atlas; 1989.

Rollnick S, Miller WR, Butler CC. Entrevista Motivacional no Cuidado da Saúde. Porto Alegre: Artmed; 2009. 221p.

Publicado
2014-03-11
Como Citar
Coutinho, L. S. B., Brun, S. R. M., & Arruda, M. P. de. (2014). A motivação como estratégia para cessação do tabagismo. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 9(32), 242-249. https://doi.org/10.5712/rbmfc9(32)763
Seção
Artigos de Pesquisa