Educação continuada em gerontologia para agentes comunitários de saúde

Nádia Placideli, Tania Ruiz

Resumo


Objetivo: avaliar o efeito de um Programa de Educação em Gerontologia desenvolvido à Agentes Comunitários de Saúde. Métodos: estudo de intervenção (comparação antes e depois) com participação de 111 agentes comunitários, com perda de 25 (22,5%), atuantes nas 12 unidades de saúde da família de um município do interior paulista, em 2012. Os dados foram coletados por meio de questionário sociodemográfico, instrumento de avaliação do contato dos agentes comunitários com idosos e questionário para avaliação de conhecimentos gerontológicos (Questionário Palmore-Neri-Cachioni). Foi desenvolvido um Programa de Educação em Gerontologia junto aos agentes comunitários, no período de 5 dias: encontros com duração de 90 minutos cada um, abordando temas relacionados à velhice e envelhecimento. Para análise dos dados, foi utilizado o programa SAS versão 9.2 para Windows. Resultados: prevaleceram entre os agentes os adultos jovens, do sexo feminino, casados, com ensino médio completo e inseridos na atividade há mais de dois anos e meio. A maioria dos agentes expôs sempre ter contato com idosos, cultivado em âmbito do trabalho e intrafamiliar e relatou experiência com a população dessa faixa etária, mais da metade referiu ter participado de educação gerontológica. O maior número de acertos ao questionário de avaliação sobre conhecimentos gerontológicos, aplicado antes, imediatamente após e depois de três meses ao desenvolvimento do Programa de Educação em Gerontologia, demonstrou melhor desempenho dos agentes na segunda e terceira aplicações desse instrumento realizadas após o programa, tornando evidente a importância de educação em gerontologia para esse público. Conclusão: promover educação em gerontologia para agentes comunitários de saúde é fundamental, pois providos de conhecimentos podem reforçar seu papel mediante a equipe de saúde e população, dentre ela, os idosos.


Palavras-chave


Sistemas de Saúde; Educação em Saúde; Envelhecimento; Gerontologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


Lebrão ML, Duarte YAO. SABE- Saúde, Bem-Estar e envelhecimento - o projeto SABE no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde, 2003, p. 75-91.

Schmidt MI, Duncan BB, Azevedo e Silva G, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet. 2011;377(9781):1949-61. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(11)60433-9

Vecchia MD. A saúde mental no Programa da Saúde da Família: estudo sobre práticas e significações de uma equipe (Dissertação de mestrado). Botucatu: Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual São Paulo, Júlio de Mesquita Filho, Botucatu; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia Prático do Programa Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. 69p [Acesso 13 Ago 2015]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/guia_pratico_saude_familia

Bezerra AFB, Espírito Santo ACG, Batista Filho M. Concepções e práticas do agente comunitário de saúde na atenção à saúde do idoso. Rev Saúde Pública. 2005;39(5):809-15. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102005000500017

Ferreira VM, Ruiz T. Atitudes e conhecimentos de agentes comunitários de saúde e suas relações com idosos. Rev Saúde Pública. 2012;46(5):849-3. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012000500011

Peduzzi M, Guerra DAD, Braga CP, Lucena FS, Silva, JAM. Atividades educativas de trabalhadores na atenção primária: concepções de educação permanente e de educação continuada em saúde presentes no cotidiano de unidades básicas de saúde em São Paulo. Interface Comun Saúde Educ. 2009;13(30):121-34. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832009000300011

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo demográfico 2010: características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro, 2010. 125p [Acesso 13 Ago 2015]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/caracteristicas_religiao_deficiencia/default_caracteristicas_religiao_deficiencia.shtm

Harris DK, Changas PS, Palmore EB. Palmore’s first facts on aging quiz in a multiple-choice format. Educ Gerontol. 1996;22(6):575-89. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/0360127960220605

Ferraz L, Aertz DRGC. O cotidiano do agente comunitário de saúde no PSF em Porto Alegre. Rev Ciência Saúde Coletiva. 2005;10(2):347-55. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000200012

Ursine BL, Trella CS, Nunes EFPA. O agente comunitário de saúde na estratégia saúde da família: uma investigação das condições de trabalho e da qualidade de vida. Rev Bras Saúde Ocup. 2010;35(122):339-27. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572010000200015

Fernandes HCL, Pavarini SCI, Barham EJ, Mendiondo MSZ, Luchesi BM. Envelhecimento e demência: o que sabem os agentes comunitários de saúde? Rev Esc Enferm USP. 2010;44(3):782-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300033

Nunes MO, Trad LB, Almeida BA, Homem CR, Melo MCIC. O agente comunitário de saúde: construção da identidade desse personagem híbrido e polifônico. Cad Saúde Pública. 2002;18(6):1646-39. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2002000600018

Marzari CK, Junges JR, Selli L. Agentes comunitários de saúde: perfil e formação. Rev Ciên Saúde Coletiva. 2011;16(1):880-73. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700019

Neri AL, Jorge MD. Atitudes e conhecimentos em relação à velhice em estudantes de graduação em educação e em saúde: subsídios ao planejamento curricular. Estud Psicol. 2006;23(2):127-37. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2006000200003

Cachioni M. Quem educa os idosos?: um estudo sobre professores de Universidades da terceira idade. Campinas: Alínea; 2003. p.155-75.

Pedrosa IL, Lira GA, Oliveira B, Silva MS, Santos MB, Silva EA, et al. Uso de metodologias ativas na formação técnica do agente comunitário de saúde. Trab Educ Saúde. 2011;9(2):319-32. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462011000200009

Bachilli RG, Scavassa AJ, Spiri WC. A identidade do agente comunitário de saúde: uma abordagem fenomenológica. Ciênc Saúde Coletiva. 2008;13(1):51-60. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232008000100010

Motta LB, Aguiar AC. Novas competências profissionais em saúde e o envelhecimento populacional brasileiro: integralidade, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(2): 363-72. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000200012




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc10(36)948

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Nádia Placideli, Tania Ruiz

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia