O uso do correio eletrônico na comunicação entre usuários e uma equipe de saúde da família: relato de experiência

Paulo Poli Neto, Charles Dalcanale Tesser, Gabriel Hahn Monteiro, Pedro Felipe Mylla Boso, George Lemos

Resumo


Este relato descreve o uso do correio eletrônico por uma equipe de saúde da família para comunicação com os pacientes e agendamento. Tal uso surgiu como consequência de um processo de facilitação do acesso presencial e não presencial. No período de 25 meses houve crescimento no número de mensagens e de remetentes. Das 1437 mensagens recebidas, 61,5% foram para agendar consultas, 27,8% solicitavam informações em saúde e 7,6% eram sobre serviços oferecidos. As mulheres enviaram 87% das mensagens (63,3% delas tinham 20-40 anos). Em 60% das vezes, o contato referia-se à demanda do remetente e mais de 30% à de familiares. A equipe respondeu a 83% das mensagens em até 8 horas úteis. Na percepção da equipe, o uso do correio eletrônico melhorou a comunicação e o acesso e foi bem aceito pelos usuários, não prejudicando grupos mais vulneráveis. Investigações mais aprofundadas serão necessárias para avaliar a contribuição dessa ferramenta na Atenção Primária à Saúde.  


Palavras-chave


Correio Eletrônico; Acesso aos Serviços de Saúde; Comunicação; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Dixon S, Sampson FC, O’Cathain A, Pickin M. Advanced access: more than just GP waiting times? Fam Pract. 2006;23(2):233-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cmi104

Starfield B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. UNESCO, Ministério da Saúde: Brasília; 2002 [acesso 12 Jun 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_primaria_p1.pdf

Murray M, Berwick DM. Advanced access: reducing waiting and delays in primary care. JAMA. 2003;289(8):1035-40. DOI: http://dx.doi.org/10.1001/jama.289.8.1035

Schoen C, Osborn R, Doty MM, Bishop M, Peugh J, Murukutla N. Toward higher-performance health systems: adults’ health care experiences in seven countries, 2007. Health Aff (Millwood). 2007;26(6):w717-34. DOI: http://dx.doi.org/10.1377/hlthaff.26.6.w717

Harzheim E, Oliveira MMC, Agostinho MR, Hauser L, Stein AT, Gonçalves MR, et al. Validação do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: PCATool-Brasil adultos. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2013;8(29):274-84. DOI: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc8(29)829

NHS - The GP Patient Survey - National Sumary Report (January 2015 Publication) [acesso 11 Jun 2015]. Disponível em: http://gp-survey-production.s3.amazonaws.com/archive/2015/January/January%202015%20National%20Summary%20Report.pdf

Bunn F, Byrne G, Kendall S. Telephone consultation and triage: effects on health care use and patient satisfaction. Cochrane Database Syst Rev. 2004;(4):CD004180.

Ponte C. A utilização do correio electrónico na comunicação com os utentes da USF Porta do Sol. Rev Port Clin Geral. 2011;27(3):274-80.

Pinhão R, Calisto M, Pimentel MA, Fernandes R. Implementação da comunicação médico-doente via endereço electrónico na consulta de MGF. Rev Port Clin Geral. 2009;25(6):634-8.

Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) - Brasil Conectado. Presidência da República Federativa do Brasil, 2010 [acesso 15 Jun 2015]. Disponível em: http://www.mc.gov.br/publicacoes

Gunning E, Richards E. Should pacients be able to e-mail theirs general practitioner? BMJ 2014;349:g5338. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.g5338

Committee on Quality Health Care, Institute of Medicine. Crossing the Quality Chasm: a new health system for the 21st century. Washington, DC: National Academy Press; 2001 [acesso 11 Jun 2015]. Disponível em: http://books.nap.edu/html/quality_chasm/reportbrief.pdf

Patt MR, Houston TK, Jenckes MW, Sands DZ, Ford DE. Doctors who are using e-mail with their patients: a qualitative exploration. J Med Internet Res. 2003;5(2):e9. DOI: http://dx.doi.org/10.2196/jmir.5.2.e9

Monica G. O uso do e-mail na comunicação com o médico de família: catorze meses de experiência. Rev Port Clin Geral 2009;25(6):639-46.

Gérvas J, Bonis J. El debate profesional acerca de la escasez de médicos. Rev Esp Salud Pública 2008; 82(6):627-35.

Car J, Sheikh A. Email consultations in health care: 2--acceptability and safe application. BMJ. 2004;329(7463):439-42. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.329.7463.439

Newhouse N, Lupiáñez-Villanueva F, Codagnone C, Atherton H. Patient use of email for health care communication purposes across 14 European countries: an analysis of users according to demographic and health-related factors. J Med Internet Res. 2015;17(3):e58. DOI: http://dx.doi.org/10.2196/jmir.3700

Danish Ministry of Health. eHealth in Denmark: eHealth as a part of a coherent Danish health care system. 2012 [acesso 11 Jun 2015]. Disponível em: URL: http://www.sum.dk/~/media/Filer%20-%20Publikationer_i_pdf/2012/Sundheds-IT/Sundheds_IT_juni_web.ashx

Torres-Pereira C, Possebon RS, Simões A, Bortoluzzi MC, Leão JC, Giovanini AF, et al. Email for distance diagnosis of oral diseases: a preliminary study of teledentistry. J Telemed Telecare. 2008;14(8):435-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1258/jtt.2008.080510

Gusso G, Poli Neto P. Gestão da Clínica. In: Gusso G, Ceratti JM Lopes. Org. Tratado de Medicina de Família e Comunidade. Princípios, formação e prática. 1ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2012. p.161-5.

Houston TK, Sands DZ, Jenckes MW, Ford DE. Experiences of patients who were early adopters of electronic communication with their physician: satisfaction, benefits, and concerns. Am J Manag Care. 2004;10(9):601-8.




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc10(37)1167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Paulo Poli Neto, Charles Dalcanale Tesser, Gabriel Hahn Monteiro, Pedro Felipe Mylla Boso, George Lemos

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia