Análise da situação de saúde dos idosos usuários de uma política municipal de atividades físicas

Autores

  • Fernando Matos Dourado Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasi https://orcid.org/0000-0002-6563-7155
  • Nórton Luis Oliveira Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde (IATS), Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil
  • Luiza Isnardi Cardoso Ricardo Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia: Medicina Social, Faculdade de Medicina. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1244-4501
  • Leandro dos Santos Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0001-5640-1100
  • Angélica Trevisan de Nardi Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0325-778X
  • Cíntia Ehlers Botton Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde (IATS), Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2622-9650
  • Lucinéia Orsolin Pfeifer https://orcid.org/0000-0003-4925-0150
  • Laura Milán Vasques Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Lucas Porto Santos Laboratório de Fisiopatologia do Exercício, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0001-7934-0427
  • Larissa Neves da Silva Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0001-8649-8273
  • Bruna Góes Moraes Laboratório de Fisiopatologia do Exercício, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil
  • Lucas Helal Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares, Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6900-7185
  • Daniel Umpierre Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares, Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0001-6953-0163

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3480

Palavras-chave:

Idoso, Atividade física, Análise de situação de saúde, Saúde coletiva.

Resumo

Introdução: Políticas públicas intersetoriais em saúde são intervenções populacionais (e de cunho ecológico) muito utilizadas para a redução da carga global de doença e otimização de recursos tanto financeiros quanto humanos. Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar a situação de saúde de usuários idosos de uma política municipal de atividades físicas. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com amostragem baseada em centros comunitários (N dispositivos comunitários=11), que disponibilizam práticas de movimentos corporais e outros, subsidiados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE), Prefeitura Municipal de Porto Alegre (RS). A amostragem de usuários foi ponderada para o total de usuários atendidos por centro, adotando seleção aleatória simples. A coleta de dados ocorreu entre abril de 2018 e fevereiro de 2019, em que a equipe de coleta se deslocou ao território adscrito dos usuários para a condução de inquérito de saúde autoaplicado e a avaliação funcional; de forma contrária, os usuários compareceram a um centro de coleta para a série laboratorial (sem jejum). Resultados: Foram incluídos e analisados 351 usuários (média±desvio padrão, 70±6 anos). Para fatores de risco cardiovasculares, a prevalência de hipercolesterolemia foi de 54,2% e de 49,3% para hipertensão arterial sistêmica — as mais elevadas. O transtorno de sono foi prevalente em 55,3% da amostra. Entre as doenças autorrelatadas, os participantes listaram as cardiovasculares (14,3%), câncer prévio (14,6%), diabetes (13,2%), artrite reumatoide/ reumatismo (29,6%) e depressão (sem discriminador de depressão maior/ menor) (18,6%). A capacidade funcional, estimada pelo teste de caminhada em 6 minutos e a força de preensão manual, preditores de mortalidade cardiovascular e agravos, tiveram valores médios encontrados de 498,05±78,96 m e 27,08±8,14 kg, respectivamente. Conclusão: Os achados do presente estudo permitem contrastar prevalências estimadas em idosos participantes de um programa público de atividades físicas com outras estimativas em grupos de comparação, possibilitando a análise de situação de saúde com base em diferentes comportamentos e fatores de risco. Por fim, o trabalho viabilizou a monitorização de intervenções públicas para idosos em nível comunitário, sendo um ponto de base para acompanhamento futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Piola SF, Servo LMS, Sá EB, Paiva AB. Estruturas de financiamento e gasto do sistema público de saúde. In: Fundação Oswaldo Cruz. A saúde no Brasil em 2030: prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro: estrutura do financiamento e do gasto setorial. Rio de Janeiro: Fiocruz/Ipea/Ministério da Saúde/Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República; 2013. p. 19-70. DOI: https://doi.org/10.7476/9788581100180.0003

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: Anexo I da Portaria de Consolidação no 2, de 28 de setembro de 2017, que consolida as normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS/Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2018 [acessado em 24 fev. 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude.pdf

