De que território os médicos do Programa de Saúde da Família estão falando?

Luiza Maria de Castro Augusto Alvarenga, Cleide Lavieri Martins

Resumo


Este artigo teve por objetivo apresentar algumas reflexões do estudo sobre a prática médica no Programa de Saúde da Família (PSF) e a mudança de modelo assistencial em saúde a partir do estudo de caso de uma região de Saúde da cidade de Vitória, Espírito Santo, utilizando a abordagem qualitativa na coleta e análise dos relatos de sete médicos. Neste estudo, os médicos entrevistados falaram sobre a prática do PSF e a mudança individualmente vivida; uma das categorias de análise foi a relação entre o médico e o território. Os médicos que participaram deste estudo não conheciam o território na concepção primordial que transforma o modelo, tratando-o como área de abrangência geograficamente delimitada, o que não traz oportunidades de práticas de saúde, as quais demonstrem a mudança do paradigma causal do processo de adoecimento contido na Constituição Federal brasileira, que admite a mulitcausalidade com determinação social.


Palavras-chave


Programa Saúde da Família; Pesquisa Qualitativa; Educação Médica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc5(17)176

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia