A qualidade da atenção primária e o manejo do diabetes mellitus

  • Marcelo Rodrigues Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Erno Harzheim Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Aline do Amaral Zils Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Bruce Bartholow Duncan Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Diabetes Mellitus, Pesquisa sobre Serviços de Saúde

Resumo

Objetivos: Investigar a associação entre qualidade da atenção primária à saúde (APS) e manejo do diabetes mellitus (DM) nos adultos portadores de DM adscritos aos serviços de APS em Porto Alegre, Brasil. Métodos: Estudo transversal de base populacional, com adultos portadores de DM. A qualidade da APS foi aferida pelo Primary Care Assesment Tool (PCATool-Brasil). A análise estatística foi realizada por regressão de Poisson com variação robusta. Resultados: Dos 3.014 entrevistados, 205 (6,8%) eram portadores de DM, com predomínio do sexo feminino (64,4%) e cor branca (68,3%). Os portadores de diabetes classificados como de Alto Escore apresentavam prevalência maior, tanto no tempo de doença (10,9 vs 8,4 anos, p=0,03) quanto em complicações do diabetes (73,9% vs 58,8%, p=0,02). A proporção de entrevistados com ótimo controle glicêmico não diferenciou entre os grupos (31,7% vs 38%, p=0,3). Na análise multivariável, serviços com Alto Escore à APS apresentaram melhor perfil de cuidados para a prevenção das principais comorbidades. Os manejos que diferiram estatisticamente foram a aferição da pressão arterial (RP=1,07; IC95% 1,01-1,14); solicitação de perfil lipídico (RP=1,23; IC95% 1,09-1,39); orientação de atividade física (RP=1,50; IC95% 1,21-1,86); exame dos pés (RP=2,08; IC95% 1,54-2,81); e orientações de cuidados com os pés (RP=2,02; IC95% 1,56-2,61). Conclusão: Serviços com Alto Escore à APS demonstraram maior atenção à prevenção das complicações do diabetes e melhor cuidado aos pacientes com doença de maior complexidade, mas não diferiram significativamente dos demais serviços no controle glicêmico.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelo Rodrigues Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (2000), mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Família e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: atenção primária à saúde, medicina de família e comunidade, programa de saúde da família, diabetes mellitus e educação
Erno Harzheim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), doutorado em Medicina Preventiva e Saúde Pública pela Universidade de Alicante (2004) e pós-doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor adjunto e representante do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Familia e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina de família e comunidade, epidemiologia, atenção primária, avaliação de serviços de saúde, telemedicina e telessaúde.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Aline do Amaral Zils, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009) . Tem experiência na área de Enfermagem , com ênfase em Enfermagem de Saúde Pública.
Bruce Bartholow Duncan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Johns Hopkins University (1979), graduação em Economia (Bacharel) pelo Williams College (1971), mestrado em Public Health (MPH) pela Johns Hopkins University (1979), doutorado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e pós-doutorado em Epidemiologia pela University of North Carolina (1993). É professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, adjunct assistant professor da University of North Carolina (1999-2016) e membro do Comitê Técnico Assessor das Doenças e Agravos Não Transmissíveis do Ministério da Saúde. Atua na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia e foco nos seguintes temas: 1) diabetes mellitus, obesidade, e outros fatores de risco para doenças cardiovasculares 2) medicina baseada em evidências e 3) atenção primária à saúde. Mudou-se para o Brasil em 1983 e sua primeira linha de atuação visou difundir a então nova disciplina de epidemiologia clínica no país. Foi um dos proponentes da Medicina Baseada em Evidências no Brasil. Sua pesquisa, centrada em estudos multicêntricos nacionais e internacionais sobre diabetes, obesidade, inflamação, disfunção microvascular e doenças associadas, produziu >170 artigos originais, muitos publicados em revistas de grande impacto na área como Lancet, BMJ, JAMA, Annals of Internal Medicine, Diabetes, Hypertension, American Journal of Epidemiology,e International Journal of Epidemiology. Foi um dos fundadores do PPG-Epidemiologia da UFRGS (nível 6 da CAPES). É um dos coordenadores do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto, e lidera um Centro Colaborador da Secretaria de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde. É o principal organizador do livro Medicina Ambulatorial, Condutas de Atenção Primária Baseada em Evidências, agora em sua 4ª edição, e utilizado largamente nas faculdades de medicina e pelas equipes de atenção primária à saúde no país.

Referências

Andrade LOM, Bueno ICHC, Bezerra RC. Atenção Primária à Saúde e Estratégia Saúde da Família. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond M Jr, Carvalho YM, editors. Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006. p. 783-836.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Macinko J, Starfield B, Shi L. The contribution of primary care systems to health outcomes within Organization for Economic Cooperation and Development (OECD) countries, 1970-1998. Health Serv Res 2003 Jun; 38(3): 831-65. PMid:12822915 PMCid:PMC1360919. http://dx.doi.org/10.1111/1475-6773.00149

Shi L, Starfield B, Kennedy B, Kawachi I. Income inequality, primary care, and health indicators. J Fam Pract. 1999 Apr; 48(4): 275-84. PMid:10229252.

Shi L, Starfield B, Politzer R, Regan J. Primary care, self-rated health, and reductions in social disparities in health. Health Serv Res. 2002 Jun; 37(3): 529-50. PMid:12132594 PMCid:PMC1434650. http://dx.doi.org/10.1111/1475-6773.t01-1-00036

Starfield B. Primary Care: concept, evaluation and policy. New York: Oxford University Press; 1992. PMCid:PMC1809870.

Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, Berk RA, Nanda JP, Friedenberg LA. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000 Apr; 105(4 Pt 2): 998-1003. PMid:10742362.

Shi L, Starfield B, Jihaong X. Validating the Adult Primary Care Assessment Tool. J Family Practice. 2001; 50:161-75.

Medronho RA. Epidemiologia. São Paulo; 2003.

Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde, DATASUS. Informações de Saúde. Estatísticas Vitais - Mortalidade e Nascidos Vivos. [acesso em 2006 Dez 9]. Disponível em: http://w3.datasus.gov.br/datasus/datasus php?area=359A1B378C5D0E0F359G22H0I1Jd5L25M0N&VInclude=/site/infsaude.php

Venkat Narayan KM, et al. Diabetes: The Pandemic and Potential Solutions. In: Jamison DT, Breman JG, Measham AR, Alleyne G, Claeson M, Evans DB, et al., editors. Disease Control Priorities in Developing Countries. 2nd ed. New York: Oxford University Press; 2006. p. 591-604.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. Cadernos de Atenção Básica. Ref Type: Serial (Book,Monograph).

Brasil. Ministério da Saúde.Secretaria de Políticas Públicas. HIPERDIA - Plano de reorganização da atenção à hipertensão arterial e ao diabetes mellitus. Rev Saúde Pública. 2001; 35(6): 585-8. PMid:11799474.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Histórico da cobertura do PSF. [acesso em 2007 June 16]. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/dab/abnumeros.php#historico

Macinko J, Guanais FC, de Fátima M, de Souza M. Evaluation of the impact of the Family Health Program on infant mortality in Brazil, 1990-2002. J Epidemiol Community Health. 2006 Jan; 60(1): 13-9. PMid:16361449 PMCid:PMC2465542. http://dx.doi.org/10.1136/jech.2005.038323

American Diabetes Association. Standards of medical care in diabetes. Diabetes Care. 2005; 28(Suppl 1).

International Diabetes Federation. Clinical Guidelines Task Force. Global guideline for Type 2 diabetes. Brussels: International Diabetes Federation; 2005. Ref Type: Generic.

Parchman ML, Burge SK. Continuity and quality of care in type 2 diabetes: a Residency Research Network of South Texas study. J Fam Pract. 2002 Jul; 51(7): 619-24. PMid:12160500.

Ovhed I, Johansson E, Odeberg H, Rastam L. A comparison of two different team models for treatment of diabetes mellitus in primary care. Scand J Caring Sci. 2000; 14(4): 253-8. http://dx.doi.org/10.1111/j.1471-6712.2000.tb00593.x

Al Khaja KA, Sequeira RP, Damanhori AH. Comparison of the quality of diabetes care in primary care diabetic clinics and general practice clinics. Diabetes Res Clin Pract. 2005 Nov; 70(2): 174-82. PMid:15890429. http://dx.doi.org/10.1016/j.diabres.2005.03.029

Leinung MC, Gianoukakis AG, Lee DW, Jeronis SL, Desemone J. Comparison of diabetes care provided by an endocrinology clinic and a primary- care clinic. Endocr Pract. 2000 Sep; 6(5): 361-6. PMid:11141586. http://dx.doi.org/10.4158/EP.6.5.361

Greisinger AJ, Balkrishnan R, Shenolikar RA, Wehmanen OA, Muhammad S, Champion PK. Diabetes care management participation in a primary care setting and subsequent hospitalization risk. Dis Manag. 2004; 7(4): 325-32. PMid:15671789. http://dx.doi.org/10.1089/dis.2004.7.325

Harzheim E, Duncan BB, Stein AT, Cunha CR, Gonçalves MR, Trindade TG, et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC.Health Serv Res. 2006; 6: 1472-6963.

Harzheim E, Starfield B, Rajmil L, varez-Dardet C, Stein AT. [Internal consistency and reliability of Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil) for child health services]. Cad Saude Publica 2006 Aug; 22(8): 1649-59. PMid:16832536. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000800013

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool - Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Whitworth JA, Chalmers J: World health organisation-international society of hypertension (WHO/ISH) hypertension guidelines. Clin Exp Hypertens. 2004, 26: 747-752. PMid:15702630. http://dx.doi.org/10.1081/CEH-200032152

Sacks DB, Bruns DE, Goldstein DE, Maclaren NK, McDonald JM, Parrott M. Guidelines and recommendations for laboratory analysis in the diagnosis and management of diabetes mellitus. Clin Chem. 2002 Mar; 48(3): 436-72. PMid:11861436.

Barros AJ, Hirakata VN. Alternatives for logistic regression in cross-sectional studies: an empirical comparison of models that directly estimate the prevalence ratio. BMC Med Res Methodol. 2003 Oct 20; 3 :21. PMid:14567763 PMCid:PMC521200. http://dx.doi.org/10.1186/1471-2288-3-21

Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Diabetes e o baixo controle no Brasil. [acesso em 2007 Nov 7]. http://www ensp fiocruz br/radis/59/03 html

Jackson GL, Edelman D, Weinberger M. Simultaneous control of intermediate diabetes outcomes among Veterans Affairs primary care patients. J Gen Intern Med. 2006 Oct; 21(10): 1050-6. PMid:16970554 PMCid:PMC1831633. http://dx.doi.org/10.1111/j.1525-1497.2006.00519.x

Mengual L, Roura P, Serra M, Montasell M, Prieto G, Bonet S. Multifactorial control and treatment intensity of type-2 diabetes in primary care settings in Catalonia. Cardiovasc Diabetol. 2010 Mar 29; 9: 14. PMid:20350315 PMCid:PMC2858123. http://dx.doi.org/10.1186/1475-2840-9-14

Cortez-Dias N, Martins S, Belo A, Fiuza M; VALSIM.Prevalence, management and control of diabetes mellitus and associated risk factors in primary health care in Portugal. Rev Port Cardiol. 2010 Apr; 29(4): 509-37. PMid:20734573.

Yudkin JS, Richter B, Gale EAM. Intensified glucose lowering in type 2 diabetes: time for a reappraisal. Diabetologia. 2010; 53: 2079-2085. PMid:20686748. http://dx.doi.org/10.1007/s00125-010-1864-z

McAlister FA, Majumdar SR, Eurich DT, Johnson JA. The effect of specialist care within the first year on subsequent outcomes in 24,232 adults with new-onset diabetes mellitus: population-based cohort study. Qual Saf Health Care. 2007 Feb; 16(1): 6-11. PMid:17301194 PMCid:PMC2464930. http://dx.doi.org/10.1136/qshc.2006.018648

Mainous AG, III, Koopman RJ, Gill JM, Baker R, Pearson WS. Relationship between continuity of care and diabetes control: evidence from the Third National Health and Nutrition Examination Survey. Am J Public Health 2004 Jan;94(1):66-70. PMid:14713700 PMCid:PMC1449828. http://dx.doi. org/10.2105/AJPH.94.1.66

Gill JM, Mainous AG, III, Diamond JJ, Lenhard MJ. Impact of provider continuity on quality of care for persons with diabetes mellitus. Ann Fam Med. 2003 Sep; 1(3): 162-70 PMid:15043378 PMCid:PMC1466582. http://dx.doi.org/10.1370/afm.22

Assunção MC, Santos I, Gigante DP. [Diabetes mellitus at the primary health care level in Southern Brazil: structure, course of action and outcome]. Rev Saude Publica. 2001 Feb; 35(1): 88-95. PMid:11285523. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102001000100013

de Belvis AG, Pelone F, Biasco A, Ricciardi W, Volpe M. Can primary care professionals’ adherence to Evidence Based Medicine tools improve quality of care in type 2 diabetes mellitus? A systematic review. Diabetes Res Clin Pract. 2009 Aug; 85(2): 119-31 PMid:19539391. http://dx.doi.org/10.1016/j.diabres.2009.05.007

Brasil. Ministério da Saúde, Departamento de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Bodenheimer T, Wagner EH, Grumbach K. Improving primary care for patients with chronic illness. JAMA. 2002 Oct 9; 288(14): 1775-9. PMid:12365965. http://dx.doi.org/10.1001/jama.288.14.1775

Scally G, Donaldson LJ. The NHS’s 50 anniversary. Clinical governance and the drive for quality improvement in the new NHS in England. BMJ. 1998 Jul 4; 317(7150): 61-5. PMid:9651278 PMCid:PMC1113460. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.317.7150.61

Rothman KJ, Greenland S. Modern Epidemiology. 2nd ed. LW&W; 1998

Publicado
2013-09-05
Como Citar
Gonçalves, M. R., Harzheim, E., Zils, A. do A., & Duncan, B. B. (2013). A qualidade da atenção primária e o manejo do diabetes mellitus. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 8(29), 235-243. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(29)814
Seção
Artigos de Pesquisa