A experiência da Medicina de Família e Comunidade enquanto disciplina no curso de graduação em medicina

Debora Carvalho Ferreira, Leticia Arede Almeida, Danillo Zeferino de Oliveira Souza, João Vitor Peixoto Leal Zanirati

Resumo


Este estudo relata a experiência de implantação da disciplina eletiva de Medicina de Família e Comunidade (MFC) no curso de graduação em medicina, na visão dos discentes da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. Levando-se em conta a metodologia aplicada, verificou-se que os alunos consideraram os conteúdos práticos mais relevantes em comparação aos teóricos, o que pode ser atribuído ao fato de a prática permitir a crítica, a problematização e a resolução de situações cotidianas, sendo, além disso, um elo entre o jovem estudante de medicina e a realidade da prática médica. Diante da necessidade de aprimorar a abordagem integral à saúde dos indivíduos, considerando seus aspectos biopsicossociais, torna-se necessário que as alterações no currículo médico tenham como eixo norteador os princípios da Atenção Primária à Saúde (APS). Nesse contexto, a Medicina de Família e Comunidade (MFC) é a especialidade chave para a APS, pois estimula a formação de médicos generalistas capacitados a oferecerem cuidado longitudinal e responderem às necessidades em saúde das pessoas.


Palavras-chave


Medicina de Família e Comunidade; Atenção Primária à Saúde; Educação Superior; Educação de Graduação em Medicina; Currículo

Texto completo:

PDF/A

Referências


Marins JJN, Rego S, Lampert JB, AraujoJGC, editors. Educação médica em transformação: instrumentos para a construção de novas realidades. São Paulo: HUCITEC; 2004.

Campos FE, Ferreira JR, Feuerwerker L, Sena RR, Campos JJB, Cordeiro H et al. Caminhos para aproximar a formação de profissionais de saúde das necessidades da Atenção Básica. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2001 [acesso em 2012 Aug 07];25(2);53-59. Disponível em: http://www.educacaomedica.org.br/UserFiles/File/2001/Volume25%202/caminhos_aproximar.pdf.

Organización Panamericana de la Salud. Informe Dawson sobre el futuro de los servicios médicos e afines, 1920 [Internet]. Washington: OPAS/OMS, D.C; 1964 [acesso em 2012 Aug 13]. Disponível em: http://iris.paho.org/xmlui/handle/123456789/1133.

Gonzaga JL. Atenção primária à saúde e o censo - IBGE: a relevância do setor censitário como fator de integração [dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca; 2009. Disponível em: http://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/2398.

Conill EM. Ensaio histórico-conceitual sobre a Atenção Primária à Saúde: desafios para a organização de serviços básicos e da Estratégia da Saúde da Família em centros urbanos no Brasil. Cad Saúde Pública [Internet]. 2008 [acesso em 2012 Jun 11];24(Suppl 1):7-16;S7-S16. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300002.

Declaração de Alma-Ata. Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde. 1978 set.; Alma Ata, Cazaquistão, URSS. In: Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Políticas de Saúde, Projeto Promoção da Saúde. As cartas da promoção da saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2002. p. 33.

McWhinney IR, Freeman T. Manual de Medicina de Família e Comunidade. Porto Alegre: Artmed; 2010. Princípios da Medicina de Família e Comunidade; p. 25-42.

Rodrigues RD. Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade da UERJ: uma perspectiva histórica. Rev Bras Med Fam e Comunidade [Internet]. 2007 [acesso em 2012 Aug 13];3(11);149-156. Disponível em: http://www.rbmfc.org.br/index.php/rbmfc/article/view/333/220.

Conselho da Academia Europeia de Docentes de Clínica Geral (EURACT). Resolução de outubro de 2001. A definição europeia de medicina geral e familiar. [acesso em 2012 Jun 13]. Disponível em: www.woncaeurope.org.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. A construção do SUS: histórias da Reforma Sanitária e do processo participativo. Brasília: Ministério da saúde; 2006. (Série I. História da saúde no Brasil).

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Avaliação Normativa do Programa Saúde da Família no Brasil: monitoramento da implantação e funcionamento das equipes de saúde da família: 2001-2002. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012. 512 p.

Ministério da Educação (BR), Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº. 4 de 7 de novembro de 2001. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina. Brasília: Diário Oficial da União. 2001 Nov 9; Seção 1:38.

Anderson MIP, Demarzo M, Rodrigues RD. A Medicina de Família e Comunidade, a Atenção Primária à Saúde e o ensino de graduação: recomendações e potencialidades [Internet]. Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; 2005 [acesso em 2012 Nov 21]. Disponível em: http://www.sbmfc.org.br/media/file/documentos/mfc_na_graduacao.pdf.

Demarzo M, Almeida RCC, Marins JJN, Trindade TG, Anderson MIP, Stein AT et al. Diretrizes para o ensino na Atenção Primária à Saúde na graduação em Medicina. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2011 [acesso em 2012 Sep 19];6(19);145-150. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc6(19)116.

Brasil. Ministério da Saúde e Ministério da Educação. Portaria interministerial n°. 1507 de 22 de junho de 2007. Institui o programa de educação pelo trabalho para a saúde Pet-saúde. Diário Oficial da União. 2007 Jun 22; Seção 1:56.

Ministério da saúde (BR), Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Ver-SUS Brasil: cadernos de texto. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. 299 p.

Ezequiel OS, Tibiriçá SHC. Projeto Pedagógico do Curso de Medicina. Juiz de Fora: Editora UFJF; 2011. 92 p.

Bogdan RC, Bilden SK. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora; 1994.

Breinbauer KH, Fromm RG, Fleck LD, Araya CL. Tendencia en el estudiante de medicina a ejercer como médico general o especialista. Rev Med Chile [Internet]. 2009 [acesso em 2013 Jan 10];137(7):865-872. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4067/S0034-98872009000700001.

Guimaraes SER, Boruchovitch E. O Estilo Motivacional do professor e a motivação intrínseca dos estudantes: uma perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicol Reflex Crít. 2004;17(2):143-150. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722004000200002.

Itikawa FA, Afonso DH, Rodrigues RD, Guimarães MAM. Implantação de uma nova disciplina à luz das diretrizes curriculares no curso de graduação em medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2008 [acesso em 2013 Jan 10];32(3):324-332. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000300007.

Campos MAF, Foster AC. Percepção e avaliação dos alunos do curso de medicina de uma escola médica pública sobre a importância do estágio em saúde da família na sua formação. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2008 [acesso em 2013 Jan 13];32(1):83-89. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000100011.

Freitas RAMM. Ensino por problemas: uma abordagem para o desenvolvimento do aluno. Educ Pesqui [Internet]. 2012 [acesso em 2013 Jan 10];38(2):403-418. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022011005000011.

Cabral PE, Machado JLM, Machado VMP, Pompílio MA, Vinha JM, Ayach W et al. Serviço e comunidade, vetores para a formação em saúde: o curso de medicina da Uniderp. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2008 [acesso em 2013 Jan 26];32(3):374-382. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000300012.

Cotta RMM, Mendonca ET, Costa GD. Portfólios reflexivos: construindo competências para o trabalho no Sistema Único de Saúde. Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2011 [acesso em 2013 Jan 26];30(5):415-421. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892011001100003.

Vargas LHM, Colus IMS, Linhares REC, Salomão TMS, Marchese MC. Inserção das ciências básicas no currículo integrado do curso de Medicina da Universidade Estadual de Londrina. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2008 [acesso em 2013 Jan 26];32(2):174-79. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000200004.

Delors J, Mufti I, Amagi I, Carneiro R, Chung F, Geremek B et al. Educação: um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da comissão internacional sobre educação para o século XXI. São Paulo: Cortez; 2000.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1999.




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc9(32)782

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Debora Carvalho Ferreira, Leticia Arede Almeida, Danillo Zeferino de Oliveira Souza, João Vitor Peixoto Leal Zanirati

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia