Saúde mental do idoso institucionalizado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc18(45)3589

Palavras-chave:

Estado emocional, População idosa, Instituição de longa permanência.

Resumo

Introdução: O processo de acolhimento dos longevos em instituições de longa permanência de idosos (ILPI) tem se tornado uma constante por parte das famílias, principalmente ao observar-se o panorama de ageísmo atual. Dessa forma, seja pela falta de condições emocionais, seja pela praticidade em fornecer o cuidado por meio terceirizado, inúmeros idosos são obrigados a se adaptar a um novo ambiente, rotina e conviventes. Assim, faz-se clara a percepção de inúmeras dificuldades por parte desses indivíduos em lidar com os obstáculos inerentes ao processo fisiológico do envelhecimento, somada à tempestade de sentimentos advindos do abandono e da incapacidade. Além disso, por se tratar de uma porção vulnerável da população, torna-se importante trazer à tona a visão dos idosos a respeito de sua percepção de saúde e da forma como se sentem quanto à convivência nesse espaço e com suas famílias. Objetivo: Compreender a influência do contato familiar e das relações interpessoais na saúde mental de idosos residentes em ILPI no noroeste do Paraná. Métodos: Estudo descritivo exploratório, de abordagem qualitativa, realizado por meio da aplicação de um questionário associado a uma entrevista semiestruturada com idosos residentes em uma ILPI, no ano de 2021. Entre as informações abordadas estão a autoavaliação do estado mental, a forma de ingresso na instituição, o contato familiar e o relacionamento dentro da instituição. As entrevistas foram gravadas, transcritas e analisadas, segundo semelhança de conteúdos. Resultados: Por meio dos dados coletados, observou-se que o processo de ingresso da maioria dos entrevistados foi consentida e estabelecida por concordância entre idoso, família e assistente social. Também se viu que, mesmo com as adversidades da pandemia de COVID-19, os familiares buscaram estar presentes por intermédio de chamadas de vídeo, seguindo os protocolos de prevenção à doença. Outro ponto investigado foi o relacionamento entre os residentes e os profissionais da instituição, a qual foi estabelecida como não conflituosa, sendo considerada impessoal pela maioria, obtendo-se poucos relatos que a considerassem como familiar. Por fim, constatou-se pelos relatos uma boa condição cognitiva (bom estado de saúde mental), mantida por meio da boa convivência e da implementação de atividades coletivas e individuais de lazer por parte da instituição. Conclusões: Os idosos entrevistados consideraram sua estadia, convivência e rotina na ILPI de ótima qualidade. Ao contrário do esperado, a maioria dos internos apresentou boa condição cognitiva (bom estado de saúde mental), constatada no decorrer das entrevistas. Há poucos idosos residentes na instituição, e o diagnóstico de depressão é apresentado nos prontuários. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Leandro-França C, Murta SG. Prevenção e promoção da saúde mental no envelhecimento: conceitos e intervenções. Psicol Cienc Prof 2014;34(2):318-29. https://doi.org/10.1590/1982-3703001152013 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703001152013

Chang E, Kannoth S, Levy S; Wang S, Lee JE, Levy BR. Global reach of ageism on older persons’ health: a systematic review. Plos One 2020;15(1):e0220857. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0220857 DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0220857

Levy BR, Slade MD, Chang E, Kannoth S, Wang S. Ageism Amplifies Cost and Prevalence of Health Conditions. Gerontologist 2018;60(1):174-81. https://doi.org/10.1093/geront/gny131 DOI: https://doi.org/10.1093/geront/gny131

Levy SR, Lytle A, MacDonald J. The worldwide ageism crisis. J Soc Issues 2022;78(4):743-68. https://doi.org/10.1111/josi.12568 DOI: https://doi.org/10.1111/josi.12568

Lini EV, Portella MR, Doring M. Factors associated with the institutionalization of the elderly: a case-control study. Rev Bras Ger Gerontol 2016;19(6):1004-14. https://doi.org/10.1590/1981-22562016019.160043 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-22562016019.160043

Cordeiro RC, Santos RC, Araújo GKN, Nascimento NM, Souto RQ, Ceballos AGC, et al. Perfil de saúde mental de idosos comunitários: um estudo transversal. Rev Bras Enferm 2020;73(1):e2018019. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0191 DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0191

Dantas CMHL, Bello FA, Barreto KL, Lima LS. Capacidade funcional de idosos com doenças crônicas residentes em Instituições de Longa Permanência. Rev Bras Enferm 2013;66(6):914-20. https://doi.org/10.1590/S0034-71672013000600016 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672013000600016

Figueiredo MCCM, Ferreira FA, Nunes ESC, Araújo AM, Araújo PE, Souza GP, Damasco CR. Idosos institucionalizados: decisão e consequências nas relações familiares. Rev Kairós-Gerontol 2018;21:241-52. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2018v21i2p241-252

Morais TA, Pereira MC. Vínculo do idoso institucionalizado com seus familiares. Rev JRG Est Acad 2020;3(6):217-29. https://doi.org/10.5281/zenodo.3892032.

Rosa TSM, Santos Filha VAV, Moraes AB. Prevalência e fatores associados ao prejuízo cognitivo em idosos de instituições filantrópicas: um estudo descritivo. Ciênc Saúde Colet 2018;23(11):3757-65. https://doi.org/10.1590/1413-812320182311.25212016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320182311.25212016

Alves MB, Menezes MR, Felzemburg RDM, Silva VA, Amaral JB. Instituições de longa permanência para idosos: aspectos físico-estruturais e organizacionais. Esc Anna Nery 2017;21(4);e20160337. https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2016-0337 DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2016-0337

Mauro L, Lunardello M, Veiga O, Novelli F. A Institucionalização de Idosos e suas Consequências Físicas e Psíquicas: relato de caso [Internet]. In: Anais do PTS, dez. 2019;7(11):24-6 [acessado em 25 nov. 2021]. Disponível em: https://faceres.com.br/wp-content/uploads/2014/01/Anais-PTS-Vol-07-Num-11-Dezembro-de-2019-1.pdf#page=24

Santos LNS. Sofrimento Mental em Idosos Institucionalizados: uma abordagem das dimensões que o acometem [trabalho de conclusão de curso]. Cajazeiras: Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Campina Grande; 2018.

Hissamura IS, Hissamura PS, Bernuci MP, Massuda EM. Estado da arte da produção científica brasileira sobre saúde mental do idoso: uma revisão sistemática de literatura. Rev Kairós-Gerontol 2017;20(4):263-77. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2017v20i4p263-277

Silva JC, Pereira JASS, Silva MHS, Pedrosa TMM, Barbosa FLG. Saúde Mental dos Idosos no Brasil. In: Congresso Nacional de Envelhecimento Humano; 2018; Caruaru, Brazil. ASCES-UNITA: Realize; 2018 [acessado em 16 dez. 2021]. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/cneh/2016/TRABALHO_EV054_MD4_SA13_ID935_15082016232020.pdf

Souza-Araújo IV, Gomes NC, Nasimento JS, Ribeiro CCNR, Tavares DMS. Queda entre idosos: preditores e distribuição espacial. Rev Salud Pública 2019;21(2):187-94. https://doi.org/10.15446/rsap.v21n2.70298 DOI: https://doi.org/10.15446/rsap.v21n2.70298

Barros, TVP, Santos, ADB, Gonzaga, JM, Lisboa, MGC, Brand, C. Functional capacity of institutionalized elderly people: na integrative review. ABCS Health Sci 2016;41(3):176-80. https://doi.org/10.7322/abcshs.v41i3.908 DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v41i3.908

Barbosa LM, Noronha K, Camargos MCS, Machado CJ. Perfis de integração social entre idosos institucionalizados não frágeis no município de Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva 2020;25(6):2017-30. https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.19652018 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.19652018