Ding D, Lawson KD, Kolbe-Alexander TL, Finkelstein EA, Katzmarzyk PT, van Mechelen W, et al. The economic burden of physical inactivity: a global analysis of major non-communicable diseases. Lancet 2016;388(10051):1311-24. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(16)30383-X DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(16)30383-X

von Elm E, Altman DG, Egger M, Pocock SJ, Gøtzsche PC, Vandenbroucke JP, et al. The Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology (STROBE) statement: guidelines for reporting observational studies. J Clin Epidemiol 2008;61(4):344-9. https://doi.org/10.1016/j.jclinepi.2007.11.008 DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclinepi.2007.11.008

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas 2013 [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2014 [acessado em 26 nov. 2020]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv91110.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2014 [acessado em 24 fev. 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

World Health Organization. Global status report on alcohol and health 2018 [Internet]. Geneva: WHO; 2018 [acessado em 26 nov 2020]. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789241565639

Skinner M. A literature review: polypharmacy protocol for primary care. Geriatr Nurs 2015;36(5):367-71.e4. https://doi.org/10.1016/j.gerinurse.2015.05.003 DOI: https://doi.org/10.1016/j.gerinurse.2015.05.003

Wendt A, Costa CS, Machado AKF, Costa FS, Neves RG, Flores TR, et al. Sleep disturbances and daytime fatigue: data from the Brazilian National Health Survey, 2013. Cad Saúde Pública 2019;35(3):e00086918. https://doi.org/10.1590/0102-311X00086918 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00086918

Krishnamoorthy Y, Rajaa S, Rehman T. Diagnostic accuracy of various forms of geriatric depression scale for screening of depression among older adults: systematic review and meta-analysis. Arch Gerontol Geriatr 2020;87:104002. https://doi.org/10.1016/j.archger.2019.104002 DOI: https://doi.org/10.1016/j.archger.2019.104002

ATS Committee on Proficiency Standards for Clinical Pulmonary Function Laboratories. ATS statement: guidelines for the six-minute walk test. Am J Respir Crit Care Med 2002;166(1):111-7. https://doi.org/10.1164/ajrccm.166.1.at1102 DOI: https://doi.org/10.1164/ajrccm.166.1.at1102

World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic [Internet]. Geneva: WHO; 2020 [acessado em 26 nov 2020]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/42330

Friedewald WT, Levy RI, Fredrickson DS. Estimation of the concentration of low-density lipoprotein cholesterol in plasma, without use of the preparative ultracentrifuge. Clin Chem 1972;18(6):499-502. PMID: 4337382 DOI: https://doi.org/10.1093/clinchem/18.6.499

Campolina AG, Bortoluzzo AB, Ferraz MB, Ciconelli RM. O questionário SF-6D Brasil: modelos de construção e aplicações em economia da saúde. Rev Assoc Med Bras 2010;56(4):409-14. https://doi.org/10.1590/S0104-42302010000400012 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-42302010000400012

Casanova C, Celii CR, Barria P, Casas A, Cote C, Torres JP, et al. The 6-min walk distance in healthy subjects: reference standards from seven countries Eur Respir J 2011;37(1):150-6. https://doi.org/10.1183/09031936.00194909 DOI: https://doi.org/10.1183/09031936.00194909

Pereira KG, Peres MA, Iop D, Boing AC, Boing AF, Aziz M, et al. Polifarmácia em idosos: um estudo de base populacional. Rev Bras Epidemiol 2017;20(2):335-44. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700020013 DOI: https://doi.org/10.1590/1980-5497201700020013

Medeiros-Souza P, Santos-Neto LL, Kusano LTE, Pereira MG. Diagnosis and control of polypharmacy in the elderly. Rev Saúde Pública 2007;41(6):1049-53. https://doi.org/10.1590/S0034-89102006005000050 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102006005000050

Peters MJH, van Nes SI, Vanhoutte EK, Bakkers M, van Doorn PA, Merkies ISJ, et al. Revised normative values for grip strength with the Jamar dynamometer. J Peripher Nerv Syst 2011;16(1):47-50. https://doi.org/10.1111/j.1529-8027.2011.00318.x DOI: https://doi.org/10.1111/j.1529-8027.2011.00318.x

Kadikar A, Maurer J, Kesten S. The six-minute walk test: a guide to assessment for lung transplantation. J Heart Lung Transplant 1997;16(3):313-9. PMID: 9087875

