Prevalência de Obesidade e Obesidade Abdominal em amostra de usuários de um ambulatório de Medicina Integral

  • Rosimere J. Teixeira
  • Charles R. M. Day
  • Cristiane C. Cabral
  • Vivian S. Lima
  • Gustavo Vaitsman
  • Ronaldo M. Louzada Junior
  • Christiano Buarque
  • Maria Inez Padula Anderson Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ
Palavras-chave: Epidemiologia, Obesidade, Medicina de Família

Resumo

A obesidade é uma condição clínica cuja prevalência aumenta progressivamente e que está cada vez mais associada à morbi-mortalidade cardiovascular. A concentração visceral de gordura aumenta tal risco, portanto, a medida da cintura abdominal, de forma a evidenciar obesidade abdominal, torna-se necessária e tão importante quanto o índice de massa corporal (IMC). Nosso objetivo foi determinar a prevalência de obesidade e obesidade abdominal e sua associação com os fatores de risco cardiovasculares. Uma amostra de pacientes assistidos no Ambulatório de Medicina Integral foi analisada quanto: idade, sexo, IMC, cintura e as presenças de diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia, síndrome metabólica (SM), tabagismo e sedentarismo. Foram selecionados 119 pacientes, todos com aferição do IMC e cintura, entre 50 ±13,4 anos, sendo 89% mulheres. A prevalência de obesidade e de obesidade abdominal foi de 44% e 66%, respectivamente. A obesidade e a obesidade abdominal estão associadas à presença de SM (p=0,01; OR=3,42 e p=0,0005, OR=7,55), e entre si (p<0,0001, OR=22,1). A determinação da cintura foi um teste sensível (89.5%) e com bom valor preditivo negativo (80%) para o diagnóstico de SM em nossos pacientes. As prevalências de obesidade e obesidade abdominal foram altas. A obesidade e a obesidade abdominal estão associadas com a SM. A cintura elevada é um marcador sensível para o diagnóstico de SM, corroborando a importância da sua medida na prática clínica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Inez Padula Anderson, Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ

Graduada em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, é especialista em Medicina de Família e Comunidade. Possui título de Mestrado (1997) e Doutorado (2002) em Saúde Coletiva pelo Insitituto de Medicina Social / UERJ. É médica e professora adjunta do Departamento de Medicina Integral, Familiar e Comunitária da Faculdade de Ciências Médicas / UERJ do qual, atualmente, está à frente da chefia. Foi Presidente (2004/008) da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Atua nos seguintes temas: Abordagem Centrada na Pessoa, Conceitos e Práticas em Medicina Biopsicosocial, Medicina Ambulatorial, Ensino e Formação Médica, Abordagem Familiar e Comunitária, Educação em Saúde, Atenção Primária à Saúde. Integra a equipe do Pólo de TeleSaúde em Apoio à Atenção Primária à Saúde do Estado do Rio de Janeiro e do Pró-Saúde da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ. Representa a Faculdade de Ciências Médicas na institucionalização do Projeto UNASUS, na UERJ.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Publicado
2007-11-17
Como Citar
Teixeira, R. J., Day, C. R. M., Cabral, C. C., Lima, V. S., Vaitsman, G., Louzada Junior, R. M., Buarque, C., & Anderson, M. I. P. (2007). Prevalência de Obesidade e Obesidade Abdominal em amostra de usuários de um ambulatório de Medicina Integral. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 3(9), 45-52. https://doi.org/10.5712/rbmfc3(9)82
Seção
Artigos de Pesquisa