Abordagem da automedicação contra COVID-19 pelo Médico de Família e Comunidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc16(43)2880

Palavras-chave:

Automedicação, Infecções por Coronavirus, Atenção Primária à Saúde, Medicina de Família e Comunidade

Resumo

Introdução: A automedicação para COVID-19 é considerada um problema emergente e que reflete o momento de infodemia e de crescimento da doença no Brasil. Nesse sentido, a Atenção Primária à Saúde, em que ocorre a maior parte do acesso dos casos leves e moderados de COVID-19, tem-se mostrado um lugar privilegiado para a abordagem de pacientes em uso irracional desses medicamentos. Objetivo: Discutir questões sobre a automedicação voltada para a COVID-19, abordando particularidades do processo de trabalho do médico de família e comunidade (MFC) e as perspectivas para esses profissionais num cenário de grandes tensões político-sanitárias. Métodos: Trata-se de um ensaio teórico que se baseia nas premissas do uso racional de medicamentos (URM) e da medicina baseada em evidências para sintetizar uma proposta de atuação de MFC à luz dos principais documentos e normativas produzidas sobre o tratamento da COVID-19 no país. Resultados: Por meio do referencial teórico, são apresentadas duas estratégias principais para a abordagem dos casos de automedicação para COVID-19: uma do ponto de vista individual, que envolve a desprescrição desses medicamentos mediante um entendimento acordado entre o MFC e o paciente; e uma de cunho sistêmico, ligada ao combate à venda irregular de medicamentos voltados para a COVID-19 no território de atuação desse profissional. Conclusões: As disputas políticas em torno da pandemia ainda continuam vivas e devem persistir por longa data no Brasil. Cabe aos profissionais de saúde e à sociedade como um todo defender o URM e combater a utilização de medicamentos desnecessários, inefetivos, inseguros ou potencialmente inadequados no contexto da COVID-19, protegendo assim a vida e o bom uso dos recursos da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Waldemir de Albuquerque Costa, Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SMS/DF), Brasília, DF

Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS. Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade – SBMFC. Supervisor acadêmico do Grupo Especial de Supervisão do Programa Mais Médicos no Amazonas – GES/PMM/AM. Médico da Estratégia Saúde da Família da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF

Natalia de Campos Carvalho, Grupo Especial de Supervisão do Programa Mais Médicos no Amazonas – Manaus (AM), Brasil

Mestranda da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro – PRMFC/SMSDC/RJ. Supervisora acadêmica do Grupo Especial de Supervisão do Programa Mais Médicos no Amazonas – GES/PMM/AM.

Pedro Alexandre Barreto Coelho, Secretaria de Saúde do Distrito Federal – Brasília (DF), Brasil.

Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro – PRMFC/SMSDC/RJ. Residência em Medicina Paliativa no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – HC/FMUSP. Preceptor da Residência em Medicina de Família e Comunidade e Médico da Estratégia Saúde da Família da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF

Referências

(1) Brasil. Ministério da Saúde. Covid-19: painel coronavírus [Internet]. 2021 [accessed on July 28, 2021]. Available at: https://covid.saude.gov.br/

(2) Do Bú EA, Alexandre MES, Bezerra VAS, Sá-Serafim RCN, Coutinho MPL. Representações e ancoragens sociais do novo coronavírus e do tratamento da COVID-19 por brasileiros. Estud Psicol 2020;37:e200073. https://doi.org/10.1590/1982-0275202037e200073 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-0275202037e200073

(3) Brito JCM, Lima WG, Cardoso BG, Simião DC, Amorim JM, Silva CA. Uso irracional de medicamentos e plantas medicinais contra a COVID-19 (SARS-CoV-2): um problema emergente. Brazilian J H Pharm 2020;2(3):37-53. https://doi.org/10.29327/226760.2.3-5 DOI: https://doi.org/10.29327/226760.2.3-5

(4) Mata ML, Grigoleto MC, Lousada M. Dimensões da competência em informação: reflexões frente aos movimentos de infodemia e desinformação na pandemia da Covid-19. Liinc em Rev 2020;16(2):e5340. https://doi.org/10.18617/liinc.v16i2.5340 DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v16i2.5340

(5) Pan American Health Organization. Ongoing Living Update of COVID-19 Therapeutic Options: Summary of Evidence. Rapid Review, 14 Jul 2021. 23th ed. [Internet]. 2021 [accessed on July 28, 2021]. Available at: https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52719/PAHOIMSEIHCOVID-1921019_eng.pdf?sequence=48&isAllowed=y

(6) Rio Grande do Sul. Conselho Regional de Farmácia. Levantamento mostra como o medo da Covid-19 impactou venda de medicamentos [Internet]. 2020 [accessed on 01 jan. 2021]. Available at: https://www.crfrs.org.br/noticias/levantamento-mostra-como-o-medo-da-covid-19-impactou-venda-de-medicamentos

(7) Conselho Federal de Farmácia. Venda de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid dispara [Internet]. 2021 [accessed on 28 jul 2021]. Available at: https://www.cff.org.br/noticia.php?id=6197&titulo=Venda+de+rem%C3%A9dios+sem+efic%C3%A1cia+comprovada+contra+a+Covid+dispara

(8) Paiva AM, Pinto AWS, Cançado BL, Chequer FMD, Pereira ML, Baldoni AO. Efeito das “promessas terapêuticas” sobre os preços de medicamentos em tempos de pandemia. J Health Biol Sci 2020;8(1):1-5. http://doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v8i1.3407.p1-5.2020 DOI: https://doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v8i1.3407.p1-5.2020

(9) Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução – RDC no 351, de 20 de março de 2020. Dispõe sobre a atualização do Anexo I (listas de substâncias entorpecentes, psicotrópicas, precursoras e outras sob controle especial) da Portaria SVS/MS no 344, de 12 de maio de 1998, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, 20 mar. 2020 [Internet]. 2021 [accessed on 08 nov 2021]. Available at: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/portaria/Resolucao%20n%C2%BA%20351-ANVISA.htm#:~:text=RESOLU%C3%87%C3%83O%20%2D%20RDC%20N%C2%BA%20351%2C%20DE,1998%2C%20e%20d%C3%A1%20outras%20provid%C3%AAncias

(10) Conselho Federal de Medicina. Processo-consulta CFM no 8/2020 – Parecer CFM no 4/2020. Tratamento de pacientes portadores de COVID-19 com cloroquina e hidroxicloroquina. Considerar o uso da cloroquina e hidroxicloroquina, em condições excepcionais, para o tratamento da COVID-19. Brasília, 16 abr. 2020 [Internet]. [accessed on 08 nov 2021]. Available at: https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/pareceres/BR/2020/4

(11) Brasil. Ministério da Saúde. Nota Informativa no 17/2020 – SE/GAB/SE/MS. Orientações do Ministério da Saúde para manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da Covid-19. 2020 [Internet]. [accessed on 08 nov 2021]. Available at: http://www.consultaesic.cgu.gov.br/busca/dados/Lists/Pedido/Attachments/1527690/RESPOSTA_RECURSO_1_131580_NOTA%20INFORMATIVA%20N%2017_2020-GAB_SE_MS.pdf

(12) Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Diretoria Colegiada. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC no 405, de 22 de julho de 2020. Estabelece as medidas de controle para os medicamentos que contenham substâncias constantes do Anexo I desta Resolução, isoladas ou em associação, em virtude da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) relacionada ao novo Coronavírus (SARS-CoV-2). Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, 22 de julho de 2020. [Internet]. [accessed on 08 nov 2021]. Available at: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-de-diretoria-colegiada-rdc-n-405-de-22-de-julho-de-2020-268192342

(13) Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Diretoria Colegiada. Resolução da Diretoria Colegiada – RDC no 420, de 1o de setembro de 2020. Dispõe sobre a atualização do Anexo I da Resolução de Diretoria Colegiada – RDC no 405, de 22 de julho de 2020. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, 01 de setembro de 2020. [Internet]. [accessed on 08 nov 2021]. Available at: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-de-diretoria-colegiada-rdc-n-420-de-1-de-setembro-de-2020-275243243

(14) Ventura D, Reis R. A linha do tempo da estratégia federal de disseminação da covid-19. In: Direitos na pandemia: mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à Covid-19 no Brasil. 2021;(10):6-31 [Internet]. [accessed on July 28, 2021]. Available at: https://static.poder360.com.br/2021/01/boletim-direitos-na-pandemia.pdf

(15) Olímpio V. Médico de UTI em Manaus rebate acusações de falta de tratamento precoce: “é sacanagem com a gente”. Correio Braziliense de 15 de Janeiro de 2021 [Internet]. [accessed on January 1, 2021]. Available at: https://www.correiobraziliense.com.br/brasil/2021/01/4900587-medico-de-uti-em-manaus-rebate-acusacoes-de-falta-de-tratamento-precoce-e-sacanagem-com-a-gente.html

(16) Lobato E. Infodemia, crendice e coronavírus. Vermífugo “até melhor que a cloroquina” vira estrela de kit-Covid de prefeitos e ganha aval de Bolsonaro. Folha de São Paulo de 12 de junho de 2020 [Internet]. [accessed on January 1, 2021]. Available at: https://piaui.folha.uol.com.br/infodemia-crendice-e-coronavirus/?fbclid=IwAR0vErt2CGXav3Y5Qe7IgK2azjwoKrveumzC48OVqg6rrZnjNlhPRAEA0Nc

(17) Schelp D. Em dez cidades com “kit covid”, nove tiveram taxa de mortalidade mais alta. UOL Notícias de 21 de janeiro de 2021 [Internet]. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://noticias.uol.com.br/colunas/diogo-schelp/2021/01/21/nove-em-dez-cidades-com-kit-covid-tiveram-taxa-de-mortalidade-mais-alta.htm

(18) Lalwani P, Salgado BB, Pereira Filho IV, Silva DSS, Morais TBN, Jordão MF, et al. SARS-CoV-2 seroprevalence and associated factors in Manaus, Brazil: baseline results from the DETECTCoV-19 cohort study. Int J Infect Dis 2021;110:141-50. http://doi.org/10.1016/j.ijid.2021.07.017 DOI: https://doi.org/10.2139/ssrn.3795816

(19) Daumas RP, Azevedo e Silva G, Tasca R, Leite IC, Brasil P, Greco DB, et al. The role of primary care in the Brazilian healthcare system: limits and possibilities for fighting COVID-19. Cad Saude Publica 2020;36(6):e00104120. http://doi.org/10.1590/0102-311X00104120 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00104120

(20) World Health Organization. The rational use of drugs: report of the conference of experts. Nairóbi, 1985 Jul 25-29. Genebra: World Health Organization; 1987.

(21) Sackell DL, Rosenberg WM, Gray JA, Haynes RB, Richardson WS. Evidence based medicine: what it is and what it isn't. BMJ 1996;312(7023):71-2. http://doi.org/10.1136/bmj.312.7023.71 DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.312.7023.71

(22) Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Recomendações da SBMFC para a APS durante a pandemia de COVID-19. 3a ed. [Internet] 2020. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://www.sbmfc.org.br/wp-content/uploads/2020/07/Recomendac%CC%A7o%CC%83es-da-SBMFC-para-a-APS-durante-a-Pandemia_3versa%CC%83o_12_07-1.pdf

(23) Falavigna M, Colpani V, Stein C, Azevedo LCP, Bagattini AM, Brito GV, et al. Diretrizes para o tratamento farmacológico da COVID-19. Consenso da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Rev Bras Ter Intensiva 2020;32(2):166-96. https://doi.org/10.5935/0103-507X.20200039 DOI: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20200039

(24) Sociedade Brasileira de Infectologia. Atualizações e recomendações sobre a COVID-19. [Internet] 2020. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://infectologia.org.br/wp-content/uploads/2020/12/atualizacoes-e-recomendacoes-covid-19.pdf

(25) Sociedade Brasileira de Infectologia. Associação Médica Brasileira. Informativo conjunto da Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) sobre vacinação e tratamento farmacológico preventivo [Internet] 2021. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://infectologia.org.br/wp-content/uploads/2021/01/informativo-conjunto-da-amb-e-sbi-sobre-vacinacao-e-tratamento-farmacologico-preventivo-covid-19.pdf

(26) Mota DM, Kuchenbecker RDS. Considerações sobre o uso de evidências científicas em tempos de pandemia: o caso da COVID-19. Visa em Debate 2020;8(2):2-9. https://doi.org/10.22239/2317-269X.01541 DOI: https://doi.org/10.22239/2317-269x.01541

(27) Tritany RF, Tritany EF. Uso racional de medicamentos para COVID-19 na atenção primária à saúde. Saúde em Redes 2020;6(Supl.2):7-16. https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2%20Suplem.3205g537 DOI: https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2

(28) Gavilán-Moral E, Barroso AV, Gracia LJ. Como desprescrever medicamentos. In: Gusso G, Lopes JMC, Dias LC. Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática. 2a ed. Artmed: Porto Alegre; 2018. p. 828-35.

(29) Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Combate à falsificação e roubo de medicamentos: manual de orientação ao farmacêutico [Internet]. [accessed on January 22, 2021]. Available at: http://www.crfsp.org.br/documentos/materiaistecnicos/Combate_Falsificacao_e_Roubo_de_Medicamentos.pdf

(30) Santos AKC, Araújo TA, Oliveira FS. Farmacoterapia e cuidados farmacêuticos da gripe e resfriado. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management 2020;16(2):137-55.

(31) Peres AC. Menos é mais: como a desprescrição pode ser uma forte aliada para a promoção do uso racional de medicamentos. RADIS Comunicação e Saúde [Internet]. 2020. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://radis.ensp.fiocruz.br/index.php/home/reportagem/menos-e-mais

(32) Garcia LP, Duarte E. Infodemia: excesso de quantidade em detrimento da qualidade das informações sobre a COVID-19. Epidemiol Serv Saude 2020;29(4):e2020186. https://doi.org/10.1590/S1679-49742020000400019 DOI: https://doi.org/10.1590/s1679-49742020000400019

(33) Stewart M, Brown JB, Weston WW, McWhinney IR, McWilliam CL, Freeman TR. Medicina centrada na pessoa: transformando o método clínico. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2017.

(34) Lima JVO, Cavalcante GL, Braga NSM, Silva AR, Silva TM, Gomes BP, et al. Potential risk of investigated drugs for the treatment of COVID-19: drugs interactions. Rev Pre Infec e Saúde 2020;6:10829. https://doi.org/10.26694/repis.v6i0.10829 DOI: https://doi.org/10.26694/repis.v6i0.10829

(35) Molento MB. Ivermectin against COVID-19: the unprecedented consequences in Latin America. One Health 2021;13:100250. https://doi.org/10.1016/j.onehlt.2021.100250 DOI: https://doi.org/10.1016/j.onehlt.2021.100250

(36) Kloetzel K. O diagnóstico clínico: estratégias e táticas. In: Duncan BB, Schimidt MI, Giugliani ERJ. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 4a ed. Porto Alegre: Artmed; 2013. p. 107-18.

(37) Lopes JMC. Registro de saúde orientado por problemas. In: Gusso G, Lopes JMC, Dias LC. Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática. 2a ed. Porto Alegre: Artmed; 2018. p. 346-56.

(38) Getahun H, Smith I, Trivedi K, Paulin S, Balkhy HH. Tackling antimicrobial resistance in the COVID-19 pandemic. Bull World Health Organ 2020;98(7):442-442A. https://doi.org/10.2471/BLT.20.268573 DOI: https://doi.org/10.2471/BLT.20.268573

(39) Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria no 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Poder Executivo. Brasília, 21 de setembro de 2017. [Internet]. 2017. [accessed on November 8, 2021]. Available at: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

(40) Lopes JMC. Princípios da medicina de família e comunidade. In: Gusso G, Lopes JMC, Dias LC. Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática. 2a ed. Porto Alegre: Artmed; 2018. p. 1-10. DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc10(34)870

(41) Hurtado RL, Lasmar MC. Medicamentos falsificados e contrabandeados no Brasil: panorama geral e perspectivas de combate ao seu consumo. Cad Saúde Pública 2014;30(4):891-5. https://doi.org/10.1590/0102-311X00107013 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00107013

(42) Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. Protocolo coordenado pelo Ministério da Saúde e ANVISA em parceria com FIOCRUZ e FHEMIG [Internet] 2013. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://www20.anvisa.gov. br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/item/seguranca-na-prescricao-uso-e-administracao-de-medicamentos

(43) Lucena RCB. A descentralização na vigilância sanitária: trajetória e descompasso. Rev Adm Pública 2015;49(5):1107-20. https://doi.org/10.1590/0034-7612137128 DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7612137128

(44) Fick DM, Cooper JW, Wade WE, Waller JL, Maclean JR, Beers MH. Updating the Beers criteria for potentially inappropriate medication use in older adults: results of a US consensus panel of experts. Arch Intern Med 2003;163(22):2716-24. https://doi.org/10.1001/archinte.163.22.2716 DOI: https://doi.org/10.1001/archinte.163.22.2716

(45) Silva LMC, Araújo JL. Clinical and community pharmacist’s role in the COVID-19 pandemic. Research, Society and Development 2020;9(7):e684974856. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4856 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i7.4856

(46) Tabakman R. A notícia é outra quando se trata da descoberta de novos medicamentos. Observatório da Imprensa [Internet] 2018. [accessed on January 22, 2021]. Available at: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-e-saude/a-noticia-e-outra-quando-se-trata-da-descoberta-de-novos-medicamentos/

(47) Máximo W. Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac. Agência Brasil de 17 de janeiro de 2021 [Internet]. [accessed on January 22, 2021]. Available at: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-01/area-tecnica-da-anvisa-recomenda-uso-emergencial-da-coronavac

Publicado

2021-12-29

Como Citar

1.
Costa W de A, Carvalho N de C, Coelho PAB. Abordagem da automedicação contra COVID-19 pelo Médico de Família e Comunidade. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 29º de dezembro de 2021 [citado 22º de janeiro de 2022];16(43):2880. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2880

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa