Medicina de Família e Comunidade: breve histórico, desafios e perspectivas na visão de discentes de graduação

  • Vinicius Gomes de Oliveira Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
  • Fernanda Navarini Queiroz Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
  • Bruno Pereira Araújo Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
  • Cássio Marques Menezes Silva Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
  • Flávio Dias Silva Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Palavras-chave: Medicina de Família e Comunidade, Atenção Primária à Saúde, Sistema Único de Saúde, Políticas, Planejamento e Administração em Saúde

Resumo

A Medicina de Família e Comunidade (MFC) é fundamentada em princípios que estão diretamente vinculados à Atenção Primária à Saúde (APS), que é a base de um sistema para otimizar recursos e serviços em saúde. O presente artigo procura analisar a atual conjuntura da MFC na visão de discentes de graduação em medicina, com enfoque na APS. Faz-se, então, um breve resgate dos principais eventos históricos que nortearam a criação dessa especialidade no Brasil, tais como conferências, programas de Residência Médica e criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Por fim, retorna-se aos dias de hoje, para se estabelecer uma conexão entre as propostas iniciais e o contexto atual da saúde, oferecendo uma visão crítica acerca desses aspectos. Procura-se destacar o programa Mais Médicos e o Programa de Valorização da Atenção Básica (PROVAB), ambos propostos recentemente pelo governo federal, com o intuito de corroborar as estratégias traçadas há algumas décadas. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vinicius Gomes de Oliveira, Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Acadêmico do Curso de Medicina
Fernanda Navarini Queiroz, Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Acadêmica do Curso de Medicina
Bruno Pereira Araújo, Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Acadêmico do Curso de Medicina
Cássio Marques Menezes Silva, Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Acadêmico do curso de medicina
Flávio Dias Silva, Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT). Palmas, Tocantins
Professor de Medicina de Família e Comunidade do Curso de Medicina

Referências

Starfield B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidade de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002. 726 p.

Janaudis MA. Princípios da Medicina de Família: quatro pilares que definem sua identidade. O Mundo da Saúde. 2010 Jul-Sep;34(3):300-310.

Anderson MIP, Gusso G, Castro Filho ED. Medicina de Família e Comunidade: especialistas em integralidade. Revista APS. 2005 Jan-Jun;8(1):61-67.

Giovanella L, Mendonça MHM, Almeida PF, Escorel S, Senna MCM, Fausto MCR, et al. Saúde da família: limites e possibilidades para uma abordagem integral de atenção primária à saúde no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2009 May-Jun;14(3):783-794. PMid:19547778.

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000300014

Falk JW. A Medicina de Família e Comunidade e sua entidade nacional: histórico e perspectivas. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2004 Jan-Mar;1(1):5-10.

Janaudis MA, Blasco PG, Haq C, Freeman J. Formando médicos para a Medicina de Família e Comunidade. Revista Bioética. 2007 Jan-Jun;15(1):27-36

Ministério da Saúde (BR). Programa de Saúde da Família. Brasília: COSAC; 1994.

Ministério da Saúde (BR), SAS, DAB; IBGE. Teto, credenciamento e implantação das estratégias de Agentes Comunitários de Saúde, Saúde da Família e Saúde Bucal. [Internet]. 2013 Sep. [acesso em 2013 Dez 02]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/historico_cobertura_sf.php

Brasil. Portaria Interministerial 2.087 de 2011. Institui o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica. [Internet]. [acesso em 2013 Out 9]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/pri2087_01_09_2011.html

Brasil. Medida Provisória nº 621 de 2013. Institui o Programa Mais Médicos e dá outras providências. [Internet]. [acesso em 2013 Out 10]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/mpv/mpv621.htm

Anderson MIP, Rodrigues RD. Formação de especialistas em Medicina de Família e Comunidade no Brasil: dilemas e perspectivas. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2011 Jan-Mar;6(18):19-20. http://dx.doi.org/10.5327/Z1809-59092011001800005

Levites M, Blasco PG. Competencia y humanismo: la Medicina Familiar en busca de la excelência [Editorial]. Arch Med Fam General. 2009 Jul-Dez;6(2)2-9. Disponível em: http://archivos.famfyg.org/revista/index.php/amfyg/article/view/88/84

Anderson MIP, Demarzo MMP, Rodrigues RD. A Medicina de Família e Comunidade, a Atenção Primária à Saúde e o Ensino de Graduação: recomendações e potencialidades. Rev Bras Med Fam Comunidade. 200 Out-Dez; 3(11):157-172. Disponível em: http://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/334

Publicado
2013-12-29
Como Citar
Oliveira, V. G. de, Queiroz, F. N., Araújo, B. P., Silva, C. M. M., & Silva, F. D. (2013). Medicina de Família e Comunidade: breve histórico, desafios e perspectivas na visão de discentes de graduação. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 9(30), 85-88. https://doi.org/10.5712/rbmfc9(30)850
Seção
Perspectivas