Barbosa AP, Teixeira TG, Orlandi B, Oliveira NTB, Concone MHVB. Level of physical activity and quality of life: a comparative study among the elderly of rural and urban areas. Rev Bras Geriatr Gerontol 2015;18(4):743-54. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14182

Suzuki K, Miyamoto M, Hirata K. Sleep disorders in the elderly: diagnosis and management. J Gen Fam Med 2017;18(2):61-71. https://doi.org/10.1002/jgf2.27 DOI: https://doi.org/10.1002/jgf2.27

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2021: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2021 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [acessado em 24 fev. 2021]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/svsa/vigitel/vigitel-brasil-2021-estimativas-sobre-frequencia-e-distribuicao-sociodemografica-de-fatores-de-risco-e-protecao-para-doencas-cronicas

Picon RV, Fuchs FD, Moreira LB, Fuchs SC. Prevalence of hypertension among elderly persons in urban Brazil: a systematic review with meta-analysis. Am J Hypertens 2013;26(4):541-8. https://doi.org/10.1093/ajh/hps076 DOI: https://doi.org/10.1093/ajh/hps076

Malachias MVB, Amodeo C, Paula RB, Cordeiro Júnior AC, Magalhães LBNC, Bodanese LC. 7th Brazilian Guideline of Arterial Hypertension: chapter 8 - hypertension and associated clinical conditions. Arq Bras Cardiol 2016;107(3 Suppl 3):44-8. https://doi.org/10.5935/abc.20160158 DOI: https://doi.org/10.5935/abc.20160158

Cornelissen VA, Smart NA. Exercise training for blood pressure: a systematic review and meta‐analysis. J Am Heart Assoc 2013;2(1):e004473. https://doi.org/10.1161/JAHA.112.004473 DOI: https://doi.org/10.1161/JAHA.112.004473

Umpierre D, Ribeiro PAB, Kramer CK, Leitão CB, Zucatti ATN, Azevedo MJ, et al. Physical activity advice only or structured exercise training and association with HbA1c levels in type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis. JAMA 2011;305(17):1790-9. https://doi:org.10.1001/jama.2011.576 DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2011.576

Barbosa AP, Teixeira TG, Orlandi B, Oliveira NTB, Concone MHVB. Level of physical activity and quality of life: a comparative study among the elderly of rural and urban areas. Rev Bras Geriatr Gerontol 2015;18(4):743-54. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14182 DOI: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14182

World Health Organization. Depression and other common mental disorders [Internet]. Geneva: WHO; 2017 [acessado em 9 dez 2020]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/254610

Oliveira DV, Lima MCC, Oliveira GVN, Bertolini SMMG, Nascimento Júnior JRA, Cavaglieri CR. O comportamento sedentário é um fator interveniente na prática de atividade física no idoso? Rev Bras Geriatr Gerontol 2018;21(4):472-9. https://doi.org/10.1590/1981-22562018021.180091 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-22562018021.180091

Almeida JMC. Política de saúde mental no Brasil: o que está em jogo nas mudanças em curso. Cad Saúde Pública 2019;35(11):e00129519. https://doi.org/10.1590/0102-311X00129519 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00129519

Bispo Júnior JP, Moreira DC. Núcleos de apoio à saúde da família: concepções, implicações e desafios para o apoio matricial. Trab Educ Saúde 2018;16(2):683-702. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00122 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00122

Carvalho MAP, Gutiérrez AC. Quinze anos da Residência Multiprofissional em Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde: contribuições da Fiocruz. Ciênc Saúde Coletiva 2021;26(6):2013-22. https://doi.org/10.1590/1413-81232021266.44132020 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021266.44132020

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia de atividade física para a população brasileira [Internet]. Brasília : Ministério da Saúde; 2021 [acessado em 14 fev 2021]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_atividade_fisica_populacao_brasileira.pdf

Publicado

2024-03-13

Como Citar

1.
Dourado FM, Oliveira NL, Ricardo LIC, Santos L dos, Nardi AT de, Botton CE, Pfeifer LO, Vasques LM, Santos LP, Silva LN da, Moraes BG, Helal L, Umpierre D. Análise da situação de saúde dos idosos usuários de uma política municipal de atividades físicas. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 13º de março de 2024 [citado 15º de abril de 2024];18(45):3480. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3480

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit