Leishmaniose mucosa: considerações epidemiológicas e de tratamento

  • Caroline Sampaio Alves Nunes Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Juliano Kazuo Yoshizawa Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Rosangela Ziggiotti de Oliveira Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Airton Pereira de Lima Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Letícia Ziggiotti de Oliveira
  • Meiri Vanderlei Nogueira de Lima Universidade Estadual de Maringá - UEM
Palavras-chave: Leishmaniose, Membrana Mucosa, Leishmaniose Mucocutânea

Resumo

Na região Sul do Brasil, a leishmaniose tegumentar americana predomina no Estado do Paraná, especialmente ao Norte e Oeste, onde um dos circuitos de produção da doença é localizado. Estima-se que 3 a 5% dos casos de leishmaniose cutânea desenvolvam lesão mucosa, e que cerca de 1% destas podem evoluir para óbito. De longa data, as drogas de escolha para tratamento da doença são os compostos antimoniais sob a forma de sais pentavalentes. O objetivo deste estudo foi descrever características epidemiológicas e de tratamento dos pacientes com leishmaniose mucosa, diagnosticados no período de 2001 a 2007, em municípios localizados na área de abrangência da 13ª Regional de Saúde, com sede no município de Cianorte, no Paraná. As informações foram coletadas do prontuário ambulatorial e das fichas de investigação epidemiológicas do Sistema de Notificação e Informação de Agravos. No período estudado, foram notificados 505 casos de leishmaniose tegumentar americana, 30 deles (6%) na forma mucosa. Foram incluídos no estudo pacientes com diagnóstico de leishmaniose mucosa, que apresentavam exames complementares realizados antes e durante o tratamento. Os resultados evidenciaram a necessidade de acompanhamento cuidadoso dos doentes nas equipes de saúde, dado a possível evolução e presença de efeitos medicamentosos indesejáveis nos pacientes afetados pela condição.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Caroline Sampaio Alves Nunes, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Residente de Medicina de Família e Comunidade (MFC) da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Paraná, Brasil.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Juliano Kazuo Yoshizawa, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Residente de MFC da UEM. Paraná, Brasil.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Rosangela Ziggiotti de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Professora Adjunto do Departamento de Medicina da UEM. Paraná, Brasil.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Airton Pereira de Lima, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Professor Assistente do Departamento de Medicina da UEM. Paraná, Brasil.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Letícia Ziggiotti de Oliveira
Acadêmica do 10º período de Medicina na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Membro da diretoria da Liga Acadêmica de Dermatologia da PUCPR, membro efetivo da Liga de Iniciação Científica de Medicina da PUC-PR.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Meiri Vanderlei Nogueira de Lima, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Mestre em Ciências da Saúde. Enfermeira da 13ª Regional de Saúde. Cianorte, Paraná, Brasil.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Atlas de Leishmaniose tegumentar Americana: Diagnóstico clínico e diferencial. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2006. 136 p.

Amato VS, Tuon FF, Siqueira AM, Nicodemo AC, Amato Neto V. Treatment of Mucosal Leishmaniasis in Latin America: Systematic Review. Am J Trop Med Hyg. 2007;77(2):266-74.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de Vigilância da Leishmaniose Tegumentar Americana. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2007. 182 p.

Tuon FF, Gomes-Silva A, Da-Cruz AM, Duarte MIS, Amato Neto V, Amato VS. Local immunological factors associated with recurrence of mucosal leishmaniasis. Clinical Immunology. 2008;128(3):442-6.

Marsden PD. Mucosal leishmaniasis. Trans R Soc Trop Med Hyg. 1986;(80):859-76.

Sampaio RNR, Rocha RAA, Marsden PP, Cuba CC, Barreto AC. Leishmaniose tegumentar americana: casuística do hospital da UNB. An Bras Dermatol. 1980;55(2):69-76.

Lima MVN, Oliveira RZ, Lima AP, Felix MLO, Silveira TGV, Rossi RB, et al. Atendimento de pacientes com leishmaniose tegumentar americana: avaliação dos serviços de saúde de municípios do Noroeste do estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2007 dez.;23(12):2938-48.

Teodoro U, Spinoza RP, Vicente LSF, Guilherme ALF, Lima AP, Junqueira GMB, et al. Da necessidade de se adotar e divulgar esquemas terapêuticos para tratamento de leishmaniose tegumentar no Paraná. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo. 1991 jun.;33(3):199-294.

Follador I, Araújo C, Cardoso MA, Tavares-Neto J, Barral A, Carvalho EM, et al. Surto de leishmaniose tegumentar americana em Canoa, Santo Amaro, Bahia, Brasil. Rev Soc Bras Med Trop. 1999 out.;32(5): 497-503.

Diógenes MJM, Gonçalves HS, Lima JW, Menezes RHO, Gonçalves HMG. Leishmanioses na infância: aspectos epidemiológicos, clínicos e de tratamento. An Bras Dermatol. 1993;(60):209-12.

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de saúde. Manual de controle da Leishmaniose Tegumentar Americana; 2000.

Gasser RA Jr, Magill AJ, Oster CN, Franke ED, Grögl M, Berman JD. Pancreatitis induced by pentavalent by pentavalent antimonial agents during treatment of leishmaniasis. Clin Infect Dis. 1994 Jan; 18(1): 83-90.

Dietze R. Leishmaniose tegumentar americana. In: Cimerman S, Cimerman B. Medicina Tropical. (Ed.) São Paulo: Atheneu; 2005. p.1543-57.

Chulay LD, Spencer HC, Mugambi M. Eletrocardiographic changes during treatment of leishmaniasis with pentavalent antimony (sodium stibogluconate). Am J Trop Med Hyg. 1985;34(4):702-9.

Oliveira RZ, Oliveira LZ, Nunes CS, Limas MVN, Lima AP, Cerino D, et al. Leishmaniose cutânea e implicações do tratamento. III Congresso Internacional de Saúde; Maringá: Universidade Estadual de Maringá; 2009.

Lima MVN, Oliveira RZ, Lima AP, Cerino DA, Silveira TGV. Leishmaniose cutânea com desfecho fatal durante o tratamento com antimonial pentavalente. An Bras Dermatol. 2007;82(3):269-71.

Publicado
2011-03-18
Como Citar
Nunes, C. S. A., Yoshizawa, J. K., Oliveira, R. Z. de, Lima, A. P. de, Oliveira, L. Z. de, & Lima, M. V. N. de. (2011). Leishmaniose mucosa: considerações epidemiológicas e de tratamento. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 6(18), 52-56. https://doi.org/10.5712/rbmfc6(18)145
Seção
Artigos de Pesquisa