Carvalho MPRS, Dias MO. Adaptação dos idosos institucionalizados. Millenium [Internet] 2011;40(16):161-84 [acessado em 14 jun. 2022]. Disponível em: https://docplayer.com.br/16538354-Adaptacao-dos-idosos-institucionalizados.html

Alves-Silva JD, Scorsolini-Comin F, Santos MA. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicol Reflex Crit 2013;26(4):820-30. https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000400023 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000400023

Watanabe HAW, Giovanni VMD. Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI). BIS, Bol Inst Saúde (Impr.) [Internet] 2009;47(3):69-71 [acessado em 14 jun. 2022]. Disponível em: file:///C:/Users/amand/Downloads/33828-Texto%20do%20artigo-1624-32849-10-20200729.pdf

Corte ID, Mioso CT, Mariussi PM, Stochero ELM, Ries EF, Bayer VML. Compreensão e adesão ao tratamento médico por idosos usuários do Sistema Único De Saúde (SUS). Braz J Hea Ver 2020;3(4):9827-43. https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-214 DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-214

Reis LA, Gomes NP, Dos Reis LA, Menezes TMO, Couto TM, Aguiar AC de AS, et al. Relação familiar da pessoa idosa com comprometimento da capacidade funcional. Aquichan 2015;15(3):393-402. https://doi.org/10.5294/aqui.2015.15.3.7 DOI: https://doi.org/10.5294/aqui.2015.15.3.7

Ottoni MAM. Envelhecimento populacional e morbidade de idosos no brasil: uma avaliação do impacto de indicadores socioeconômicos à luz das peculiaridades regionais [tese]. Montes Claros: Doutorado em Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de Montes Claros; 2020.

Azeredo ZAS, Afonso MAN. Solidão na perspectiva do idoso. Rev Bras Geriatr Gerontol 2016;19(2):313-24. https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150085 DOI: https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150085

Iankevicz MS. Solidão e Envelhecimento: como vivem as pessoas da terceira idade na contemporaneidade? [trabalho de conclusão de curso]. Erechim (RS): Licenciatura em Ciências Sociais, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); 2021.

Nascimento LS. O papel das instituições de longa permanência na inclusão da terceira idade e o combate à solidão e ao isolamento: mudanças em prol da concretização dos direitos do idoso [dissertação]. São Paulo: Centro Universitário Salesiano de São Paulo; 2018.

Kawakami RMAS, Azevedo RCS, Reiners AAO, Almeida NA, Lima IF, Souza LC. Experiências de solidão entre os idosos que moram sós. Saúde Colet 2020;57(10):3729-38. https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2020v10i57p3729-3738 DOI: https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2020v10i57p3729-3738

Santos TCV, Ary MLMRB, Calheiros D dos S. Vínculos familiares dos idosos institucionalizados. Res Soc Dev 2021;10(12):e194101220246. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20246 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20246

Dantas LCV, Ferreira LAK, Andrade CVS, Souza SM, Soares E. Impactos da institucionalização na saúde mental do idoso. Rev Port Divulg 2012;36(4):35-43.

Pereira, LER. A institucionalização da pessoa idosa: uma demanda ao serviço social [Internet]. In: 16th Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais, Oct 30- Nov 3 2019, Brasília, Brasil [acessado em 28 ago. 2022]. Disponível em: https://broseguini.bonino.com.br/ojs/index.php/CBAS/article/view/1178

Costa JS, Pereira LS, Caries SAS. A produção de conhecimento do serviço social: reflexões sobre os direitos sociais e o processo de institucionalização das pessoas idosas [Internet]. In: Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais: 40 anos da “Virada” do Serviço Social, Nov. 21th 2019;16(1):1-13 [acessado em 28 ago. 2022]. Disponível em: https://broseguini.bonino.com.br /ojs/index.php/CBAS/article/view/377/371

Rodrigues AG, Silva AA. A rede social e os tipos de apoio recebidos por idosos institucionalizados. Rev Bras Geriatr Gerontol 2013;16(1):159-170. https://doi.org/10.1590/s1809-98232013000100016 DOI: https://doi.org/10.1590/S1809-98232013000100016

Rohde J, Areosa SVC. Vínculos e relações familiares de idosos institucionalizados. RBCEH 2020;17(1):62-76. https://doi.org/10.5335/rbceh.v17i1.8141 DOI: https://doi.org/10.5335/rbceh.v17i1.8141

Nascimento MS, Ferreira ACVV, Almeida GBS, Amorin TV, Fonseca ADG, Fortes FLS, et al. Estímulo cognitivo e socialização de idosos institucionalizados na pandemia por Covid-19. Rev Bras Prom Saúde 2022;35(7):11860. https://doi.org/10.5020/18061230.2022.11860 DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2022.11860

Barbosa IR, Galvão MHR, Souza TA, Gomes SM, Medeiros AA, LIMA KC. Incidência e mortalidade por COVID-19 na população idosa brasileira e sua relação com indicadores contextuais: um estudo ecológico. Rev Bras Geriatr Gerontol 2020;23(1):e200171. https://doi.org/10.1590/1981-22562020023.200171 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-22562020023.200171

Silva MVS, Rodrigues JA, Ribas MS, Sousa JCS, Castro TRO, Santos BA, et al. O impacto do isolamento social na qualidade de vida dos idosos durante a pandemia por COVID-19. Enferm Bras 2020;19(4):34-41. https://doi.org/10.33233/eb.v19i4.4337 DOI: https://doi.org/10.33233/eb.v19i4.4337

Costa FA, Silva A dos S, Oliveira CBS, Costa LCS, Paixão MÉS, Celestino MNS, et al. COVID-19: seus impactos clínicos e psicológicos na população idosa. Braz J Dev 2020;6(7):49811-82. https//doi.org/10.34117/bjdv6n7-580 DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-580

Costa DES, Rodrigues SA, Alves RCL, Silva MRF, Bezerra ADC, Santos DC, et al. The influence of technologies on the mental health of the elderly in times of pandemic: an integrative review. Res Soc Dev 2021;10(2):e8210212198. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12198 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12198

Nabuco G, Oliveira MHPP, Aafonso MPD. O impacto da pandemia pela COVID-19 na saúde mental. Rev Bras Med Fam Comum 2020;15(42):2532-2532. https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2532 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2532

Rosa M, Morouço P, organzators. Tecnologia e inovação ao serviço do exercício e saúde: exercício. Pandemia covid-19. tecnologia vs. isolamento social [Internet]. Leiria: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, 2020 [acessado em 15 jun. 2022]. Disponível em: https://iconline.ipleiria.pt/bitstream/10400.8/4926/1/Sebenta%20Exerc%C3%ADcio%20COVID-19.%20Tecnologia%20vs%20Isolamento%20Social%20V1.pdf

Gonçalves M, Truccolo AB. Atividades lúdicas e de socialização para idosas residentes em instituição de longa permanência: uma experiência intergeracional [Internet]. In: Sampaio EC. Envelhecimento humano: desafios contemporâneos. v. 1. Brasília: Liber Livro; 2020. p. 127-144 [acessado em 22 ago. 2022]. Disponível em: https://www.editoracientifica.com.br/artigos/atividades-ludicas-e-de-socializacao-para -idosas-residentes-em-instituicao-de-longa-permanencia-uma-experiencia-intergerac ional DOI: https://doi.org/10.37885/200901382

Areosa SVC. Relações Interpessoais, Vínculos Familiares e Sociais de Idosos Institucionalizados. Rev Kairós-Gerontologia 2019;22(3):493-513. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2019v22i3p493-513

Soares NV, Corrêa BRS, Fontana RT, Brum ZP, Guimarães CA, Silva AF, et al. Sentimentos, expectativas e adaptação de idosos internados em instituição de longa permanência. REME Rev Min Enferm 2018;22(1):1-7. https://doi.org/10.5935/1415-2762.20180047 DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20180047

Machado J, Rabelo DF, Campos C. Treino de habilidades sociais em idosos institucionalizados. Est Inter Psicol 2013;4(2):258-65. https://doi.org/10.5433/2236-6407.2013v4n2p258 DOI: https://doi.org/10.5433/2236-6407.2013v4n2p258

Bentes ACO, Pedroso JS, Maciel CAB. O idoso nas instituições de longa permanência: uma revisão bibliográfica. Aletheia 2012 [Internet];38-39:196-205 [acessado em 15 jun. 2022]. Disponível em: https//pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942012000200016

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 502, de 27 de maio de 2021 [Internet]. Dispõe sobre o funcionamento de Instituição de Longa Permanência para Idosos, de caráter residencial. Brasília: Diário Oficial da União; 2021 [acessado em 25 mar. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2020/rdc0502_27_05_2021.pdf

Souza MED, Melo LA, Carrara GLR. Percepções dos idosos institucionalizados sobre os cuidados de enfermagem. UNIFAFIBE [Internet] 2022;12(1):1-16 [acessado em 18 jun. 2022]. Disponível em: https//repositorio.unifafibe.com.br:8080/xmlui/handle/123456789/596

Silva MV, Figueiredo MLF. Idosos institucionalizados: uma reflexão para o cuidado de longo prazo. Enferm Foco 2012;3(1):22-4. https://doi.org/10.21675/2357-707x.2012.v3.n1.215 DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2012.v3.n1.215

Piexak DR, Freitas PH, Backes DS, Moreschi C, Ferreira CLL, Souza MHT. Percepção de profissionais de saúde em relação ao cuidado a pessoas idosas institucionalizadas. Rev Bras Geriat Gerontol 2012;15(2):201-8. https://doi.org/10.1590/s1809-98232012000200003 DOI: https://doi.org/10.1590/S1809-98232012000200003

Sampaio AMO, Rodrigues FN, Pereira VG, Rodrigues SM, Dias CA. Cuidadores de idosos: percepção sobre o envelhecimento e sua influência sobre o ato de cuidar. Estud Pesqui Psicol 2011 [Internet];11(2):590-613 [acessado em 12 ago. 2022]. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4518/451844635015.pdf DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2011.8396

Camarano AA, Kanso S. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. R Bras Est Pop 2010 [Internet];27(1):233-35 [acessado em 12 ago. 2022]. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepop/a/s4xr7b6wkTfqv74mZ9X37Tz/?lang=pt&format=pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-30982010000100014

Silva MAG, Silva HS, Chubaci RYS, Gutierrez BAO. Idosos institucionalizados: fatores relacionados às atividades de lazer. Rev Kairós-Gerontol 2021;24(1):221-35. https://doi.org/10.23925/2176-901X.2021v24i0p221-235

Derhun FM, Castro VC de, Mariano PP, Baldissera VDA, Carreira L. Percepção de idosos institucionalizados sobre o lazer. Rev Baiana Enferm 2018;32(1):e25703. https://doi.org/10.18471/rbe.v32.25703 DOI: https://doi.org/10.18471/rbe.v32.25703

Ferreira T de AL. Saúde mental dos idosos em instituições de longa permanência: revisão sistemática de literatura [trabalho de conclusão de curso]. Salvador: Medicina, Universidade Federal da Bahia; 2018.

Costa VS, Bezerra CC, Becker SG, Pereira RSF, Ramos GOS, Albuquerque CF. A influência da espiritualidade na saúde do idoso institucionalizado. Scire Salutis 2020;10(1):23-30. https://doi.org/10.6008/cbpc22369600.2020.001.0005 DOI: https://doi.org/10.6008/CBPC2236-9600.2020.001.0005

Silva EA. Solidão, satisfação com a vida, vontade de viver e saúde mental: um estudo comparativo entre idosos institucionalizados e idosos não institucionalizados [dissertação]. Cidade do Porto: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade do Porto; 2020.

Publicado

2024-02-17

Como Citar

1.
Rodrigues AC, Santos A de L, Soares L dos SML. Saúde mental do idoso institucionalizado. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 17º de fevereiro de 2024 [citado 15º de abril de 2024];18(45):3589. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3589

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit