Avaliação do estado nutricional da comunidade indígena Kaingang. Área Monte Caseiros - Muliterno RS

Jeanine Eggers Caramori, Ernesto Grazziotin Longhi

Resumo


A obesidade tornou-se um problema mundial, no qual a dieta alimentar não-balanceada contribui, e muito, para o aumento de peso. Realizou-se um estudo com o objetivo de conhecer a prevalência da obesidade e dos fatores de risco que levam ao desenvolvimento dessa patologia, dando ênfase a alguns fatores de risco e o perfil alimentar da comunidade indígena da Estratégia da Saúde da Família da Aldeia Monte Caseiros de Muliterno (RS). Foram entrevistados, por meio de questionários, medidos e pesados 143 indivíduos, maiores de 20 anos e registrados no Programa SIASI - 2008. Foram avaliados pelo índice de massa corporal (IMC), e os resultados foram: 40% de obesos, 38% de pessoas com sobrepeso e apenas 22% com o peso adequado. No grau de obesidade, 60% são mulheres, 80% realizam três refeições diárias, 95% preparam a refeição com banha de porco e 49% não realizam nenhuma atividade física. De modo semelhante a outros estudos com populações distintas, conclui-se que, entre os Kaingangs, o sobrepeso e a obesidade acometem um grande número de indivíduos.


Palavras-chave


Antropometria; Avaliação Nutricional; Obesidade; Índios Sul-Americanos; Sobrepeso; Índice de Massa Corporal; Saúde Indígena

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc4(15)169

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2008 Jeanine Eggers Caramori, Ernesto Grazziotin Longhi



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia