A relação médico-paciente e a formação de novos médicos: análises de vivências de hospitalização

Igor Bruno Chinato, Carmen Lúcia D'Agostini, Roberto Reinert Marques

Resumo


O estudo e o ensino da relação médico-paciente é uma estratégia valiosa para promover o encontro com valores fundamentais ao ser médico, além de superar o desencontro da medicina com sua essência. A criação de oportunidades para o desenvolvimento de habilidades de comunicação e promoção de empatia é fundamental para a educação médica, tanto no cenário da assistência primária ao paciente, na medicina familiar e comunitária, bem como em ambientes hospitalares, uma vez que são conhecimentos transversais. O objetivo principal deste estudo é desvendar as percepções dos estudantes do Curso de Medicina da Universidade do Oeste de Santa Catarina sobre a Vivência Hospitalar, atividade prática de ensino do componente curricular Relação Médico-paciente, no qual os alunos passam um dia internados no hospital escola para conhecerem de maneira prática como é ser um paciente. O método utilizado foi o de análise de conteúdo dos relatórios de internação, com abordagem qualitativa e quantitativa. O instrumento de pesquisa foram os relatórios de internação realizados pelos estudantes, com amostragem de 225 relatórios. Depois do processo de leituras e codificação das expressões-chave, bem como a contagem da frequência com que essas expressões se repetiam, os resultados puderam ser agrupados em categorias principais de significados que coincidem com os temas mais relevantes que surgiram após o processo de leitura e análise. As categorias são: sintomas, sentimentos, interações com outros pacientes, interações com o hospital escola, empatia, avaliação da experiência e “os alunos-pacientes”. Foi possível concluir que a atividade pode ser uma ferramenta importante para a união da teoria e prática durante o ensino de técnicas de comunicação interpessoal e das relações entre médicos e pacientes.


Palavras-chave


Relações Médico-paciente; Estudantes de Medicina; Educação Médica

Texto completo:

PDF/A

Referências


Caprara A, Franco ALS. A relação paciente-médico: para uma humanização da prática médica. Cad Saúde Pública. 1999; 15(3): 647-654. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1999000300023

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES nº4, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretriz Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Diário oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2001 nov. 9. [acesso 2009 Maio 12]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES04.pdf

Ferreira RC, Silva RF, Aguera CB. Formação do profissional médico: a aprendizagem na atenção básica de saúde. Rev Bras Educ Med. 2007; 31(1). [acesso 2010 Ago.]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v15n3/0505.pdf http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022007000100008

Comissão Nacional de Residência Médica. Resolução CNRM nº 008/2004, de 05 de agosto de 2004. Dispõe sobre o processo de seleção pública dos candidatos aos Programas de Residência Médica. Diário oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2004 ago13. Seção 1, p. 25.

Cortopassi AC, Lima MCP, Goncalves IJ. Percepção de pacientes sobre a internação em um hospital universitário: implicações para o ensino médico. Rev Bras Educ Med. 2006; 30(2). [acesso 2010 Nov. 12]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022006000200006&script=sci_arttext http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022006000200006

Freire P. Pedagogia da autonomia - saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra; 1997.

Coelho Filho JM. Relação médico-paciente: a essência perdida. Interface Comun Saúde Educ. 2007; 11(23): 2. [acesso 2010 Nov.]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832007000300018&script=sci_arttext http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832007000300018

Grosseman S, Stoll C. Ensino-aprendizagem da relação médico paciente: estudo de caso com estudantes do último semestre do curso de Medicina. Rev Bras Educ Med. 2008; 32(3): 301-308.

Taquette SR, Rego S, Schramm FR, Soares LL, Carvalho SV, Situações eticamente conflituosas vivenciadas por estudantes de medicina. Rev Assoc Med Bras. 2005; 51(1): 23-28. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302005000100015

Ardigò A. Corso di Sociologia Sanitaria i Scuola di Specializzazione in Sociologia Sanitaria. Bologna: Università di Bologna; 1995.

Costa FD, Azevedo RCS. Empatia, relação médico-paciente e formação em medicina: um Olhar Qualitativo. Rev Bras Educ Med. 2010; 34(2): 261-269.

Hojat M. Empathy: a key element in patient-centered care Jefferson Scale of Physician Empathy. New York: Springer; 2007

Hojat M, Vergare M, Maxwell K, Brainard G, Herrine S, Isenberg G et al. The devil is in the third year: a longitudinal study oferosion of empathy in medical school. Academic Medicine. 2009; 84(9): 1182-1191. PMid:19707055. http://dx.doi.org/10.1097/ACM.0b013e3181b17e55

Hossne W. Relação professor-aluno: ética. Rev Bras Educ Med. 1994; 18(2): 49-4.

Collicott PE. Advanced Trauma Life Support Course: an improvement in rural trauma care. Neb Med J. 1979; 64279-64280.




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc7(22)289

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia