Decisão compartilhada na atenção primária e desfechos em saúde: uma revisão integrativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2388

Palavras-chave:

Tomada de Decisão Clínica, Atenção primária à saúde, Avaliação de Resultados da Assistência ao Paciente, Avaliação de Processos e Resultados em Cuidados de Saúde.

Resumo

O processo de decisão compartilhada pode ser definido a partir dos seguintes elementos: 1. há, no mínimo, duas pessoas envolvidas no processo de decisão, o médico e o paciente; 2. médico e paciente compartilham informações; 3. ambos contribuem para o processo decisório expondo suas preferências; 4. chega-se a uma decisão sobre a qual todos os envolvidos concordam. Seu emprego se justifica principalmente pelo aspecto ético de incluir o paciente nas decisões cujas consequências ele sofrerá. Todavia, muito se questiona sobre a relação desta prática com os desfechos em saúde. Objetivos: Esse estudo tem por objetivo avaliar a relação entre a prática da decisão compartilhada e desfechos em saúde em cenários de atenção primária à saúde. Métodos: Realizou-se uma revisão integrativa da literatura e foram incluídos artigos que tivessem medidas empíricas de decisão compartilhada durante o encontro clínico, cujo cenário fosse a atenção primária à saúde e que apresentasse avaliação de, pelo menos, um desfecho em saúde. Resultados: Inclui-se dez artigos no estudo, e os temas abordados são depressão (4 artigos), hipertensão (2), diabetes (1), risco cardiovascular (1), rastreio de câncer colorretal (1) e infertilidade (1). Metade dos estudos sobre depressão encontraram associação positiva entre a decisão compartilhada e a melhora dos sintomas depressivos. Dos estudos sobre hipertensão, não se encontrou associações estatisticamente significativas. Do estudo sobre diabetes, não se constatou correlação positiva entre decisão compartilhada e redução da hemoglobina glicada e do LDL. Compartilhar a decisão ao discutir risco cardiovascular não piorou o escore deste indicador 6 meses após a consulta. Com relação ao rastreio de câncer colorretal, discutir riscos e benefícios e avaliar as preferências dos pacientes se associou negativamente à realização dos testes de rastreio. Por fim, decisão compartilhada se associou a melhor experiência de cuidado para pessoas em acompanhamento para infertilidade na atenção primária. Dois estudos cronometraram consultas e não se observou diferenças de tempo entre aqueles que usaram e os que não usaram a decisão compartilhada. Quatro estudos não definiram conceitualmente a decisão compartilhada e quatro estudos não utilizaram ferramentas validadas para medi-la. Conclusão: Com relação aos desfechos avaliados, os artigos incluídos nesta revisão apresentam resultados ambíguos, com aparente tendência de correlação positiva entre decisão compartilhada e desfechos. Todavia, a falta de uniformidade com relação à definição conceitual de decisão compartilhada parece ser potencial barreira para pesquisas de maior qualidade na área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gabriel Glebocki, Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo, SP

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (2017) e graduação em Física pela Universidade de São Paulo (2011). Participou, como bolsista de iniciação científica, de grupo de pesquisa no Laboratório de Endocrinologia Molecular Translacional da UNIFESP, com foco em desreguladores endócrinos. Atualmente, está no segundo ano de residência médica em Medicina de Família e Comunidade.

Felipe G. Corneau, Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo, SP

Possui graduação em Medicina (2011) e Mestrado em Saúde Pública (2016), ambos pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Medicina de Família e Comunidade e Sáude Pública, atua como preceptor no Programa de Residência Médica de MFC da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo.

Referências

(1) Charles C, Gafni A, Whelan T. Shared decision-making in the medical encounter: what does it mean? (or it takes at least two to tango). Soc Sci Med. 1997 Mar;44(5):681-92. DOI: https://doi.org/10.1016/S0277-9536(96)00221-3

(2) Makoul G, Clayman ML. An integrative model of shared decision making in medical encounters. Patient Educ Couns. 2006 Mar;60(3):301-12. DOI: https://doi.org/10.1016/j.pec.2005.06.010

(3) Moumjid N, Gafni A, Brémond A, Carrère MO. Shared decision making in the medical encounter: Are we all talking about the same thing?. Med Decis Mak. 2007 Set;27(5):539-46. DOI: https://doi.org/10.1177/0272989X07306779

(4) Cribb A, Entwistle VA. Shared decision making: trade-offs between narrower and broader conceptions. Heal Expect. 2011;14(2):210-9. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1369-7625.2011.00694.x

(5) Beauchamp TL. Methods and principles in biomedical ethics. J Med Ethics. 2003 Set;29(5):269-74. DOI: https://doi.org/10.1136/jme.29.5.269

(6) Conselho Federal de Medicina (CFM). Código de Ética Médica. Resolução CFM no 2.217, de 27 de setembro de 2018, modificada pelas Resoluções CFM no 2.222/2018 e 2.226/2019. Brasília (DF): CFM; 2019.

(7) Wennberg JE, Barnes BA, Zubkoff M. Professional uncertainty and the problem of supplier-induced demand. Soc Sci Med. 1982;16(7):811-24. DOI: https://doi.org/10.1016/0277-9536(82)90234-9

(8) Kasper JF, Mulley Junior AG, Wennberg JE. Developing shared decision making programs to improve the quality of health care. Qual Rev Bull. 1992 Jun;18(6):183-90. DOI: https://doi.org/10.1016/S0097-5990(16)30531-0

(9) McCormack J, Elwyn G. Shared decision is the only outcome that matters when it comes to evaluating evidence-based practice. BMJ Evidence-Based Med. 2018;23(4):137-9. DOI: https://doi.org/10.1136/bmjebm-2018-110922

(10) Stewart M, Brown JB, Weston WW, McWhinney IR, McWilliam CL, Freeman TR. Medicina centrada na pessoa, transformando o método clínico. 3rd ed. Porto Alegre: Artmed; 2017.

(11) Kurtz S, Silverman J, Benson J, Draper J. Marrying content and process in clinical method teaching. Acad Med. 2003 Ago;78(8):802-9. DOI: https://doi.org/10.1097/00001888-200308000-00011

(12) Härter M, Moumjid N, Cornuz J, Elwyn G, Van Der Weijden T. Shared decision making in 2017: international accomplishments in policy, research and implementation. Z Evid Fortbild Qual Gesundhwes. 2017 Jun;123:1-5. DOI: https://doi.org/10.1016/j.zefq.2017.05.024

(13) National Health Service (NHS). Equity and excellence: liberating the NHS. London, UK: NHS - Department of Health - The Stationery Office Limited; 2010.

(14) Australian Commission on Safety and Quality in Health Care (ACSQHC). National Safety and Quality Health Service Standards. 2nd ed. Sydney: ACSQHC; 2017.

(15) Ministério da Saúde (BR). Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004.

(16) Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília (DF), 22 set 2017; Seção 1:68.

(17) Scholl I, Van Loon MK, Sepucha K, Elwyn G, Légaré F, Härter M, et al. Measurement of shared decision making - a review of instruments. Z Evid Fortbild Qual Gesundhwes. 2011;105(4):313-24. DOI: https://doi.org/10.1016/j.zefq.2011.04.012

(18) Katz SJ, Hawley S. The value of sharing treatment decision making with patients: expecting too much?. JAMA. 2013 Out;310(15):1559-60. DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2013.278944

(19) Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer Integrative review. Einstein. 2010 Jan/Mar;8(1):102-8.

(20) Sanders ARJ, Van Weeghel I, Vogelaar M, Verheul W, Pieters RHM, Wit NJ, et al. Effects of improved patient participation in primary care on health-related outcomes: a systematic review. Fam Pract. 2013 Ago;30(4):365-78. DOI: https://doi.org/10.1093/fampra/cmt014

(21) Johnson RA, Huntley A, Hughes RA, Cramer H, Turner KM, Perkins B, et al. Interventions to support shared decision making for hypertension: a systematic review of controlled studies. Heal Expect. 2018 Set;21(6):1191-207. DOI: https://doi.org/10.1111/hex.12826

(22) Cooper LA, Roter DL, Carson KA, Bone LR, Larson SM, Miller ER, et al. A randomized trial to improve patient-centered care and hypertension control in underserved primary care patients. J Gen Intern Med. 2011;26:1297-304. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1794-6

(23) Tinsel I, Buchholz A, Vach W, Siegel A, Dürk T, Buchholz A, et al. Shared decision-making in antihypertensive therapy: a cluster randomised controlled trial. BMC Fam Pract. 2013 Set;14:135. DOI: https://doi.org/10.1186/1471-2296-14-135

(24) Krones T, Keller H, Sönnichsen A, Sadowski EM, Baum E, Wegscheider K, et al. Absolute cardiovascular disease risk and shared decision making in primary care: a randomized controlled trial. Ann Fam Med. 2008;6(3):218-27. DOI: https://doi.org/10.1370/afm.854

(25) Loh A, Leonhart R, Wills CE, Simon D, Härter M. The impact of patient participation on adherence and clinical outcome in primary care of depression. Patient Educ Couns. 2007 Jan;65(1):69-78. DOI: https://doi.org/10.1016/j.pec.2006.05.007

(26) Loh A, Simon D, Wills CE, Kriston L, Niebling W, Härter M. The effects of a shared decision-making intervention in primary care of depression: a cluster-randomized controlled trial. Patient Educ Couns. 2007 Ago;67(3):324-32. DOI: https://doi.org/10.1016/j.pec.2007.03.023

(27) Clever SL, Ford DE, Rubenstein LV, Rost KM, Meredith LS, Sherbourne CD, et al. Primary care patients’ involvement in decision-making is associated with improvement in depression. Med Care. 2006 Mai;44(5):398-405. DOI: https://doi.org/10.1097/01.mlr.0000208117.15531.da

(28) Ling BS, Trauth JM, Fine MJ, Mor MK, Resnick A, Braddock CH, et al. Informed decision-making and colorectal cancer screening: is it occurring in primary care?. Med Care. 2008 Set;46(9):S23-9. DOI: https://doi.org/10.1097/MLR.0b013e31817dc496

(29) Parchman ML, Zeber JE, Palmer RF. Participatory decision making, patient activation, medication adherence, and intermediate clinical outcomes in type 2 diabetes: a STARNet study. Ann Fam Med. 2010;8(5):410-7. DOI: https://doi.org/10.1370/afm.1161

(30) LeBlanc A, Herrin J, Williams MD, Inselman JW, Branda ME, Shah ND, et al. Shared decision making for antidepressants in primary care a cluster randomized trial. JAMA Intern Med. 2015 Nov;175(11):1761-70. DOI: https://doi.org/10.1001/jamainternmed.2015.5214

(31) Wilkes S, Hall N, Crosland A, Murdoch A, Rubin G. Patient experience of infertility management in primary care: an in-depth interview study. Fam Pract. 2009 Ago;26(4):309-16. DOI: https://doi.org/10.1093/fampra/cmp039

(32) World Health Organization (WHO). Mental health - Action plan 2013-2020. Genebra: WHO; 2013.

(33) Joosten EAG, DeFuentes-Merillas L, De Weert GH, Sensky T, Van Der Staak CPF, De Jong CAJ. Systematic review of the effects of shared decision-making on patient satisfaction, treatment adherence and health status. Psychother Psychosom. 2008;77:219-26. DOI: https://doi.org/10.1159/000126073

(34) Shay LA, Lafata JE. Where is the evidence? A systematic review of shared decision making and patient outcomes. BMC Med Decis Mak. 2015 Out;35(1):114-31. DOI: https://doi.org/10.1177/0272989X14551638

(35) Hughes TM, Merath K, Chen Q, Sun S, Palmer E, Idrees JJ, et al. Association of shared decision-making on patient-reported health outcomes and healthcare utilization. Am J Surg. 2018 Jul;216(1):7-12. DOI: https://doi.org/10.1016/j.amjsurg.2018.01.011

(36) Abreu MM, Mello JPS, Ribeiro LFF, Mussi LA, Borges MLL, Petroli M, et al. Shared decision making in brazil. Concrete efforts to empowering patient’s voice. Z Evid Fortbild Qual Gesundhwes. 2017 Jun;123:21-2. DOI: https://doi.org/10.1016/j.zefq.2017.05.022

Downloads

Publicado

2021-11-10

Como Citar

1.
Glebocki G, Gonçalves Corneau F. Decisão compartilhada na atenção primária e desfechos em saúde: uma revisão integrativa. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 10º de novembro de 2021 [citado 30º de novembro de 2021];16(43):2388. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2388

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa